Primeira Leitura (Is 30,19-21.23-26)


Leitura do Livro do Profeta Isaías.

Assim fala o Senhor, o Santo de Israel: 19Povo de Sião, que habitas em Jerusalém, não terás motivo algum para chorar: ele se comoverá à voz do teu clamor; logo que te ouvir, ele atenderá.

20O Senhor decerto dará a todos o pão da angústia e a água da aflição, não se apartará mais de ti o teu mestre; teus olhos poderão vê-lo 21e teus ouvidos poderão ouvir a palavra de aviso atrás de ti: “o caminho é este para todos, segui por ele”, sem desviar-vos à direita ou à esquerda.

23Ele te dará chuva para a semente que tiveres semeado na terra, e o fruto da terra será abundante e rico; nesse dia, o teu rebanho pastará em vastas pastagens, 24teus bois e os animais que lavram a terra comerão forragem salgada, limpa com pá e peneira.

25Haverá em toda montanha alta e em toda colina elevada arroios de água corrente, num dia em que muitos serão mortos com o desabamento de seus torreões.

26A lua brilhará como a luz do sol e o sol brilhará sete vezes mais, como a luz de sete dias, no dia em que o Senhor curar a ferida de seu povo e fizer sarar a lesão de sua chaga.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 146)


— Felizes são aqueles que esperam no Senhor!

— Felizes são aqueles que esperam no Senhor!

— Louvai o Senhor Deus, porque ele é bom, cantai ao nosso Deus, porque é suave: ele é digno de louvor, ele o merece! O Senhor reconstruiu Jerusalém, e os dispersos de Israel juntou de novo;

— Ele conforta os corações despedaçados, ele enfaixa suas feridas e as cura; fixa o número de todas as estrelas e chama a cada uma por seu nome.

— É grande e onipotente o nosso Deus, seu saber não tem medida nem limites. O Senhor Deus é o amparo dos humildes, mas dobra até o chão os que são ímpios.


Evangelho (Mt 9,35–10,1.6-8)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 35Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o evangelho do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade.

36Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: 37“A Messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”

10,1E, chamando os seus doze discípulos deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade.

Enviou-os com as seguintes recomendações: 6“Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!”


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Levemos o Reino de Deus a todos os corações

“Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!” (Mateus 10,6-8).

A grande graça que recebemos da vida foi o Reino de Deus que veio até nós. Estamos aqui porque o Reino de Deus está no meio de nós, e a graça é que recebemos de graça, não recebemos por nada.

Foi Jesus que pagou com a sua vida e derramou o seu sangue para que possamos ser salvos, portanto, levemos o Reino de Deus também de graça, promovamos a graça com toda a gratuidade da alma.

Primeiro às ovelhas perdidas da casa de Israel, as ovelhas perdidas de toda a Igreja, que é a nova Israel. Primeiro, nos encontramos perdidos, que nos encontremos em Deus, porque o perdido precisa se encontrar e o perdido não consegue fazer com que o outro se reencontre com a graça de Deus.

Do ponto que você está, na situação que você vive, por favor, se reencontre com a graça de Deus, e nesse tempo de graça precisamos buscar muitas ovelhas que estão perdidas na casa de Israel, estão perdidas dentro da nossa própria casa, da nossa própria família. Muitos que são do Senhor estão distantes d’Ele e precisamos levar o Reino do Senhor.


Anunciemos o Reino de Deus, reino da luz, porque é esse Reino que nos salva

Não podemos permitir que o desânimo, que esse espírito negativo, que leva a ver todas as coisas ao olhar da crise, suscite em nós pessoas críticas e sucumbidas na crise da fé, mas levantemos, nos ergamos para levarmos o Reino dos Céus em todos os caminhos que estamos.

Às vezes, nos encontramos com pessoas de igreja, que só vêm trazer para nós coisas negativas, vêm criticar o padre, o bispo, vem falar mal do Papa, vem criticar isso, falar mal daquele. Desculpa, mas são os perdidos. Somos nós muitas vezes que nos perdemos em meio as coisas negativas.

É preciso que encontremos sempre o tesouro que nos conquistou, e é esse tesouro que devemos levar, porque se você vem a mim só para trazer as coisas negativas, elas não levantarão. Venha até mim para me trazer Jesus, porque estou indo até você para levar o tesouro que me salvou, me resgatou e se chama Jesus é Ele que estou levando, estou anunciando e proclamando, e quando proclamamos e anunciamos ele, as doenças são curadas, as pessoas são levantadas, os ânimos são reerguidos.

Quando somos mesmo na igreja servidor do reino das trevas, só levamos coisas negativas, azedume, amargura, só levamos coisas más. Há pessoas até nas portas da igreja, dentro da igreja, que estão lá só para criticar, azedar, para falar do que é ruim, só para falar do que não presta, e por isso não estamos nos salvando, Deus não está operando a sua salvação em nós.

Não anunciemos o Reino das trevas, anunciemos o Reino de Deus, reino da luz, porque é esse Reino que nos salva.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Memória de S. Ambrósio, Bispo e Doutor

“Cristo”, não se cansava de dizer S. Ambrósio, “é tudo para nós: se queres curar-te duma ferida, Ele é o médico; se estás a arder de febre, Ele é a fonte; se estás oprimido pela iniquidade, ele é a justiça; se precisas de ajuda, Ele é a força; se temes a morte, Ele é a vida; se desejas o céu, Ele é o caminho; se estás nas trevas, Ele é a luz”. Pois Cristo, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, é realmente tudo para nós. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para este sábado, dia 7 de dezembro, e preparemo-nos juntos para o Advento daquele fora do qual nada tem sentido, fora do qual não existe salvação.





Santo do Dia:

Santo Ambrósio - Bispo e Doutor da Igreja

Hoje fazemos memória em toda a Igreja de Santo Ambrósio, Bispo e Doutor da Igreja. De nobre e distinta família romana, nasceu provavelmente em 339, em Tréviros, onde seu pai exercia o cargo de prefeito das Gálias. A mãe ficou viúva muito cedo e voltou a Roma com três filhos: Marcelina, que se consagrou a Deus e tomou o véu das virgens; Sátiro, que morreu em 378, depois de exercer altos cargos do Estado; e Ambrósio, o último, que seguiu a carreira diplomática, tradicional na família. Ambrósio desde cedo aprendeu a alimentar as virtudes cívicas e morais, ao ponto de ter sido governador da Emília, do Lácio e de Milão, antes de ser Bispo. Estudou Direito antes de estudar Teologia.

A mãe de Ambrósio devia ser cristã praticante e generosa. O Papa Libério (352-366) impôs pessoalmente o véu à filha dela, Marcelina, e parece que visitava a casa da nobre senhora romana. Todos da família beijavam a mão de Libério. Ambrósio, ainda criança, depois de se despedir do Pontífice, tratou de imitá-lo e estendeu a mão aos criados e à irmã, para que a beijassem. Marcelina recusou-a com bons modos mas ele respondia: “Não sabes que eu também hei-de ser Bispo?” Dizia então Ambrósio, por brincadeira, mais do que sabia. No entanto, era para isso que a Divina Providência o destinava. Ambrósio era governador de Milão. Com a morte do Bispo de Milão, chamado Ariano, Ambrósio foi para a eleição do novo Bispo, a fim de evitar grandes conflitos. Em meio a confusão, de repente uma criança grita: “Ambrósio, Bispo!”. O Clero e o povo aderiu e todos aclamaram: “Queremos Ambrósio Bispo!”. O povo teve que teimar durante uma semana, até que vendo nisto a voz de Deus, Ambrósio que ocupava alto cargo no Império Romano e somente era catecúmeno, cedeu a vontade do Senhor. O 1° Concílio de Niceia (325) tinha proibido que subisse ao Episcopado qualquer neófito. Mas o Papa e o Imperador aprovaram a eleição. Depois de batizado, foi ordenado sacerdote e logo em seguida Bispo de Milão. Tudo isso no ano de 374.

Providencialmente usou as qualidades de organizador e administrador para o bem da Igreja, podendo assim atuar no campo pastoral, político, doutrinal, litúrgico, ao ponto de merecer o título de grande Doutor e Padre do Cristianismo no Ocidente. Sua figura política ficou marcante, principalmente quando aplicou ao Imperador uma dura penitência pública comum, pois teria Teodósio consentido uma invasão à cidade de Tessalônica, que resultou na morte de muitos. À Imperatriz Justina, que desejou restaurar a estátua da deusa Vitória, opôs-se valentemente enquanto viveu. Santo Ambrósio, como homem de Deus, partilhou sua riqueza material e espiritual com o povo; jejuava sempre; pai carinhoso e tão grande orador que teve papel importante na conversão de Santo Agostinho. Deixou muitos escritos e morreu com 60 anos no ano de 397, após 23 anos de serviço ao seu amado Cristo, com estas palavras: “Não vivi de tal modo que tenha vergonha de continuar vivendo; mas não tenho medo de morrer, porque temos um Senhor que é bom”.

Santo Ambrósio, rogai por nós!