Primeira Leitura (Is 35,1-10)


Leitura do Livro do Profeta Isaías.


1Alegre-se a terra que era deserta e intransitável, exulte a solidão e floresça como um lírio. 2Germine e exulte de alegria e louvores. Foi-lhe dada a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e de Saron; seus habitantes verão a glória do Senhor, a majestade do nosso Deus.


3Fortalecei as mãos enfraquecidas e firmai os joelhos debilitados. 4Dizei às pessoas deprimidas: “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus; é ele que vem para vos salvar”.


5Então se abrirão os olhos dos cegos e se descerrarão os ouvidos dos surdos. 6O coxo saltará como um cervo e se desatará a língua dos mudos, assim como brotarão águas no deserto e jorrarão torrentes no ermo. 7A terra árida se transformará em lago, e a região sedenta, em fontes d’água; nas cavernas onde viviam dragões crescerá o caniço e o junco.


8Ali haverá uma vereda e um caminho; o caminho se chamará estrada santa: por ela não passará o impuro; mas será uma estrada reta em que até os débeis não se perderão. 9Ali não existem leões, não andam por ela animais depredadores, nem mesmo aparecem lá; os que forem libertados poderão percorrê-la, 10os que o Senhor salvou voltarão para casa. Eles virão a Sião cantando louvores, com infinita alegria brilhando em seus rostos: cheios de gozo e contentamento, não mais conhecerão a dor e o pranto”.


Responsório (Sl 84)


— Eis que vem o nosso Deus! Ele vem para salvar.


— Eis que vem o nosso Deus! Ele vem para salvar!


— Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ele vai anunciar; a paz para o seu povo e seus amigos, para os que voltam ao Senhor seu coração. Está perto a salvação dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra.


— A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão; da terra brotará a fidelidade, e a justiça olhará dos altos céus.


— O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos dará suas colheitas; a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus.


Evangelho (Lc 5,17-26)


— O Senhor esteja convosco.


— Ele está no meio de nós.


— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.


— Glória a vós, Senhor.


17Um dia Jesus estava ensinando. À sua volta estavam sentados fariseus e doutores da Lei, vindos de todas as aldeias da Galileia, da Judéia e de Jerusalém. E a virtude do Senhor o levava a curar.   


18Uns homens traziam um paralítico num leito e procuravam fazê-lo entrar para apresentá-lo. 19Mas, não achando por onde introduzi-lo, devido à multidão, subiram ao telhado e por entre as telhas o desceram com o leito no meio da assembleia diante de Jesus. 20Vendo-lhes a fé, ele disse: “Homem, teus pecados estão perdoados”. 21Os escribas e fariseus começaram a murmurar, dizendo: “Quem é este que assim blasfema?” 22Conhecendo-lhes os pensamentos, Jesus respondeu, dizendo: “Por que murmurais em vossos corações? 23O que é mais fácil dizer: ‘teus pecados estão perdoados’, ou dizer: ‘levanta-te e anda’? 24Pois, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder de perdoar pecados — disse ao paralítico — eu te digo: levanta-te, pega o leito e vai para casa”. 25Imediatamente, diante deles, ele se levantou, tomou o leito e foi para casa, louvando a Deus. 26Todos ficaram fora de si, glorificavam a Deus e cheios de temor diziam: “Hoje vimos coisas maravilhosas!”


Homilia: Jesus tem o poder de nos libertar dos nossos pecados

O Filho do Homem tem na Terra o poder de perdoar os pecados

“Pois, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder de perdoar pecados — disse ao paralítico — eu te digo: levanta-te, pega o leito e vai para casa” (Lucas 5,24).

A graça que vemos hoje é desse paralítico que é levado até Jesus. Jesus, cura esse paralítico pela fé dele e daqueles homens que sobem pelo telhado para fazerem com que ele fique com Jesus, para que seja curado e para que se levante.

Veja, o que Jesus faz em primeiro lugar é perdoar os pecados desse homem, porque algumas pessoas acham que Deus nos cura de uma forma mágica quando, na verdade, Ele nos levanta daquilo que nos prostra, daquilo que nos paralisa e nos mantêm presos, escravos ou cativos a esse mundo.

Nada mais nos escraviza e nos paralisa na vida do que os nossos próprios pecados. Aliás, a grande paralisia da vida humana é a pessoa não ter mais capacidade para reconhecer os próprios pecados, chega num estado de acomodação, de conformidade com o que é errado que a pessoa nem toma consciência do que é pecado. Talvez ela até possa ter a consciência de que está pecando, mas não consegue sair ou já se entregou de tal forma que a sua vida espiritual paralisou.

Não crescemos na relação com Deus, não crescemos na santidade, se não nos libertarmos da escravidão do pecado. Não somos capazes por nós mesmos de nos libertarmos do pecado porque não temos o poder de perdoar os nossos pecados, o que temos é a condição de nos arrependermos deles; temos a condição de reconhecê-los, mas o Filho do Homem tem na Terra o poder de perdoar os pecados.

Precisamos entender que perdoar os pecados não é aquela simples situação de duas pessoas se desentenderem: “Perdoe-me”, e o outro nos perdoa. É muito mais do que isso, porque o pecado traz suas consequências, ele deixa marcas em nós e nos outros. O pecado destrói a nossa relação, a nossa proximidade e intimidade com Deus. O pecado nos rebaixa, nos humilha e não podemos negar que nos paralisa.

Deus nos quer de pé, por isso Ele quer perdoar os nossos pecados, mas precisamos nos arrepender deles.

Neste tempo de graça, onde muitos estão se preparando para as festas, estão arrumando a casa, organizando isso e aquilo, não deixe de fazer o essencial. É essencial para esse tempo de graça um bom, um verdadeiro, um autêntico exame de consciência onde vamos rever nossas posições, nossas posturas, atitudes, o que fazemos, falamos e pensamos, vamos reconhecer onde falhamos de verdade e suplicar com todo ardor do nosso coração a misericórdia e o perdão de Deus.

Deus quer tirar a nossa vida da paralisia, Ele faz isso quando nos libertamos de nós, dos nossos pecados e deixamos a sua graça nos renovar.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

São Melquíades, grande defensor da fé

Hoje nos deixamos atingir pela santidade de vida de um Papa que buscou no Pastor Eterno e Universal toda a graça que necessitava para ser fiel num tempo de transição da Igreja. São Melquíades, de origem africana, fez parte do Clero Romano, até que em 310 faleceu o Papa Eusébio e foi eleito sucessor de São Pedro.

No período de seu governo, Melquíades sofreu com a perseguição aos cristãos pelo Imperador Máximo. Esta perseguição só teve um descanso quando Constantino venceu Máximo na histórica batalha em Roma (312) a qual atribuiu ao Deus dos cristãos. Com isto, surgiu o Edito de Milão em 313, concedendo a liberdade religiosa; assim, São Melquíades passou do Papa da perseguição para o Papa da liberdade dos cristãos.

Durante os quatro anos de seu Pontificado, as piores ameaças nasceram no interior da Igreja com os hereges. São Melquíades foi grande defensor da Fé, por isso combateu principalmente o Donatismo, que contestava a legitimação da eleição dos ministros de Deus e fanaticamente se substituía a qualquer autoridade.

Aproveitou Melquíades, a liberdade religiosa para organizar as sedes paroquiais em Roma e recuperar os bens da Igrejas perdidos durante a perseguição. São Melquíades através da Eucaristia semeou a unidade da Igreja de Roma com as demais igrejas. Entrou no céu em 314 e foi enterrado na Via Ápia, no cemitério de Calisto. Do Doutor Santo Agostinho, São Melquíades recebeu o seguinte reconhecimento: “Verdadeiro filho da paz, verdadeiro pai dos cristãos”.

São Melquíades, rogai por nós!