Primeira Leitura (Gl 3,1-5)


Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas.


1Ó gálatas insensatos, quem é que vos fascinou? Diante de vossos olhos, não foi acaso representado, como que ao vivo, Jesus Cristo crucificado? 2Só isto quero saber de vós: Recebestes o Espírito pela prática da Lei ou pela fé através da pregação? 3Sois assim tão insensatos? A ponto de, depois de terdes começado pelo espírito, quererdes terminar pela carne? 4Foi acaso em vão que sofrestes tanto? Se é que foi mesmo em vão!


5Aquele que vos dá generosamente o Espírito e realiza milagres entre vós, faz isso porque praticais a Lei ou porque crestes, através da pregação?


Responsório (Lc 1,69-75)


— Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!


— Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!


— Fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos.


— Para salvar-nos do poder dos inimigos e da mão de todos quantos nos odeiam. Assim mostrou misericórdia a nossos pais, recordando a sua santa Aliança.


— E o juramento a Abraão, nosso pai, de conceder-nos que, libertos do inimigo, a ele nós sirvamos sem temor em santidade e em justiça diante dele, enquanto perdurarem nossos dias.


Evangelho (Lc 11,5-13)


— O Senhor esteja convosco.


— Ele está no meio de nós.


— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.


— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 5“Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: ‘Amigo, empresta-me três pães, 6porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’, 7e se o outro responder lá de dentro: ‘Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães’; 8eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário. 9Portanto, eu vos digo: pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. 10Pois quem pede recebe; quem procura encontra; e, para quem bate, se abrirá.


11Será que algum de vós que é pai, se o filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? 12Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? 13Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!”


Homilia: O Espírito Santo ilumina as estradas da nossa vida

Mesmo sendo pecadores e frágeis como somos, ainda necessitamos do Espírito Santo, que vem em nosso socorro

“Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!” (Lucas 11,13).

Na escola de oração do Mestre Jesus, aprendemos com Ele a oração da súplica, que está ligada à perseverança e à fé na oração. Perseverar é saber em quem estamos colocando a nossa esperança, em que estamos esperando e confiando.

Sabendo em quem estamos esperando e confiando, temos n’Ele toda fé, toda confiança que uma criança tem no seu pai ou na sua mãe, pois sabe que o pai cuida dele mesmo não sendo o melhor do mundo, mas ele vai ser sempre o pai.

O nosso Pai do Céu é aquele que cuida de nós, a quem podemos pedir qualquer coisa, pois, como bom pai, Ele vai nos conceder [o que pedimos]. É importante entendermos que não é qualquer coisa que vai nos servir, e nem precisamos de qualquer coisa, precisamos do Espírito Santo!

O maior dom, a maior dádiva, o maior presente que o Pai pode nos dar é Seu Espírito. Por que precisamos do Espírito Santo? Porque Ele estava com Jesus, e O iluminou, guiou e direcionou. É do Espírito que precisamos para iluminar, dirigir e governar a nossa vida.

Estamos, muitas vezes, perdidos na estrada. Para que nos encontremos no caminho da vida, precisamos da luz do Alto. Por isso, peçamos o Espírito Santo. Mesmo sendo pecadores e frágeis como somos, ainda necessitamos do Espírito que vem em nosso socorro, em nosso auxílio, em socorro da nossa pobreza, que direciona o nosso caminho e ilumina as estradas da nossa vida.

Com todo amor do nosso coração, que, na nossa oração de cada dia, não falte a súplica ao Espírito de Amor, que o Pai nos conceda em abundância os dons do Seu Espírito, para que a graça de Deus ilumine e direcione os nossos passos.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

Santo Alexandre Sauli - Bispo da Igreja de Aléria

Santo Alexandre Sauli nasceu em Milão no ano de 1530. Desde a infância foi cumulado com as mais abundantes bênçãos do céu. Consagrou-se sem reserva ao serviço de Deus na Congregação dos Barnabitas. Entregou-se com zelo ao ministério da Palavra e da Reconciliação, mortificando o corpo com a fadiga dos trabalhos e vigílias; e nem o cargo de professor de Filosofia e Teologia na Universidade de Pavia, fez Alexandre abandonar o ministério da Palavra e do Confessionário. Comunidades inteiras se colocaram sob a sua direção espiritual para aprender de tão abalizado mestre os meios para chegar à perfeição.

Ainda não tinha 32 anos quando foi eleito Superior Geral da Ordem. A capacidade com que desempenhou este cargo deu novo esplendor ao Instituto. Foi nomeado Bispo da Igreja de Aléria, na Ilha de Córsega, em 1570 pelo Papa Pio V.

O novo Bispo, apenas sagrado por São Carlos Borromeo, partiu com três padres da sua Ordem para o rebanho que o Senhor lhe confiara. Chegando em Aléria, encontrou nesta diocese inúmeras dificuldades: por toda a parte teve de cortar abusos, abolir costumes escandalosos, fundar igrejas e levantar as que estavam em ruínas, e prover à decência do culto. Necessitou de estabelecer colégios e fundar seminários onde se pudesse formar a juventude. Seus constantes trabalhos não lhe impediam os jejuns contínuos e a rigorosa abstinência. Apesar de seus poucos rendimentos, o santo Bispo não deixava de dar esmolas abundantes.

A veneração em que era tido o santo apóstolo de Córsega, levou as cidades de Trotona e de Gênova a pedi-lo para seu pastor, mas ele de modo nenhum queria deixar a sua primeira diocese, à qual tinha profunda afeição. No entanto, em 1591, teve de obedecer às ordens do Papa Gregório XIV, que o nomeou Bispo de Pavia. Uma vez ali, Santo Alexandre empreendeu logo a visita da sua nova diocese.

Contudo, Santo Alexandre adoeceu gravemente vindo a falecer a 11 de outubro de 1592. Atestaram a sua santidade diferentes milagres. Foi beatificado em 1741 pelo Papa Bento XIV e canonizado em 1904 por São Pio X.

Santo Alexandre Sauli, rogai por nós!