Antífona de Entrada:
A cruz de nosso Senhor Jesus Cristo deve ser a nossa glória: nele está nossa vida e ressurreição; foi ele que nos salvou e libertou. (Cf. Gl 6, 14)

Oração do Dia:
Ó Deus, que, para salvar a todos dispusestes que o vosso Filho morresse na cruz, a nós que conhecemos na terra este mistério, dai-nos colher no céu os frutos da redenção. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Primeira Leitura (Nm 21, 4b-9)


Leitura do Livro dos Números


Naqueles dias, 4bos filhos de Israel partiram do monte Hor, pelo caminho que leva ao mar Vermelho, para contornarem o país de Edom. Durante a viagem, o povo começou a impacientar-se, 5e se pôs a falar contra Deus e contra Moisés, dizendo: “Por que nos fizestes sair do Egito para morrermos no deserto? Não há pão, falta água, e já estamos com nojo desse alimento miserável”. 6Então o Senhor mandou contra o povo serpentes venenosas, que os mordiam; e morreu muita gente em Israel. 7O povo foi ter com Moisés e disse: “Pecamos, falando contra o Senhor e contra ti. Roga ao Senhor que afaste de nós as serpentes”. Moisés intercedeu pelo povo, 8e o Senhor respondeu: “Faze uma serpente de bronze e coloca-a como sinal sobre uma haste; aquele que for mordido e olhar para ela viverá”. 9Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste. Quando alguém era mordido por uma serpente, e olhava para a serpente de bronze, ficava curado.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Ou:


Primeira Leitura (Fl 2, 6-11)


Leitura da Carta de São Paulo Apóstolo aos Filipenses


6Jesus Cristo, existindo em condição divina, não fez do ser igual a Deus uma usurpação, 7mas ele esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e tornando-se igual aos homens. Encontrado com aspecto humano, 8humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz.

9Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o Nome que está acima de todo nome. 10Assim, ao nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e abaixo da terra, 11e toda língua proclame: “Jesus Cristo é o Senhor” — para a glória de Deus Pai.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 77)


R. Das obras do Senhor, ó meu povo, não te esqueças!


— Escuta, ó meu povo, a minha Lei, ouve atento as palavras que eu te digo; abrirei a minha boca em parábolas, os mistérios do passado lembrarei. R.

— Quando os feria, eles então o procuravam, convertiam-se, correndo para ele; recordavam que o Senhor é sua rocha e que Deus, seu redentor, é o Deus altíssimo. R.

— Mas apenas o honravam com seus lábios e mentiam ao Senhor com suas línguas; seus corações enganadores eram falsos e, infiéis, eles rompiam a Aliança. R.

— Mas o Senhor, sempre benigno e compassivo, não os matava e perdoava seu pecado; quantas vezes dominou a sua ira e não deu largas à vazão de seu furor. R.

 


R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos, porque pela cruz remistes o mundo! R.


Evangelho (Jo 3, 13-17)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo João 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 13“Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. 14Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna.

16Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Exaltemos a Santa Cruz de Jesus

“Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna” (João 3,14-15).

Hoje, temos a graça de celebrarmos a Exaltação da Santa Cruz. É uma festa que diz muito da nossa fé, porque seguimos Cristo Crucificado. Recorda-nos Paulo quando escreveu aos Coríntios que o Cristo Crucificado é escândalo para os judeus, é loucura para os gentios, mas para nós é o poder de Deus.

Muitas vezes, estamos ignorando o Cristo Crucificado; muitas vezes, não nos voltamos para Aquele que deu a Sua vida por nós na cruz. A cruz pela cruz não salva ninguém, mas o Cristo Crucificado na cruz transformou a maldição da cruz na bênção que salva o mundo inteiro.

Algumas pessoas estranham: “Jesus não ressuscitou”. Até por uma mentalidade protestante errada dizem: “Não pode ter na Igreja o Cristo pregado”.  Pregamos o Cristo Crucificado, Ele ressuscitou, mas não podemos, de forma nenhuma, negar, omitir a Sua morte redentora, o preço do amor que Deus pagou para nos resgatar e nos salvar.

O Cristo Crucificado não está na cruz sofrendo novamente, não é essa mentalidade infantil, mas Ele fez um ato sublime e eterno de salvação por todos nós, e esse ato precisa ser a todo momento reconhecido, venerado, adorado, aclamado, proclamado e exaltado, e por isso estamos hoje exaltando a cruz redentora, a cruz da nossa vitória e libertação.

É necessário, mais do que nunca, exaltar a Santa Cruz, o mistério de Cristo na cruz

Mais do que nunca, carreguemos no peito, em nossos lares, no carro e onde estamos, a vitória do Cristo Crucificado. Coloquemos em nossas Igrejas – às vezes, estranho uma Igreja que entro, procuro de um lado para outro onde está o Crucificado, o meu Deus amado, o meu Deus que deu na cruz Sua maior prova de amor por mim.

Quando me volto para Cristo Crucificado, não é para ter pena d’Ele, pelo contrário, é para Ele ter pena e compaixão de mim, permitir que aquilo que Ele viveu na intensidade da cruz se realize na minha vida a cada dia.

Volto-me para Cristo Crucificado, para que os frutos da redenção de Jesus, da morte redentora de Cristo estejam na minha vida. Não anulemos, não ignoremos por ignorância de outros o mistério redentor do Cristo Crucificado, pelo contrário, é necessário, mais do que nunca, exaltar a Santa Cruz, o mistério de Cristo na cruz, proclamar para esse mundo que ignora Deus, que o meu Deus morreu por mim na cruz; proclamar para “A”, para “B” e para mim, acima de tudo, o grito de amor de Jesus na cruz, o tamanho do amor que Deus tem por mim.

Ele deu Sua vida por mim, deu Sua vida para me resgatar, nenhum filho é capaz de esquecer do pai que morreu por ele. Não posso jamais me esquecer ou ignorar o meu Deus, meu Senhor Jesus que na cruz deu a Sua vida por mim.

Exaltada seja a Santa Cruz, exaltado seja Cristo Crucificado que deu a Sua vida para me salvar.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Festa da Exaltação da Santa Cruz

Não, Deus não abandonou seu Filho na cruz; fomos nós que O abandonamos, arrebatando-O por um julgamento iníquo, tratando-O como escória, homem das dores, como aqueles diante dos quais se cobre o rosto. Mas Ele, cuja imensa caridade não conhece limite, tomou sobre si o peso desses sofrimentos a fim de nos salvar e, erguido no madeiro redentor como sinal diante das nações, demonstrar que Deus amou tanto o mundo, que não recusou entregar seu próprio Filho unigênito, para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta segunda-feira, 14 de setembro, e peçamos a Deus a graça de, iluminados pela fé, sabermos enxergar atrás do suplício da cruz essa tão grande e tão admirável dignação da divina misericórdia para conosco!





Santo do Dia:

Exaltação da Santa Cruz

Nos reunimos com todos os santos, neste dia, para exaltar a Santa Cruz, que é fonte de santidade e símbolo revelador da vitória de Jesus sobre o pecado, a morte e o demônio; também na Cruz encontramos o maior sinal do amor de Deus, por isso : "Nós, porém, pregamos um Messias crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os pagãos " (I Cor 1,23).

Esta festividade está ligada à dedicação de duas importantes basílicas construídas em Jerusalém por ordem de Constantino, filho de Santa Helena. Uma, construída sobre o Monte do Gólgota e outra, no lugar em que Cristo Jesus foi sepultado e ressuscitado pelo poder de Deus. A dedicação destas duas basílicas remonta ao ano 335, quando a Santa Cruz foi exaltada ou apresentada aos fiéis. Encontrada por Santa Helena, foi roubada pelos persas e resgatada pelo imperador Heráclio.

Graças a Deus a Cruz está guardada na tradição e no coração de cada verdadeiro cristão, por isso neste dia, a Igreja nos convida a rezarmos: "Do Rei avança o estandarte, fulge o mistério da Cruz, onde por nós suspenso o autor da vida, Jesus. Do lado morto de Cristo, ao golpe que lhe vibravam, para lavar meu pecado o sangue e a água jorravam. Árvore esplêndida bela de rubra púrpura ornada dos santos membros tocar digna só tu foste achada". "Viva Jesus! Viva a Santa Cruz!"

Santa Cruz, sede a nossa salvação!

 


Oração sobre as Oferendas:
Purifique-nos de todas as faltas, ó Deus, este santo sacrifício que, oferecido no altar da cruz, tirou o pecado do mundo. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona de Comunhão:
Quando eu for exaltado da terra, diz o Senhor, atrairei a mim todas as coisas. (Jo 12, 32)

Oração depois da Comunhão:
Senhor Jesus Cristo, alimentados em vossa santa ceia, nós vos pedimos leveis à glória da ressurreição os que salvastes pela árvore da Cruz que nos trouxe a vida. Vós, que viveis e reinais para sempre.