Primeira Leitura (At 20,17-27)


Leitura dos Atos dos Apóstolos.


Naqueles dias, 17de Mileto, Paulo mandou um recado a Éfeso, convocando os anciãos da Igreja. 18Quando os anciãos chegaram, Paulo disse-lhes: “Vós bem sabeis de que modo me comportei em relação a vós, durante todo o tempo, desde o primeiro dia em que cheguei à Ásia. 19Servi ao Senhor com toda a humildade, com lágrimas e no meio das provações que sofri por causa das ciladas dos judeus.


20Nunca deixei de anunciar aquilo que pudesse ser de proveito para vós, nem de vos ensinar publicamente e também de casa em casa. 21Insisti, com judeus e gregos, para que se convertessem a Deus e acreditassem em Jesus nosso Senhor.


22E agora, prisioneiro do Espírito, vou para Jerusalém sem saber o que aí me acontecerá. 23Sei apenas que, de cidade em cidade, o Espírito Santo me adverte, dizendo que me aguardam cadeias e tribulações. 24Mas, de modo nenhum, considero a minha vida preciosa para mim mesmo, contanto que eu leve a bom termo a minha carreira e realize o serviço que recebi do Senhor Jesus, ou seja, testemunhar o Evangelho da graça de Deus.


25Agora, porém, tenho a certeza de que vós não vereis mais o meu rosto, todos vós entre os quais passei anunciando o Reino. 26Portanto, hoje dou testemunho diante de todos vós: eu não sou responsável se algum de vós se perder, 27pois não deixei de vos anunciar todo o projeto de Deus a vosso respeito”.


Responsório (Sl 67)


— Reinos da terra, cantai ao Senhor.


— Reinos da terra, cantai ao Senhor.


— Derramastes lá do alto uma chuva generosa, e vossa terra, vossa herança, já cansada, renovastes; e ali vosso rebanho encontrou sua morada; com carinho preparastes essa terra para o pobre.


— Bendito seja Deus, bendito seja cada dia, o Deus da nossa salvação, que carrega os nossos fardos! Nosso Deus é um Deus que salva, é um Deus libertador; o Senhor, só o Senhor, nos poderá livrar da morte!


Evangelho (Jo 17,1-11a)


— O Senhor esteja convosco.


— Ele está no meio de nós.


— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.


— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 1Jesus ergueu os olhos ao céu e disse: “Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique a ti, 2e, porque lhe deste poder sobre todo homem, ele dê a vida eterna a todos aqueles que lhe confiaste.


3Ora, a vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e àquele que tu enviaste, Jesus Cristo. 4Eu te glorifiquei na terra e levei a termo a obra que me deste para fazer. 5E agora, Pai, glorifica-me junto de ti, com a glória que eu tinha junto de ti antes que o mundo existisse.


6Manifestei o teu nome aos homens que tu me deste do meio do mundo. Eram teus, e tu os confiaste a mim, e eles guardaram a tua palavra. 7Agora eles sabem que tudo quanto me deste vem de ti, 8pois dei-lhes as palavras que tu me deste, e eles as acolheram, e reconheceram verdadeiramente que eu saí de ti e acreditaram que tu me enviaste.


9Eu te rogo por eles. Não te rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. 10Tudo o que é meu é teu e tudo o que é teu é meu. E eu sou glorificado neles. 11aJá não estou no mundo, mas eles permanecem no mundo, enquanto eu vou para junto de ti”.


Homilia: Tenhamos comunhão com o Pai

Que a nossa oração seja cada vez mais íntima e profunda, que manifeste o quanto queremos ter comunhão com nosso Deus

A oração que brota do coração de Jesus, a oração que vem da Sua alma glorifica e bendiz o Pai maravilhoso e amoroso que cuida de Seus filhos. Jesus está exaltando e glorificando o Seu Pai amado.

A oração só é verdadeira quando tiramos toda a glória que paira sobre nós, sobre os nossos pensamentos, pois toda a glória que queremos para nós devemos dar somente para Ele. Ao Senhor toda honra, todo o poder e exaltação. Que nossa oração de cada dia seja para exaltar, glorificar e bendizer aquele que é o Senhor Nosso Deus.

Jesus está pedindo que nós, Seus discípulos, conheçamos e saboreemos o sentido do que é, de fato, a vida eterna, pois ela não é morrer e ir para o Céu, mas a consequência da vida que levamos na Terra. A vida eterna é conhecer o Deus verdadeiro. Não precisamos morrer para conhecer o Pai, porque pode ser uma grande decepção não O conhecermos depois de mortos, se não O conhecermos agora na vida.

Como conhecemos o Pai? Quando mergulhamos n’Ele, quando criamos uma relação de comunhão com Ele. A vida de Jesus era de comunhão com Seu Pai. E o que é a comunhão senão o coração na sintonia, palpitando com o coração do Pai? O que é senão nos rendermos daquilo que somos, queremos e pretendemos, para termos a vida n’Ele?

A vida eterna é conhecer o Deus verdadeiro, é abandonar tudo aquilo que temos em nós de deuses ou aquilo que os deuses desse mundo deixaram em nós, para nos rendermos somente ao Senhor; e assim glorificarmos Seu Filho único, Jesus Cristo, que é nosso Senhor e Salvador.

Abandonemo-nos em Deus, levemos a vida n’Ele. Que a nossa oração seja cada vez mais íntima e profunda, que manifeste o quanto queremos ter comunhão com o nosso Deus maravilhoso, poderoso, que é o nosso Pai, e nós somos Seus filhos.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

Santo Isidro, um homem fiel e de perdão

O santo de hoje nasceu em Madri (Espanha), no ano de 1070.

Ele era lavrador, um camponês. Vocacionado ao matrimônio casou-se com Maria Turíbia e tiveram um filho, o qual perderam ainda cedo.

Vida difícil e sacrificante, Isidoro santificou-se ao aprender a mística de aceitar e oferecer a Deus suas dores. Participava diariamente da Santa Missa e trabalhava para um patrão injusto e impaciente.

Santo Isidro: um homem fiel, de perdão, que numa tremenda enfermidade não se revoltou. Consumiu-se por amor a Deus. Morreu no ano de 1130, em Madri, sendo enterrado sem nenhuma distinção.

Santo Isidro, rogai por nós!