Primeira Leitura (1Rs 19,19-21)


Leitura do Primeiro Livro dos Reis.


Naqueles dias, 19o profeta Elias partiu dali e encontrou Eliseu, filho de Safat, lavrando a terra com doze juntas de bois; e ele mesmo conduzia a última. Elias, ao passar perto de Eliseu, lançou sobre ele o seu manto. 20Então Eliseu deixou os bois e correu atrás de Elias, dizendo: “Deixa-me primeiro ir beijar meu pai e minha mãe, depois te seguirei”. Elias respondeu: “Vai e volta! Pois que te fiz eu?” 21Ele retirou-se, tomou a junta de bois e os imolou. Com a madeira do arado e da canga assou a carne e deu de comer à sua gente. Depois levantou-se, seguiu Elias e pôs-se a seu serviço.


Responsório (Sl 15)


— O Senhor é a porção da minha herança.


— O Senhor é a porção da minha herança.


— Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! Digo ao Senhor: “Somente vós sois meu Senhor. Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, meu destino está seguro em vossas mãos!”


— Eu bendigo o Senhor, que me aconselha, e até de noite me adverte o coração. Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, pois se o tenho a meu lado não vacilo.


— Eis por que meu coração está em festa, minha alma rejubila de alegria, e até meu corpo no repouso está tranquilo; pois não haveis de me deixar entregue à morte, nem vosso amigo conhecer a corrupção.


Evangelho (Mt 5,33-37)


— O Senhor esteja convosco.


— Ele está no meio de nós.


— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.


— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 33“Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: ‘Não jurarás falso, mas cumprirás os teus juramentos feitos ao Senhor’. 34Eu, porém, vos digo: Não jureis de modo algum: nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35nem pela terra, porque é o suporte onde apoia os seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do Grande Rei. 36Não jures tampouco pela tua cabeça, porque tu não podes tornar branco ou preto um só fio de cabelo. 37Seja o vosso ‘sim’: ‘sim’, e o vosso ‘não’: ‘não’. Tudo o que for além disso vem do Maligno”.


Homilia: A Palavra de Deus nos concede autenticidade de vida

Somos frágeis, mas não podemos deixar que cresça em nós a corrupção da palavra, da autenticidade nem da consciência

“Dizei somente: ‘Sim’, se é sim; 'não, se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno” (Mateus 5,37).

Não precisamos jurar nem nos exaltar para prometer algo a alguém, porque a força da palavra vem pela autenticidade da vida da pessoa. Quando nos acostumamos a contar uma mentira aqui, outra acolá; quando nós temos duas palavras diante de uma mesma realidade; quando, de frente para uma pessoa, dizemos uma coisa, mas na frente de outra pessoa dizemos algo diferente, isso significa que não somos autênticos.

É difícil ou quase impossível confiar em pessoas que não são autênticas. Somos frágeis, temos fragilidades, mas não podemos deixar que cresça em nós a corrupção da palavra, da autenticidade nem da consciência.

O grande mal do mundo em que vivemos são as mentes que se corrompem por qualquer coisa, são pessoas dúbias nas palavras, que se movem por jogo de interesses, e ora dizem uma coisa, ora dizem outra; ora têm esse comportamento, mas, naquela outra realidade, vão ter outro comportamento.

Pessoas corruptas são falsas, e a falsidade é a falta de autenticidade. Nem sempre é fácil [ser autêntico], mas é porque vamos nos acostumando com pequenas mentiras e transformando coisas pequenas, como se elas não tivessem importância. Uma pequena “mentirinha” é uma mentira de qualquer forma; uma coisa que é dita de forma contraditória, enganosa e ilusória, transforma-nos em pessoas falsas.

Comungar com o Senhor é comungar com a verdade. Não podemos ser, nunca, pessoas de duas caras, de duas palavras e dois corações. Que o nosso ‘sim’ seja sim, e que o nosso ‘não’ seja não. Não podemos ser 'sim' para alguém conforme as conveniências, conforme as vantagens que queremos obter aqui e acolá.

Toda a falta de autenticidade, tudo o que é mentiroso é do maligno. Que o nosso 'sim' seja sim, que o nosso 'não' seja não; o que passa disso é diabólico, maldoso, não é do Céu.

Que a Palavra de Deus nos conceda autenticidade de vida.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

São Francisco Régis, fez inúmeras obras sociais

O santo de hoje nasceu no ano de 1597 numa aldeia francesa. Muito cedo recebeu a graça de ser despertado para o chamado a santidade. Quando Francisco foi estudar no colégio dos Jesuítas, formou um grupo de rapazes dispostos a viverem o Evangelho. Ao entrar para a Companhia de Jesus, que fazia um lindo trabalho missionário, conseguiu ele ser exemplar em todas as etapas de sua formação que desembocou no exercício do ministério sacerdotal. Como padre priorizou a assistência aos doentes atingidos por uma peste crescente e desejou evangelizar as terras da América, Índia – coisa que não aconteceu – já que foi enviado para uma região desassistida da França.

Francisco Régis buscava evangelizar as aldeias durante o inverno e, no verão as cidades, nestes lugares colocava todo o seu zelo nos púlpitos, confessionários e nos atendimentos aos doentes. Aconteceu que, impelido pelo Espírito da Caridade, fez inúmeras obras sociais visando as crianças abandonadas e os jovens, isto perdurou até completar 45 anos, quando pôde dizer: “Que felicidade poder morrer, pois vejo Jesus e Maria vindo ao meu encontro para me conduzir à terra dos eleitos”.

São Francisco Régis, rogai por nós!