Antífona de Entrada:
Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me. (Sl 16, 6.8)

Oração do Dia:
Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor e vos servir de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Primeira Leitura (Is 45, 1. 4-6)


Leitura do Livro do profeta Isaías

1Isto diz o Senhor sobre Ciro, seu Ungido: “Tomei-o pela mão para submeter os povos ao seu domínio, dobrar o orgulho dos reis, abrir todas as portas à sua marcha, e para não deixar trancar os portões.

4Por causa de meu servo Jacó, e de meu eleito Israel, chamei-te pelo nome; reservei-te, e não me reconheceste. 5Eu sou o Senhor, não existe outro: fora de mim não há deus. Armei-te guerreiro, sem me reconheceres, 6para que todos saibam, do oriente ao ocidente, que fora de mim outro não existe. Eu sou o Senhor, não há outro”.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 95)


R. Ó família das nações, dai ao Senhor poder e glória!


— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! Manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios! R.

— Pois Deus é grande e muito digno de louvor, é mais terrível e maior que os outros deuses, porque um nada são os deuses dos pagãos. Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus. R.

— Ó família das nações, dai ao Senhor, ó nações, dai ao Senhor poder e glória, dai-lhe a glória que é devida ao seu nome! Oferecei um sacrifício nos seus átrios. R.

— Adorai-o no esplendor da santidade, terra inteira, estremecei diante dele! Publicai entre as nações: “Reina o Senhor! ”, pois os povos ele julga com justiça. R.


Segunda Leitura (1Ts 1, 1-5b)


Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses


1Paulo, Silvano e Timóteo, à Igreja dos tessalonicenses, reunida em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo: a vós, graça e paz! 2Damos graças a Deus por todos vós, lembrando-vos sempre em nossas orações. 3Diante de Deus, nosso Pai, recordamos sem cessar a atuação da vossa fé, o esforço da vossa caridade e a firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo.

4Sabemos, irmãos amados por Deus, que sois do número dos escolhidos. 5bPorque o nosso Evangelho não chegou até vós somente por meio de palavras, mas também mediante a força que é o Espírito Santo; e isso, com toda a abundância.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Como astros no mundo vós resplandeçais, mensagem de vida ao mundo anunciando, da vida Palavra, com fé, proclameis, quais astros luzentes no mundo brilheis. (Cf. Fl 2, 15d. 16a) R.


Anúncio do Evangelho (Mt 22, 15-21)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 15os fariseus fizeram um plano para apanhar Jesus em alguma palavra. 16Então mandaram os seus discípulos, junto com alguns do partido de Herodes, para dizerem a Jesus: “Mestre, sabemos que és verdadeiro e que, de fato, ensinas o caminho de Deus. Não te deixas influenciar pela opinião dos outros, pois não julgas um homem pelas aparências. 17Dize-nos, pois, o que pensas: É lícito ou não pagar imposto a César?”

18Jesus percebeu a maldade deles e disse: “Hipócritas! Por que me preparais uma armadilha? 19Mostrai-me a moeda do imposto!” Levaram-lhe então a moeda.

20E Jesus disse: “De quem é a figura e a inscrição desta moeda?” 21Eles responderam: “De César”. Jesus então lhes disse: “Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Cumpramos o amor de Deus onde quer que estejamos

“Jesus, então, lhes disse: ‘Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus’” (Mateus 22,21).

Para Jesus é muito importante que cada coisa esteja no seu lugar e que, acima de tudo, não deixemos de cumprir nossas obrigações. Nem por causa daquilo que são nossos deveres no mundo e na sociedade, deixemos de amar a Deus; nem porque amamos a Deus, porque a nossa vida é toda d’Ele, deixemos de cumprir nossos deveres, obrigações e responsabilidades.

Precisamos, de fato, sermos coerentes na vida, precisamos testemunhar amando a Deus sobre todas as coisas e cumprindo nossos deveres e responsabilidades na sociedade, no mundo em que estamos.

Em primeiro lugar, amarmos a Deus de todo o nosso coração. Quando amamos a Deus e a primazia do amor d’Ele está em nós, cumprimos para com Deus os nossos deveres. Nosso primeiro dever é de gratidão, de reconhecimento ao amor e a bondade para Aquele que nos criou à Sua imagem e semelhança. A Ele nos voltamos reverentes, a Ele nós adoramos e glorificamos.


Tornemo-nos cristãos cada vez mais conscientes de que o amor a Deus deve guiar nossa vida a cada dia

Não posso imaginar um cristão que não viva uma vida de oração diária, que não tenha o compromisso de orar, de voltar-se para Deus pelo menos três vezes ao dia. Não posso imaginar um cristão, um filho de Deus que, aos domingos, não presta culto ao Senhor, que não guarde o dia do Senhor e, dos sete dias da semana, não reserve um para o culto a Deus; mas reservado de verdade, para estar de coração participando por inteiro, porque, se você vai por obrigação, com a cara amarrada, olhando para o relógio o tempo inteiro, está lá com o corpo na Igreja e com a cabeça em outro lugar, vendo que hora essa Missa vai acabar, porque você tem outras coisas para fazer... Não sei se isso é amor a Deus ou que tipo de amor você presta a Ele.  

Dar a Deus o que é de Deus é dar, é ser justo. É ser justo para Aquele que é puro amor e bondade para comigo. É ser grato, é louva-Lo, bendizê-Lo, glorifica-Lo, é dar ao Senhor todo amor do meu coração.

Um cristão vive e convive em sociedade, ninguém vive neste mundo sozinho. No mundo em que estamos, temos direitos, mas temos deveres e obrigações. Dar a César o que é de César é dar a este mundo o que cabe a esse mundo.

O que me cabe ser neste mundo? Um cidadão responsável e consciente. É muito incoerente alguém ser de Deus, ir para a Igreja, louvar o Senhor, mas não pagar os impostos, fugir das suas obrigações e responsabilidades, cometer fraudes, roubos e enganos. É incoerente ser de Deus e não cumprir com as minhas obrigações. Podemos até discordar, acho que em muitos lugares os pedágios são muito caros, eu posso discordar, mas não posso deixar de pagar. Alguns impostos e coisas do mundo e sociedade em que estamos, nós discordamos, mas não podemos deixar de cumprir nossas obrigações civis e nossas responsabilidades no mundo em que estamos.

Que nos tornemos cristãos cada vez mais conscientes de que o amor a Deus deve guiar nossa vida a cada dia e, com o amor de Deus em primazia na nossa vida, cumprirmos nossos deveres, responsabilidades e sermos bons cidadãos cumprindo o amor de Deus onde quer que estejamos.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


A César só o que é de César, e nada mais

Ao dizer, no Evangelho deste domingo, que é preciso dar a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus, Nosso Senhor nos ensina a não temer os que, mandando nos corpos, poder algum têm sobre nossas almas. Pois as autoridades deste mundo podem nos difamar, constranger, aprisionar, torturar e até matar, mas não nos podem roubar jamais a liberdade interior de dizer “não” ao que quer que contrarie a vontade de Deus — e tampouco o direito que temos de educar na fé os nossos filhos, a fim de que se tornem, mais do que bons súditos do rei, cidadãos do Céu.





Santo do Dia:

São Lucas

Estamos em festa na liturgia da Igreja, pois lembramos a vida e o testemunho do evangelista São Lucas.

Nasceu em Antioquia da Síria, médico de profissão foi convertido pelo apóstolo São Paulo, do qual se tornou inseparável e fiel companheiro de missão. Colaborador no apostolado, o grande apóstolo dos gentios em diversos lugares externa a alta consideração que tinha por Lucas, como portador de zelo e fidelidade no coração. Ambos fazem várias viagens apostólicas, tornando-se um dos primeiros missionários do mundo greco-romano. Tornou-se excepcional para a vida da Igreja por ter sido dócil ao Espírito Santo, que o capacitou com o carisma da inspiração e da vivência comunitária, resultando no Evangelho segundo Lucas e na primeira história da Igreja, conhecida como Atos dos Apóstolos.

No Evangelho segundo Lucas, encontramos o Cristo, amor universal, que se revela a todos e chama Zaqueu, Maria Madalena, garante o Céu para o "bom" ladrão e conta as lindas parábolas do pai misericordioso e do bom samaritano. Nos Atos dos Apóstolos, que poderia também se chamar Atos do Espírito Santo, deparamos com a ascensão do Cristo, que promete o batismo no Espírito Santo, fato que se cumpre no dia de Pentecostes, e é inaugurada a Igreja, que desde então vem evangelizando com coragem, ousadia e amor incansável todos os povos.

Uma tradição - que recolheu no séc. XIV Nicéforo Calisto, inspirado numa frase de Teodoro, escritor do séc. VI - diz-nos que São Lucas foi pintor e fala-nos duma imagem de Nossa Senhora saída do seu pincel. Santo Agostinho, no séc. IV, diz-nos pela sua parte que não conhecemos o retrato de Maria; e Santo Ambrósio, com sentido espiritual, diz-nos que era figura de bondade. Este é o retrato que nos transmitiu São Lucas da Virgem Maria: o seu retrato moral, a bondade da sua alma. O Evangelho de boa parte das Missas de Maria Santíssima é tomado de São Lucas, porque foi ele quem mais longamente nos contou a sua vida e nos descobriu o seu Coração. Duas vezes esteve preso São Paulo em Roma e nos dois cativeiros teve consigo São Lucas, "médico queridíssimo". Ajudava-o no seu apostolado, consolava-o nos seus trabalhos e atendia-o e curava-o com solicitude nos seus padecimentos corporais. No segundo cativeiro, do ano 67, pouco antes do martírio, escreve a Timóteo que "Lucas é o único companheiro" na sua prisão. Os outros tinham-no abandonado. O historiador São Jerônimo afirma que Lucas viveu a missão até a idade de 84 anos, terminando sua vida com o martírio. Por isso, no hino das Laudes rezamos: "Cantamos hoje, Lucas, teu martírio, teu sangue derramado por Jesus, os dois livros que trazes nos teus braços e o teu halo de luz". É considerado o Padroeiro dos médicos, por também ele ter exercido esse ofício, conforme diz São Paulo aos Colossenses (4,14): "Saúda-vos Lucas, nosso querido médico".

São Lucas, rogai por nós!


Oração sobre as Oferendas:
Dai-nos, ó Deus, usar os vossos dons servindo-vos com liberdade, para que, purificados pela vossa graça, sejamos renovados pelos mistérios que celebramos em vossa honra. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona de Comunhão:
Eis que o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria. (Sl 32, 18-19)

Ou:


O Filho do homem veio dar a sua vida para a salvação dos homens. (Mc 10, 45)

Oração depois da Comunhão:
Dai-nos, ó Deus, colher os frutos da nossa participação na Eucaristia para que, auxiliados pelos bens terrenos, possamos conhecer os valores eternos. Por Cristo, nosso Senhor.