Primeira Leitura (Ct 2,8-14)


Leitura do Livro do Cântico dos Cânticos.

8É a voz do meu amado! Eis que ele vem saltando pelos montes, pulando sobre as colinas. 9O meu amado parece uma gazela, ou um cervo ainda novo. Eis que ele está de pé atrás de nossa parede, espiando pelas janelas, observando através das grades. 10O meu amado me fala dizendo: “Levanta-te, minha amada, minha rola, formosa minha, e vem! 11O inverno já passou, as chuvas pararam e já se foram. 12No campo aparecem as flores, chegou o tempo das canções, a rola já faz ouvir seu canto em nossa terra. 13Da figueira brotam os primeiros frutos, soltam perfume as vinhas em flor. Levanta-te, minha amada, formosa minha, e vem! 14Minha rola, que moras nas fendas da rocha, no esconderijo escarpado, mostra-me teu rosto, deixa-me ouvir tua voz! Pois a tua voz é tão doce, e gracioso o teu semblante”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Ou (escolhe-se uma das leituras)

 

Primeira Leitura (Sf 3,14-18a)

Leitura da Profecia de Sofonias.

14Canta de alegria, cidade de Sião; rejubila, povo de Israel! Alegra-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém! 15O Senhor revogou a sentença contra ti, afastou teus inimigos; o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti, nunca mais temerás o mal. 16Naquele dia se dirá a Jerusalém: “Não temas, Sião, não te deixes levar pelo desânimo! 17O Senhor teu Deus está no meio de ti, o valente guerreiro que te salva; ele exultará de alegria por ti, movido por amor; exultará por ti, entre louvores 18acomo nos dias de festa”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 32)


— Ó justos, alegrai-vos no Senhor! Cantai para o Senhor um canto novo!

— Ó justos, alegrai-vos no Senhor! Cantai para o Senhor um canto novo!

— Dai graças ao Senhor ao som da harpa, na lira de dez cordas celebrai-o! Cantai para o Senhor um canto novo, com arte sustentai a louvação!

— Mas os desígnios do Senhor são para sempre, e os pensamentos que ele traz no coração, de geração em geração, vão perdurar. Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, e a nação que escolheu por sua herança.

— No Senhor nós esperamos confiantes, porque ele é nosso auxílio e proteção! Por isso o nosso coração se alegra nele, seu santo nome é nossa única esperança.


Evangelho (Lc 1,39-45)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!” 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45“Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Sejamos portadores da graça de Deus

O essencial é que sejamos portadores da graça de Deus em um mundo tão carente da presença divina

Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia” (Lucas 1,39).

Hoje, contemplamos a Virgem Maria, aquela que se coloca a caminho do serviço do amor. Maria tinha acabado de receber o anúncio do arcanjo Gabriel, anunciando que ela seria a Mãe do Salvador.

Maria não ficou parada em si mesmo, se engrandecendo, se exaltando, pelo contrário, ela foi levar o Deus que estava nela ao encontro do próximo. Quem é o próximo? O próximo é aquele que colocamos em nosso caminho, porque existem aquelas pessoas das quais nos desviamos, aquelas que tiramos do nosso caminho, mas o próximo é aquele que colocamos no caminho para servir, para levarmos Deus até ele.

Quantos, no meio de nós, precisam que sejamos portadores da graça e do amor de Deus. Maria é a porta pela qual o Senhor entrou e permaneceu, mas ela é a porta que se abre para que o Senhor seja conhecido e amado. Ela é a portadora de Deus para os nossos corações.

O nosso coração precisa ser uma porta aberta por onde a graça de Deus entra e possa habitar em nós. O nosso coração precisa ser uma porta aberta para que levemos Deus ao coração dos homens, para que O levemos ao coração do próximo.

Estamos muito ocupados com nossas tarefas, obrigações, correrias da vida, e fico pensando como cada um está correndo para preparar a Ceia de Natal, festa de final de ano, compras, presentes, shopping, lojas e tudo aquilo que se tornou as parafernálias desse final de ano. Muitas vezes, todos esses acontecimentos nos tiram do foco, do essencial e do fundamental.

O essencial não é o presente material que podemos levar a alguém; o essencial é que sejamos portadores da graça de Deus em um mundo tão carente da presença divina.

Sejamos como Maria, saíamos dos nossos lugares, das nossas acomodações e levemos a presença de Deus aos corações sedentos como o nosso do Deus vivo, verdadeiro e real.

O melhor presente que Deus nos deu foi a sua presença real, viva e verdadeira no meio de nós. O melhor presente é sermos presentes na vida do outro, levando o Deus que cremos e está no meio de nós.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

São Pedro Canísio, primeiro jesuíta alemão

São Pedro Canísio nasceu em Nimega, atual Holanda, mas então parte da Alemanha naquele tempo. Isto no ano de 1521. Canísio é a latinização de Kanijs. Seu pai foi prefeito de Nimega e encaminhou seu filho para estudar Direito.

Cursou estudos em Colônia e Lovaina para formar-se como advogado sem, no entanto, descuidar de sua espiritualidade (tendo em vista suas frequentes visitas ao Mosteiro dos Cartuxos). Descobrindo o seu chamado com o auxílio de um padre jesuíta, Pedro Canísio tornou-se o primeiro jesuíta alemão, tendo entrado na Companhia de Jesus em 1543. Recebeu a ordenação sacerdotal três anos mais tarde. Nesse mesmo ano publicou as obras de S. Cirilo de Alexandria, sendo o primeiro livro mandado imprimir por um jesuíta. Foi teólogo do Concílio de Trento e um grande pregador e professor. Exerceu a sua docência sobretudo em Inglostad, Viena, Augsburgo, Innsbruk e Munique. Organizou a sua Ordem na Alemanha, fazendo dela o instrumento valioso para a reforma católica contra o protestantismo. Foi um dos iniciadores da imprensa católica.

Profundo devoto da Santíssima Virgem, Pedro Canísio foi conselheiro de Príncipes, Núncios e Papas. Das 36 obras que compôs, as mais célebres são os seus três Catecismos (1555-1556 e 1558), largamente difundidos por toda a cristandade até o século XIX. O denominado “Catecismo Mayor”, em 221 perguntas e respostas, alcançou pelo menos 130 edições. O Papa Leão XIII chamou-lhe mesmo o “segundo Apóstolo da Alemanha, depois de S. Bonifácio”.

Faleceu em Friburgo, na Suíça, a 21 de dezembro de 1597. O Papa Pio XI canonizou-o a 21 de maio de 1925, declarando-o ao mesmo tempo Doutor da Igreja.

São Pedro Canísio, rogai por nós!