Antífona de entrada

Nascerá para nós um pequenino: ele será chamado Deus e Forte; nele serão abençoados todos os povos da terra. (Is 9, 6; Sl 71, 17)

Oração do dia

Deus eterno e todo-poderoso, ao aproximar-nos do Natal do vosso filho, concedei-nos obter a misericórdia do Verbo, que se encarnou no seio da Virgem e quis viver entre nós. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Ml 3, 1-4. 23-24)


Leitura da Profecia de Malaquias


Assim fala o Senhor Deus: 1“Eis que envio meu anjo, e ele há de preparar o caminho para mim; logo chegará ao seu templo o Dominador, que tentais encontrar, e o anjo da aliança, que desejais.

Ei-lo que vem, diz o Senhor dos exércitos; 2e quem poderá fazer-lhe frente, no dia de sua chegada? E quem poderá resistir-lhe, quando ele aparecer? Ele é como o fogo da forja e como a barrela dos lavadeiros; 3e estará a postos, como para fazer derreter e purificar a prata: assim ele purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata, e eles poderão assim fazer oferendas justas ao Senhor.

4Será então aceitável ao Senhor a oblação de Judá e de Jerusalém, como nos primeiros tempos e nos anos antigos. 23Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o dia do Senhor, dia grande e terrível; 24o coração dos pais há de voltar-se para os filhos, e o coração dos filhos para seus pais, para que eu não intervenha, ferindo de maldição a vossa terra”.

Salmo Responsorial (Sl 24)


R. Levantai vossa cabeça e olhai, pois a vossa redenção se aproxima!


— Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, e fazei-me conhecer a vossa estrada! Vossa verdade me oriente e me conduza, porque sois o Deus da minha salvação! R.

— O Senhor é piedade e retidão, e reconduz ao bom caminho os pecadores. Ele dirige os humildes na justiça, e aos pobres ele ensina o seu caminho. R.

— Verdade e amor são os caminhos do Senhor para quem guarda sua Aliança e seus preceitos. O Senhor se torna íntimo aos que o temem e lhes dá a conhecer sua Aliança. R.


Aclamação ao Evangelho

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Ó Rei e Senhor das nações e Pedra angular da Igreja, vinde salvar a mulher e o homem, que, um dia, formastes do barro. R.

Evangelho (Lc 1, 57-66)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Lucas 

R. Glória a vós, Senhor.


V. 57Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. 58Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. 59No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60A mãe porém disse: “Não! Ele vai chamar-se João”. 61Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” 62Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse.

63Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. 64No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. 65Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Judeia. 66E todos os que ouviam a notícia, ficavam pensando: “O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele.

Sobre as Oferendas

Ó Deus, que esta oblação, pela qual vos prestamos um culto perfeito, restabeleça nossa amizade convosco, para que possamos celebrar de coração purificado o nascimento do nosso Redentor. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir, eu entrarei e cearemos junto. (Ap 3, 20)

Depois da Comunhão

Ó Deus, concedei a vossa paz aos nossos corações que acabastes de saciar com o pão dos céus, para que possamos esperar com lâmpadas acesas a chegada do vosso Filho que se aproxima. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 23/12/2020
Entoemos um louvor de gratidão ao Senhor

“Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: ‘João é o seu nome’. No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus” (Lucas 1,63).

Estamos, praticamente, às vésperas de celebrar o Natal de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Precedendo o nascimento de Jesus, contemplamos o nascimento de João Batista, daquele menino que vem para ser um prodígio no meio de nós, aquele menino que vem para ser aquele que vai preparar os caminhos do Senhor.

O que celebramos hoje é a vida de João, aquele que ele vai apontar Jesus como nosso Senhor e Salvador. Zacarias, seu pai, que até então estava mudo, agora soltou a sua língua para louvar, bendizer, adorar e glorificar o Senhor Nosso Deus.

A vida é vida em Deus quando ela se enche de louvor e gratidão ao Senhor, reconhecendo as maravilhas que Ele realiza em nosso meio. Por isso, é muito importante que entoemos sempre em nossa boca e em nosso coração um hino de louvor e glória ao Senhor Nosso Deus, que nos libertou, livrou-nos de todo o mal e enviou-nos o Seu Filho como nosso Salvador.

Permita que o seu Natal seja louvor; permita que a sua noite natalina seja de gratidão

Celebremos a Noite Santa do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo com muito louvor e gratidão no coração, e que nenhuma outra coisa ocupe nosso coração – nem os excessos, as preocupações, as festas, as bebidas, as comidas, os presentes – pois tudo é muito relativo e secundário perto daquilo que é o essencial: Jesus que está no meio de nós.

Permitamos que o Natal seja de louvor; permitamos que a noite natalina seja de gratidão; permitamos que, durante estes dias, um dia de louvor tome conta do nosso ser. Celebremos Jesus no meio de nós soltando a nossa língua como soltou João Batista.

Muitas vezes, soltamos a língua para maldizer, reclamar, murmurar, soltamos a nossa língua para falar da vida dos outros, mas aquele que experimenta a salvação que Jesus trouxe, usa a sua língua para louvar, bendizer, adorar e glorificar a presença d'Ele no meio de nós.

Tudo o que posso desejar a você é que celebremos o nascimento do Divino Salvador com toda gratidão no coração, exaltando e exultando o coração de alegria no Senhor, porque Deus está no meio de nós, e tudo isso é suficiente para que o nosso coração se alegre, rejubile-se e irrompa no nosso ser um hino de louvor e gratidão ao Senhor.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

A “gestação” de Zacarias

Enquanto Isabel, durante nove meses, gerava em seu ventre o Precursor de Cristo, Zacarias, em todo esse tempo, ia gestando em sua alma o coração humilde e obediente que, no Templo de Jerusalém, ele não soube sacrificar a Deus junto com o incenso. Será apenas no nascimento do filho que ele, curado enfim da mudez, poderá dizer: “João é seu nome”, isto é, “Deus é graça” e, por isso, tudo é graça para os que a Ele se confiam.Assista à homilia do Pe. Paulo Ricardo para esta quarta-feira, dia 23 de dezembro, e meditemos juntos mais uma página do santo Evangelho!




Santo do dia 23/12/2020

São João Câncio

João nasceu em Kety, na diocese de Cracóvia, Polônia, em 1390; estudou na Cracóvia e foi ordenado sacerdote. Durante muitos anos foi professor da Universidade de Cracóvia; depois foi pároco de Ilkus. À fé que ensinava uniu grandes virtudes, sobretudo a piedade e a caridade para com o próximo, tornando-se um modelo insigne para seus colegas e discípulos.

Enquanto nas regiões vizinhas pululavam as heresias e os cismas, o bem-aventurado João ensinava na Universidade de Cracóvia a doutrina haurida da mais pura fonte, e explicava ao povo com muito empenho, em seus sermões, o caminho da santidade, confirmando a pregação com o exemplo da sua humildade, castidade, misericórdia, penitência e todas as outras virtudes próprias de um santo sacerdote e de um zeloso ministro do Senhor. Ao longo do dia, uma vez cumprido o seu dever de ensinar, dirigia-se diretamente à igreja, onde durante muito tempo se entregava à oração e à contemplação diante de Cristo na Eucaristia.

Tanto nas pequenas como nas grandes adversidades, João teve sempre em mente algo de bem superior ao prestígio, à carreira e ao bem-estar materiais: "Mais para o alto!" repetia sempre. Em todas as circunstâncias, só tinha Deus no seu coração, só tinha Deus na sua boca.

Morreu em Cracóvia, com a idade de oitenta e três anos, no ano de 1473.

São João Câncio, rogai por nós!