Primeira Leitura (At 15,1-2.22-29)


Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Naqueles dias, 1chegaram alguns da Judeia e ensinavam aos irmãos de Antioquia, dizendo: “Vós não podereis salvar-vos, se não fordes circuncidados, como ordena a Lei de Moisés”.

2Isto provocou muita confusão, e houve uma grande discussão de Paulo e Barnabé com eles. Finalmente, decidiram que Paulo, Barnabé e alguns outros fossem a Jerusalém, para tratar dessa questão com os apóstolos e os anciãos.

22Então os apóstolos e os anciãos, de acordo com toda a comunidade de Jerusalém, resolveram escolher alguns da comunidade para mandá-los a Antioquia, com Paulo e Barnabé. Escolheram Judas, chamado Bársabas, e Silas, que eram muito respeitados pelos irmãos.

23Através deles enviaram a seguinte carta: “Nós, os apóstolos e os anciãos, vossos irmãos, saudamos os irmãos vindos do paganismo e que estão em Antioquia e nas regiões da Síria e da Cilícia. 24Ficamos sabendo que alguns dos nossos causaram perturbações com palavras que transtornaram vosso espírito. Eles não foram enviados por nós.

25Então decidimos, de comum acordo, escolher alguns representantes e mandá-los até vós, junto com nossos queridos irmãos Barnabé e Paulo, 26homens que arriscaram suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. 27Por isso, estamos enviando Judas e Silas, que pessoalmente vos transmitirão a mesma mensagem. 28Porque decidimos, o Espírito Santo e nós, não vos impor nenhum fardo, além destas coisas indispensáveis: 29abster-se de carnes sacrificadas aos ídolos, do sangue, das carnes de animais sufocados e das uniões ilegítimas. Vós fareis bem se evitardes essas coisas. Saudações!”


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 66)


— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem!

— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem!

— Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção,/ e sua face resplandeça sobre nós!/ Que na terra se conheça o seu caminho/ e a sua salvação por entre os povos.

— Exulte de alegria a terra inteira,/ pois julgais o universo com justiça;/ os povos governais com retidão,/ e guiais, em toda a terra, as nações.

— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor,/ que todas as nações vos glorifiquem!/ Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe,/ e o respeitem os confins de toda a terra!


Segunda Leitura (Ap 21,10-14.22-23)


Leitura do Livro do Apocalipse de São João:

10Um anjo me levou em espírito a uma montanha grande e alta. Mostrou-me a cidade santa, Jerusalém, descendo do céu, de junto de Deus, 11brilhando com a glória de Deus. Seu brilho era como o de uma pedra preciosíssima, como o brilho de jaspe cristalino.

12Estava cercada por uma muralha maciça e alta, com doze portas. Sobre as portas estavam doze anjos, e nas portas estavam escritos os nomes das doze tribos de Israel.

13Havia três portas do lado do oriente, três portas do lado norte, três portas do lado sul e três portas do lado do ocidente.

14A muralha da cidade tinha doze alicerces, e sobre eles estavam escritos os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.

22Não vi templo na cidade, pois o seu Templo é o próprio Senhor, o Deus Todo-poderoso, e o Cordeiro. 23A cidade não precisa de sol nem de lua que a iluminem, pois a glória de Deus é a sua luz, e a sua lâmpada é o Cordeiro.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Anúncio do Evangelho (Jo 14,23-29)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 23“Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada. 24Quem não me ama, não guarda a minha palavra. E a palavra que escutais não é minha, mas do Pai que me enviou.

25Isso é o que vos disse enquanto estava convosco. 26Mas o Defensor, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito.

27Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração.

28Ouvistes o que eu vos disse: ‘Vou, mas voltarei a vós’. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. 29Disse-vos isso, agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: O Espírito Santo de Deus habita em nosso coração

Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada” (João 14,23).

A verdade é que Deus quer morar em nós, Ele quer viver em nós. O Pai virá com o Filho morar em nós e, mais do que isso, Deus enviará sobre nós o Seu Espírito. O Espírito do Pai que é o Espírito do Filho, é o Espírito Santo que virá em nome de Jesus para nos ensinar todas as coisas. Precisamos ser morada de Deus.

A graça que o batismo concedeu a cada um de nós foi, justamente, fazer de nós o lugar da morada de Deus, porque o Espírito habita em nós, ele vive em nós, agora é preciso dar lugar a Deus, é preciso dar lugar ao Espírito. É preciso abrir-se para que ele permaneça em nós e sejamos fiéis à graça dele na nossa vida.

Amar a Deus é guardar a Sua Palavra. Estamos ouvindo a Palavra de Deus que vem ao nosso encontro. Que atenção precisamos dar? Que diligência precisamos ter? Que aplicação preciso, de fato, ter em relação à Palavra do Senhor para ouvi-La, meditá-la e, sobretudo, guardá-la?

Guardar não é ficar lembrando dessa ou daquela Palavra, mas permitir que ela vá nos transformando, vai nos mudando e direcionando o nosso viver.

Muitas vezes, não conseguimos mudar certos comportamentos e atitudes na nossa própria vida, mas, aqui, não podemos abrir mão da graça de Deus, abrir mão do Espírito que habita em nós. É o Espírito primeiro que vai nos convencendo, depois, vai nos direcionando e nos inclinando para o bem e tirando essa inclinação do mal que há dentro do nosso coração.

Não podemos abrir mão da graça de Deus, abrir mão do Espírito que habita em nós

Temos uma inclinação para a arrogância, e quando o Espírito está em nós e permitimos ele agir em nós, ele vai rompendo os laços do orgulho, da soberba e da arrogância em nossa vida, ele vai nos tornando humildes. Se nos falta humildade na vida, é porque nos falta abertura a ação do Espírito.

Sermos homens e mulheres do Espírito não é somente falarmos línguas diferentes, profetizarmos no nome do Senhor, mas é permitirmos a ação do Espírito frutificar em nós em gestos, palavras, em transformação interior. A graça de reconhecer o que somos é permitir que o Espírito faça em nós aquilo que ele faz quando a alma se abre à sua ação. Por isso só podemos suplicar: “Senhor, habita em mim. Senhor, viva em minha vida e transforma-me num homem novo”.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/padrerogeramigo

Santo do Dia:

São Filipe Néri, homem de oração, penitente e adorador

O “santo da alegria” nasceu em Florença, Itália, no ano de 1515.

Depois de ficar órfão, recebeu um convite de seu tio para que se dedicasse aos negócios. Mas, tendo vida de oração e discernimento, ele percebeu que Deus o chamava a um outro negócio: expressar com a vida a caridade de Cristo.

Néri foi estudar em Roma. Estudou Filosofia e Teologia, deixando-se conduzir e formar pelo Espírito Santo e, mesmo antes de ser padre, visitava os lugares mais pobres de Roma. Formou uma associação para cuidar dos doentes pobres.

São Filipe disse sim para a glória de Deus e iniciou a bela obra do Oratório do Divino Amor, dedicando-se aos jovens e testemunhando sua alegria. Vivia da Divina Providência, indo aos lares dos ricos pedir pelos pobres.

Homem de oração, penitência e adoração, São Filipe Néri partiu para o céu com 80 anos, deixando para nós esse testemunho: renunciar a si mesmo, tomar a cruz a cada dia e seguir Jesus é uma alegria.

São Filipe Néri, rogai por nós!