Primeira Leitura (Dt 4,1.5-9)


Leitura do Livro do Deuteronômio.

Moisés falou ao povo, dizendo: 1“Agora, Israel, ouve as leis e os decretos que eu vos ensino a cumprir, para que, fazendo-o, vivais e entreis na posse da terra prometida que o Senhor Deus de vossos pais vos dará. 5Eis que vos ensinei leis e decretos conforme o Senhor meu Deus me ordenou, para que os pratiqueis na terra em que ides entrar e da qual tomareis posse.

6Vós os guardareis, pois, e os poreis em prática, porque neles está vossa sabedoria e inteligência perante os povos, para que, ouvindo todas estas leis, digam: ‘Na verdade, é sábia e inteligente esta grande nação!’ 7Pois, qual é a grande nação cujos deuses lhe são tão próximos quanto o Senhor nosso Deus, sempre que o invocamos? 8E que nação haverá tão grande que tenha leis e decretos tão justos, quanto esta lei que hoje vos ponho diante dos olhos? 9Mas toma cuidado! Procura com grande zelo não te esqueceres de tudo o que viste com os próprios olhos, e nada deixes escapar do teu coração por todos os dias de tua vida; antes, ensina-o a teus filhos e netos”.


Responsório (Sl 147)


— Glorifica o Senhor, Jerusalém!

— Glorifica o Senhor, Jerusalém!

— Glorifica o Senhor, Jerusalém! Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! Pois reforçou com segurança as tuas portas, e os teus filhos em teu seio abençoou.

— Ele envia suas ordens para a terra, e a palavra que ele diz corre veloz. Ele faz cair a neve como lã e espalha a geada como cinza.

— Anuncia a Jacó sua palavra, seus preceitos e suas leis a Israel. Nenhum povo recebeu tanto carinho, a nenhum outro revelou os seus preceitos.



Evangelho (Mt 5,17-19)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 17“Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra.

19Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.


Homilia: Os mandamentos divinos são a aliança de Deus conosco

O espelho para a revisão de toda a vida são os mandamentos divinos do amor a Deus acima de todas as coisas

Quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus” (Mateus 5,19).

Temos a graça de conhecer os mandamentos, as Leis do Senhor Nosso Deus. Os mandamentos divinos são a aliança d'Ele conosco, uma aliança gravada e cravada no nosso coração.

Não existe sociedade, não existem relacionamentos sem leis nem mandamentos. Precisamos levar a sério as leis, inclusive, as leis da sociedade em que estamos. Existem as leis de trânsito – e sabemos todas as tragédias que acontecem em nosso meio, porque, muitas vezes, e não são poucas vezes, não respeitamos as leis que regem o tráfego nosso de um canto ao outro.

Precisamos respeitar as normas e leis da sociedade em que estamos, para que haja ordenamento. Uma coisa é descordarmos desse ou daquele ponto, essa é uma outra discussão, mas todos nós somos submissos às leis e constituições do nosso país.

Estamos submissos à Lei de Deus, aos Seus mandamentos. Vivemos numa sociedade de cultura que tudo quer dar um jeito; e esse jeito de burlar as leis é o que chamamos de “corrupção moral”, damos um jeito e fazemos a lei do nosso jeito, e estamos fazendo isso muitas vezes com a Lei de Deus quando ignoramos a nossa própria lei, ignoramos os mandamentos e criamos os nossos próprios mandamentos ou condicionamos os mandamentos divinos a nossa percepção, sobretudo, manipulando do jeito que queremos fazer as coisas. “Esse mandamento é pequeno”. Não existe mandamento pequeno, Lei de Deus é Lei de Deus.

Deus sabe o que é preciso para que a nossa vida seja ordenada. E se estamos num mundo de desordem, e nossa vida, muitas vezes, encontra-se em desordem, é porque ignoramos as Leis do Senhor Nosso Deus.

Este tempo da graça em que estamos, o tempo quaresmal, é uma oportunidade para revisarmos a nossa vida. O espelho para a revisão de toda a vida são os mandamentos divinos do amor a Deus acima de todas as coisas, ao amor ao próximo, que não nos permite querer eliminar o outro, desejar o que é do outro, cobiçar o que é do outro ou faltar a verdade contra o outro.

Devemos examinar a nossa consciência diante de uma verdade, e essa não é a nossa verdade, não é uma verdade subjetiva, mas é a verdade da Lei de Deus. Devemos examinar a nossa consciência, os nossos atos, as nossas atitudes e posturas diante de Deus, diante de nós e do próximo. Não ignoremos, não desobedeçamos nem ensinemos, porque o pior é isso. Muitas vezes, fazemos errado e, na cultura do mau exemplo, levamos o outro a fazer coisas erradas em nome de Deus.

Se uma pessoa não gosta da outra, odeia alguém, coloca esse sentimento também. “Você também pode, ninguém gosta dele”, e assim se cria essa cultura, começamos a falar mal do outro e o ensinamos a fazer isso também; e assim se repete a cultura do mal que nos leva a diminuir a graça e a vivência da Lei de Deus em nossa vida.

Que a Palavra de Deus nos ajude a rever nossas próprias posturas.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

São Ruperto, grande apóstolo da Baviera

O santo de hoje foi um grande apóstolo da Baviera, Alemanha. A pedido do rei, foi convidado a evangelizar a França, e fez este belo trabalho. Após ser eleito bispo, a corte da Baviera o chamou, convidando-o também a evangelizar aquelas terras. Juntamente com o apoio do rei pôde ter o apoio de muitos religiosos, inclusive de sua irmã, que também era consagrada.

São Ruperto evangelizou a muitos, fazendo a Boa Nova chegar às altas autoridades, ao ponto do sucessor do rei já ser evangelizado. Antes de sua última Santa Missa, sua irmã ouviu sua oração de entrega: “Pai, em Tuas mãos eu entrego o meu espírito”. Em toda sua vida, e também na morte, viveu entregue a Deus.

São Ruperto, rogai por nós!