Primeira Leitura (Os 14,2-10)


Leitura da Profecia de Oséias.

Assim fala o Senhor Deus: 2“Volta, Israel, para o Senhor, teu Deus, porque estavas caído em teu pecado. 3Vós todos, encontrai palavras e voltai para o Senhor; dizei-lhe: ‘Livra-nos de todo o mal e aceita este bem que oferecemos; o fruto de nossos lábios. 4A Assíria não nos salvará; não queremos montar nossos cavalos, não chamaremos mais ‘Deuses nossos’ a produtos de nossas mãos; em ti encontrará o órfão misericórdia”. 5Hei de curar sua perversidade e me será fácil amá-los, deles afastou-se a minha cólera. 6Serei como orvalho para Israel; ele florescerá como o lírio e lançará raízes como plantas do Líbano. 7Seus ramos hão de estender-se; será seu esplendor como o da oliveira, e seu perfume como o do Líbano.

8Voltarão a sentar-se à minha sombra e a cultivar o trigo, e florescerão como a videira, cuja fama se iguala à do vinho do Líbano. 9Que tem ainda Efraim a ver com ídolos? Sou eu que o atendo e que olho por ele. Sou como o cipreste sempre verde: de mim procede o teu fruto. 10Compreenda estas palavras o homem sábio, reflita sobre elas o bom entendedor! São retos os caminhos do Senhor e, por eles, andarão os justos, enquanto os maus ali tropeçam e caem”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 80,6-17)


— Ouve, meu povo, porque eu sou o teu Deus!

— Ouve, meu povo, porque eu sou o teu Deus!

— Eis que ouço uma voz que não conheço: “Aliviei as tuas costas de seu fardo, cestos pesados eu tirei de tuas mãos. Na angústia a mim clamaste, e te salvei.

— De uma nuvem trovejante te falei, e junto às águas de Meriba te provei. Ouve, meu povo, porque vou te advertir! Israel, ah! se quisesses me escutar.

— Em teu meio não exista um deus estranho, nem adores a um deus desconhecido! Porque eu sou o teu Deus e teu Senhor, que da terra do Egito te arranquei.

— Quem me dera que meu povo me escutasse! Que Israel andasse sempre em meus caminhos. Eu lhe daria de comer a flor do trigo, e com o mel que sai da rocha o fartaria”.



Evangelho (Mc 12,28b-34)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 28bum escriba aproximou-se de Jesus e perguntou: “Qual é o primeiro de todos os mandamentos?” 29Jesus respondeu: “O primeiro é este: Ouve, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor. 30Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força! 31O segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo! Não existe outro mandamento maior do que estes”.

32O mestre da Lei disse a Jesus: “Muito bem, Mestre! Na verdade, é como disseste: Ele é o único Deus e não existe outro além dele. 33Amá-lo de todo o coração, de toda a mente, e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo é melhor do que todos os holocaustos e sacrifícios”.

34Jesus viu que ele tinha respondido com inteligência, e disse: “Tu não estás longe do Reino de Deus”. E ninguém mais tinha coragem de fazer perguntas a Jesus.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: O amor renova e purifica o nosso coração

Quando amamos Deus, amamos o próximo com o amor que ele precisa ser amado, sem mágoas nem ressentimentos

“O primeiro é este: Ouve, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força! O segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo!” (Marcos 12,29-31).

O amor deve mover toda a nossa existência. Precisamos ser renovados e purificados no amor, porque, muitas vezes, o amor que está em nós foi corrompido e contaminado por este mundo.

O primeiro mandamento começa com esta intervenção de Deus: “Ouve, ó Israel”. Só vamos amar a Deus sobre todas as coisas quando formos capazes de escutá-Lo.

Neste tempo quaresmal, todos nós somos chamados a viver um verdadeiro retiro. Muitas vezes, vamos para retiros e encontros, mas não retiramos nada. “Retiro” é retirar-se para retirar aquilo que não é de Deus, sobretudo, os barulhos que estão gritando dentro de nós e nos impedindo de escutar Deus. É o barulho dos desejos, das inclinações, das coisas negativas que acumulamos dentro de nós. São mágoas, ressentimentos e rancores.

Precisamos nos purificar de tudo isso para que o nosso coração escute o Senhor, seja direcionado, guiado, e que, com toda a nossa força e entendimento, com todo o nosso ser, possamos amar o nosso Deus de todo o coração.

Quando amamos Deus acima de tudo e de todos, amamos a nós mesmos, cuidamos de nós como precisamos cuidar, sem nenhum egoísmo, soberba  nem orgulho nos direcionando, mas sim com a graça divina nos ensinando como devemos cuidar de nós.

Quando amamos Deus, amamos o próximo com o amor que ele precisa ser amado, sem mágoas, ressentimentos nem rancores. Amamos o outro com o respeito que ele merece. Não ofendemos nem causamos confusões, porque o outro é presença de Deus para nós.

A graça de Deus quer nos ensinar a amar, porque, quando nos perdemos do amor, caímos nas confusões da alma, do sentimento e da vontade. Deus quer direcionar as inclinações do nosso coração! Escutemos Ele acima de tudo e permitamos que Seu amor nos cure e direcione toda a nossa vida.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

São Constantino, anunciava o nome de Jesus na Inglaterra

Rei de uma região da Inglaterra, casou-se, mas não assumiu seriamente esta aliança, tanto que deixou a esposa para se dedicar às guerras militares. Nesta aventura de poder e fama, ele – como São Paulo – ‘caiu do cavalo’. Era pagão, converteu-se ao Cristianismo e assumiu seriamente o chamado à santidade.

Entrou para um mosteiro irlandês e descobriu seu chamado ao sacerdócio. Junto com outro santo, percorreu muitas regiões da Inglaterra anunciando o nome de Jesus, que tem o poder de nos dar a vitória sobre o ‘homem velho’.

Constantino foi martirizado no ano de 598, atacado por pagãos duros de coração ante o Evangelho.

São Constantino, rogai por nós!