Nome: Martírio de São João Batista (Memória)
Data: 29 de Agosto † s. I

São João Batista faz parte do grupo dos quatro santos que além da solenidade possui uma segunda festa. São Pedro e São Paulo possuem uma segunda comemoração em nível de festa (São Pedro, 22 de fevereiro; São Paulo, 25 de janeiro). São José, em nível de memória facultativa (1º de maio), e São João Batista, no dia 29 de agosto. É o seu "dies natalis", dia de sua morte, do martírio, do seu nascimento para Deus, chamada, no Oriente, de "Degolação" ou "Paixão" do Batista.

Se na solenidade de seu nascimento no dia 24 de junho se realça a vocação e a missão de João Batista, o seu futuro, a comemoração de sua morte recorda o passado, o que Deus realizou em João Batista. A festa do seu nascimento leva a Igreja a olhar para o futuro daquele menino. Ao nascer todos se perguntavam: O que será deste menino? (Lc 1,66). No Benedictus o menino é chamado "profeta do Altíssimo" (cf. Lc 1,76). Na comemoração do seu martírio, terminada sua carreira neste mundo, recorda-se o seu passado, as maravilhas que Deus realizou naquele que foi considerado o maior dentre os nascidos de mulher (cf. Mt 11,11).

Sua grandeza está em sua missão profética. Foi o último dos profetas que não só anunciou a vinda do Messias Salvador, mas o mostrou presente entre os homens. Ele foi o precursor do Messias, que veio preparar os caminhos para sua chegada; ele batizou o próprio autor do Batismo e, derramando o seu sangue, mereceu dar o perfeito testemunho de Cristo.

A Oração coleta diz que João Batista foi o precursor do nascimento e da morte do Filho de Deus. E a Igreja pede: Como ele tombou na luta pela justiça e a verdade, fazei-nos também lutar corajosamente para testemunhar a vossa palavra. A Oração sobre as oferendas pede para todos a retidão de João Batista: Ó Deus, pela oferenda que vos apresentamos, dai-nos aquela retidão dos vossos caminhos que São João Batista, voz que clama no deserto, ensinou e confirmou com seu sangue. O Prefácio próprio, a "missão do Precursor", é o mesmo de sua solenidade.

Se sua solenidade comemora o seu nascimento neste mundo, a Oração depois da Comunhão lembra seu nascimento para a glória: Ó Deus, ao celebrarmos o nascimento de João Batista para a glória, concedei que veneremos no sacramento recebido a realidade que ele simboliza, e nos alegremos cada vez mais por seus frutos em nossa vida.

A Antífona da entrada põe na boca da Igreja dois versículos do Sl 118: Diante dos reis falo da vossa aliança, sem temer a vergonha. Encontro alegria em vossos preceitos porque muito os amo.

Que Deus conceda a todos a coragem e a força de João Batista para testemunharmos em todas as circunstâncias e em todos os momentos a verdade e a justiça do Reino.

Referência:
BECKHÄUSER, Frei Alberto. Os Santos na Liturgia: testemunhas de Cristo. Petrópolis: Vozes, 2013. 391 p. Adaptações: Equipe Pocket Terço.

Oração a São João Batista

São João Batista, voz que clama no deserto: “Endireitai os caminhos do Senhor... fazei penitência, porque no meio de vós está quem vós não conheceis e do qual eu não sou digno de desatar os cordões das sandálias”, ajudai-me a fazer penitência das minhas faltas para que eu me torne digno do perdão daquele que vós anunciastes com estas palavras: “Eis o Cordeiro de Deus, eis aquele que tira o pecado do mundo”.
São João, pregador da penitência, rogai por nós.
São João, precursor do Messias, rogai por nós.
São João, alegria do povo, rogai por nós.

Para mais terços, novenas e orações de vários santos, baixe o aplicativo Pocket Terço em seu Android ou iPhone.