TEREIS TRIBULAÇÕES, MAS TENDE CORAGEM, POIS EU VENCI O MUNDO!

No Evangelho segundo São João 16, 29-33 referente ao dia 30 de maio, Cristo dirige aos Apóstolos uma admoestação que, à primeira vista, dizia respeito apenas àquele momento de turbação, no entanto, ela se aplica inteiramente à vida de todo o cristão no seu dia a dia. Ingênuo é achar que a vida é um mar de rosas, mesmo com todo dinheiro do mundo, não é possível fugir da luta, das provações, das atribulações. No entanto, unidos a Deus, a vitória é certa.

“Naquele tempo: os discípulos disseram a Jesus: ‘Eis, agora falas claramente e não usas mais figuras. Agora sabemos que conheces tudo e que não precisas que alguém te interrogue. Por isto cremos que vieste da parte de Deus.

Jesus respondeu: ‘Credes agora? Eis que vem a hora – e já chegou – em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis só. Mas eu não estou só; o Pai está comigo. Disse-vos estas coisas para que tenhais paz em mim. No mundo, tereis tribulações. Mas tende coragem! Eu venci o mundo!’.”

Neste pequeno, mas significativo trecho do Evangelho, nota-se a delicadeza com a qual Cristo advertiu os seus discípulos sobre o quanto Ele ficaria isolado durante a sua dolorosa Paixão. Os discípulos se dispersariam “cada um para seu lado”, Pedro o renegaria, etc, mas ao final, com a sua Ressurreição, Cristo venceria o mundo, o pecado e o demônio.

Os Apóstolos demonstraram uma confiança vã, humana, imprudente, porém, no sentido oposto, Cristo os preparou para tribulações, perseguições e sofrimentos futuros; entretanto anunciou também a sua vitória final, para enchê-los de confiança divina. Assim também Ele procura todos os dias nos convidar à perseverança em meio às turbulências e provações, e à confiança no seu triunfo, que também é nosso mediante à prática da virtude, cumprimento dos Mandamentos e frequência aos sacramentos. A manutenção do estado de graça é semente da glória que o bem-aventurado goza nos Céus!

O Evangelho sempre deitará luz sobre nossas vidas, em quaisquer circunstâncias, nos indicando o melhor caminho a ser traçado. Foi o primeiro sumo pontífice da História, eleito pelo próprio Mestre, quem proclamou que só Ele tem palavras que ecoam pela eternidade: “Senhor, a quem iremos nós? Só Tu tens palavras de vida eterna. E nós cremos e sabemos que és o Santo de Deus!”

Marcos A. Fiorito

Teólogo e historiador

(Autoriza-se reprodução do artigo com citação da fonte e autor.)

Está acompanhando os nossos artigos? Escreva-nos e sugira algum tema católico de seu interesse. Deixe o seu comentário logo abaixo!

Comente aqui

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *