COMO REPARAÇÃO a tantos ultrajes e a tão cruéis ingratidões, ó Coração adorável e amabilíssimo de meu amável Jesus, eu Vos ofereço meu coração com todos os movimentos de que ele é capaz.

Dou-me inteiramente a Vós e, a partir de agora, protesto sinceramente que quero esquecer inteiramente de mim mesmo, para destruir o obstáculo que poderia me impedir a entrada nesse Coração divino que Vós tivestes a bondade de me abrir, e onde desejo estar para aí viver e morrer com vossos servidores mais fiéis, inteiramente penetrado e abrasado por vosso amor.

Sagrado Coração de Jesus, ensinai-me o esquecimento perfeito de mim mesmo, pois é a única via por onde se pode chegar a Vós. Já que tudo o que farei de agora em diante será vosso, fazei que eu só faça o que seja digno de Vós.

Ensinai-me o que devo fazer para chegar à pureza de vosso amor, do qual Vós me haveis inspirado o desejo. Sinto em mim uma grande vontade de Vos agradar e uma imensa impossibilidade de faze-lo sem uma luz e um socorro muito particular, que só posso esperar de Vós.

Senhor, eu me oponho a Vós, sei-o bem, mais eu desejaria, parece-me, não me opor. Só Vós tudo podeis fazer, divino Coração de Jesus Cristo. Só Vós tereis a glória de minha santificação, se chego a ser santo, o que me parece claríssimo.

Minha santificação será Vós uma grande glória, e é somente por isso que quero desejar a perfeição. Assim seja”.

(Composta por São Cláudio de la Colombiére)