Triságio do grego, tris-agion significa (três vezes Santo), é o nome que se dá à aclamação de louvor «Santo Deus, Santo Forte, Santo Imortal», testemunhado pela primeira vez no Concílio de Calcedônia (451). O triságio encontra suas raízes no Antigo Testamento, no livro de Isaías, capítulo 6, versículo 3: "Santo, santo, santo é o Senhor dos exércitos, a terra inteira está repleta de sua glória."

Início:

Rogamos ao nosso Pai Todo-Poderoso que nos conceda as graças pedidas nas intenções da Santa Igreja; pelos sacerdotes; pela paz e concórdia entre os dirigentes da Igreja; pela conversão dos infiéis hereges e pecadores; pelos agonizantes e caminhantes; pelas almas do Purgatório e por outras intenções determinadas pela Santa Madre Igreja.
V: Bendita seja a Santa e Indivisível Trindade. Agora e sempre, por todos os séculos dos séculos
R: Amém!
V: Abri, Senhor, os meus lábios.
R: E minha boca anunciará vossos louvores.
V: Meu Deus, atendei às nossas orações.
R: Senhor, apressai-vos em socorrer-me.
V: Glória seja dada ao "Eterno Pai", ao "Eterno Filho" e ao "Espírito Santo" pelos séculos dos séculos.
R: Amém! Aleluia! (Em tempo de quaresma, se diz: Louvor seja a ti, Senhor, Rei da eterna glória!)


Ato de Contrição:

Amorosísimo Deus, trino e uno, Pai, Filho e Espírito Santo, em quem creio, em quem espero, a quem amo com todo o meu coração, corpo, alma, sentidos e potências; por serdes Vós meu Pai, meu Senhor e meu Deus, infinitamente bom e digno de ser amado sobre todas as coisas; pesa-me, Trindade Santíssima, pesa-me, Trindade misericordiosíssima, pesa-me, Trindade amabilíssima, de vos ter ofendido só por serdes Vós quem sois; proponho, e vos dou palavra, de nunca mais vos ofender e de morrer antes do que pecar; espero de vossa suma bondade e misericórdia infinita, que me perdoareis todos os meus pecados, e me dareis graças para perseverar num verdadeiro amor e cordialíssima devoção a vossa sempre amabilíssima Trindade. Amém.


Hino:

Já se afasta o sol radioso,
ó luz perene, ó Trindade.
Infunde em nós ardoroso
o fogo da caridade.

Na alvorada te louvamos
e na hora vespertina.
Concede-nos que o façamos
também na glória divina.

Ao Pai, ao Filho e a ti
Espírito Consolador,
sem cessar, como até aqui
demos-lhe eterno louvor.


Oração ao Pai:

Ó Pai Eterno, fora o prazer de vos possuir, eu não vejo mais do que tristezas e tormentos, embora digam outras coisas os amantes da vaidade. Que me importa diga o orgulhoso que sua felicidade está em gozar de seus prazeres? Que me importa diga também o ambicioso, que seu maior contentamento é gozar de sua glória tão passageira? Eu, pela minha parte, nunca cessarei de repetir, com vossos Profetas e Apóstolos, que a máxima felicidade, meu tesouro, e minha glória, é unir-me a meu Deus e manter-me sem dúvida sempre unido a Ele.

Recita-se um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, e nove vezes:
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus dos exércitos, cheios estão os céus e a terra de vossa glória.

(responde-se, se possível em coro):
Glória ao Pai, glória ao Filho, glória ao Espírito Santo.


Oração ao Filho:

Ó Verdade Eterna, Deus Filho, fora da qual eu não vejo outra coisa senão enganos e mentira. Oh! E como tudo me aborrece à vista de vossos suaves atrativos! Oh! Como me parecem mentirosos e asquerosos os discursos dos homens, em comparação das palavras de vida, com as quais Vós falais ao coração daqueles que vos escutam. Ah! Quando será a hora em que Vós me tratareis sem mistérios e me falareis claramente no seio de vossa glória? Oh! Que trato! Que beleza! Que luz!

Recita-se um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, e nove vezes:
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus dos exércitos, cheios estão os céus e a terra de vossa glória.

(responde-se, se possível em coro):
Glória ao Pai, glória ao Filho, glória ao Espírito Santo.


Oração ao Espírito Santo:

Ó Amor, ó Dom do Altíssimo, centro das doçuras e da felicidade do mesmo Deus; que atrativo para uma alma ver-se no abismo de vossa bondade, e toda cheia de vossas infinitas consolações ? Ah, prazeres enganadores, como haveis de poder comparar-vos com a menor das doçuras, que um Deus, quando quer, sabe derramar sobre uma alma fiel? Oh! Se uma partícula delas é tão gostosa, quanto mais será quando Vós as derramardes como uma torrente sem medida e sem reserva ? Quando será isto, meu Deus, quando será ?

Recita-se um Pai-Nosso, uma Ave-Maria, e nove vezes:
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus dos exércitos, cheios estão os céus e a terra de vossa glória.

(responde-se, se possível em coro):
Glória ao Pai, glória ao Filho, glória ao Espírito Santo.


Antífona:

A Ti, "Deus Pai"; a Ti, "Filho Unigênito"; a Ti, "Espírito Santo Paráclito", Santa e indivídua Trindade, e de todo coração te confessamos, louvamos e bendizemos. A Ti seja a glória pelos séculos dos séculos. Amém.
V: Bendigamos ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.
R: Louvamo-los e exaltemo-los em todos os séculos, dos séculos. Amém.


Oremos:

Senhor Deus Uno e Trino, dai-me sempre vossa graça, vossa caridade e vossa comunicação para que, no tempo e na eternidade, vos amemos e glorifiquemos, Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos. Amém.


Ladainha Devota à Santíssima Trindade:

V: Pai Eterno, Onipotente Deus.
R: Toda criatura vos ame e glorifique!

Verbo Divino, imenso Deus: Toda criatura vos ame e glorifique!
Espírito Santo, infinito Deus: Toda criatura vos ame e glorifique!
Santíssima Trindade e um só Deus verdadeiro: Toda criatura vos ame e glorifique!
Rei dos Céus, imortal e invisível: Toda criatura vos ame e glorifique!
Criador, Conservador, Governador de todo o criado: Toda criatura vos ame e glorifique!
Vida nossa, em quem, de quem e por quem vivemos: Toda criatura vos ame e glorifique!
Vida Divina, e uma em três Pessoas: Toda criatura vos ame e glorifique!
Céu Divino de excelsitude majestosa: Toda criatura vos ame e glorifique!
Sol divino e incriado: Toda criatura vos ame e glorifique!
Círculo perfeitíssimo de capacidade infinita: Toda criatura vos ame e glorifique!
Alimento Divino dos Anjos: Toda criatura vos ame e glorifique!
Belo íris, arco de clemência: Toda criatura vos ame e glorifique!
Astro primeiro e trino que iluminais o mundo: Toda criatura vos ame e glorifique!

De todo mal de alma e corpo: Livrai-nos, Trino Senhor!
Da morte repentina e improvisa: Livrai-nos, Trino Senhor!
Das insídias e assaltos do demônio: Livrai-nos, Trino Senhor!
Do espírito de desonestidade e das suas sugestões: Livrai-nos, Trino Senhor!
Da concupiscência da carne: Livrai-nos, Trino Senhor!
De toda ira, ódio e má vontade: Livrai-nos, Trino Senhor!
Das pragas, da peste, fome, guerra e terremotos: Livrai-nos, Trino Senhor!
Dos inimigos da fé católica: Livrai-nos, Trino Senhor!
Da morte eterna: Livrai-nos, Trino Senhor!
Por vossa unidade em Trindade em Unidade: Livrai-nos, Trino Senhor!
Pela sublimidade do Mistério de vossa Trindade: Livrai-nos, Trino Senhor!
Pelo inefável nome de vossa Trindade: Livrai-nos, Trino Senhor!
Pelo portento de vosso nome, Uno e Trino: Livrai-nos, Trino Senhor!
Pelo muito que vos agradam as almas que são devotas de vossa Santíssima Trindade: Livrai-nos, Trino Senhor!
Pelo grande amor com que livrais de males os povos onde há algum devoto de vossa Trindade amável: Livrai-nos, Trino Senhor!
Pela virtude divina, que nós devotamos à vossa Trindade Santíssima, reconhecem os demônios contra si mesmos: Livrai-nos, Trino Senhor!

Nós pecadores: Rogamo-vos, ouvi-nos!
Que saibamos resistir ao demônio com armas de devoção a vossa Trindade: Rogamo-vos, ouvi-nos!
Que embelezais cada dia mais, com as cores de vossas graça, vossa imagem que está em nossas almas: Rogamo-vos, ouvi-nos!
Que todos os fiéis se esmerem em ser muito devotos de vossa Santíssima Trindade: Rogamo-vos, ouvi-nos!
Que todos alcancemos as muitas felicidades que estão vinculadas para os devotos dessa vossa Trindade inefável: Rogamo-vos, ouvi-nos!
Que ao confessarmos o Mistério de vossa Trindade, desfaçam-se os erros dos infiéis: Rogamo-vos, ouvi-nos!
Que todas as almas do Purgatório gozem muito refrigério em virtude do mistério de vossa Trindade: Rogamo-vos, ouvi-nos!
Que vos digneis ouvir-nos pela vossa piedade: Rogamo-vos, ouvi-nos!
Santo Deus, Santo Forte, Santo Imortal, livrai-nos, Senhor, de todo o mal [2]. Amém.


Final:

Oferecimentos à Santíssima Trindade

1. Ó Beatíssima Trindade, eu vos prometo que, com todo o esforço e luta, procurarei fazer o possível para salvar minha alma, visto que Vós a criastes à vossa imagem e semelhança e para o Céu. E também por vosso amor procurarei salvar a alma do meu próximo.
2. Para salvar minha alma e dar-vos glória e louvor, sei que hei de guardar a divina lei. Eu me empenharei na palavra de guardá-la, como a menina dos meus olhos e procurarei fazer o possível para que os outros também a guardem.
3. Aqui na Terra hei de exercitar-me em louvar-vos e espero fazê-lo depois com maior perfeição no Céu; e, por isso, com frequência, rezarei o Triságio e o verso: Glória ao Pai, Glória ao Filho e Glória ao Espírito Santo. E procurarei, além disso, que os outros vos louvem. Amém.

--------
[1] O Papa Clemente XIV concedeu 100 dias de indulgência para cada dia que se reze: 100 mais três vezes no dia, nos domingos, na festa da Santíssima Trindade e durante a sua oitava, e Indulgência Plenária a quem o rezar todos os dias durante um mês, confessando e comungando no dia do mês que se escolher.
[2] Invocação semelhante Nosso Senhor ensinou à Santa Faustina: “Santo Deus, Santo Forte, Santo Imortal, tende piedade de mim e de todos os pecadores, etc” , jaculatória que a Santa rezava entre uma dezena e outra do terço.


(fonte: Livro "Combatendo o Bom Combate - Orientações para cura e libertação", 2ª Edição, Editora Palavra e Prece, Pg.134-144)