Apresentação

A devoção ao Santíssimo Sacramento sempre acompanhou o crescimento espiritual de Pedro Julião: desde criança, sobretudo, no dia da sua Primeira Comunhão, amadureceu seu propósito de ser sacerdote.

Pedro Julião Eymard nasceu em La Mure d’Isére, diocese de Grenoble, em 4 de fevereiro de 1811. Era o último de dez filhos, oito dos quais falecidos em tenra idade. Devido à saúde frágil, teve que deixar de lado seu desejo de partir em missão. No entanto, sua aspiração ao sacerdócio, fortemente contestada pelo pai, encontrou a sua realização aos 20 anos, quando entrou para o seminário; a seguir, em 1834, foi ordenado sacerdote. Primeiro, foi um padre diocesano, mas, a partir de 1839, se tornou membro da recém-fundada Congregação dos Padres Maristas, em Lyon. Ali, foi logo atraído pela contemplação do amor de Deus, de modo especial, da Eucaristia.

OS SACRAMENTINOS

Um dos momentos importantes, no percurso espiritual do jovem, foi uma procissão eucarística, em 1845, durante a qual, ao carregar o Santíssimo Sacramento, pediu a Deus o zelo apostólico do apóstolo Paulo para difundir o Evangelho. Outro momento foi a viagem que fez a Paris, em 1849, onde, em qualidade de provincial dos Padres Maristas, teve a oportunidade de conhecer algumas pessoas importantes do Movimento de Adoração Noturna, entre as quais a fundadora da “Adoração Reparadora”, Madre Marie-Thérèse Dubouché e o conde Rayond de Cuers. Com este, em maio de 1856, em Paris, fundou a Congregação dos Padres do Santíssimo Sacramento, cada vez mais ciente da centralidade do culto Eucarístico, após ter deixado a Sociedade de Maria.

Para Padre Eymard, a adoração era mais que uma simples contemplação: constituía o motor e a alma de toda atividade caritativa, tanto entre os pobres da periferia de Paris quanto entre os sacerdotes idosos ou os que se encontravam em dificuldade.

Movido por esta sua convicção, junto com Margarida Guillot, Padre Eymard fundou a Congregação das Servas do Santíssimo Sacramento; animou a Associação dos Sacerdotes Adoradores, a Congregação Eucarística dos Leigos; além do mais, comprometeu-se com o apostolado, através da pregação, da direção espiritual e da obra das Primeiras Comunhões de adultos e jovens operários.

A CENTRALIDADE DA MISSA

A celebração Eucarística deveria ser o centro de toda a vida de um cristão e origem de toda a sua ação. Assim, Padre Pedro Julião foi um incansável incentivador da participação frequente da Missa. O fato de estar diante de Deus, contemplando a hóstia consagrada, - segundo o sacerdote, - transcendia toda e qualquer forma de intimismo e impelia o adorador à vida ativa.

Esta dimensão social da Eucaristia é destacada pelo Padre Pedro Julião, no texto ‘Le Trés Saint Sacrement’: “O culto solene à exposição do Santíssimo é necessário para despertar a fé, adormecida em tantos homens honestos. (...) A sociedade morre quando não tiver mais um centro de verdade e de caridade e tampouco vida em família. Muitos se isolam, se concentram em si mesmo, querem ser autossuficientes. Assim, a dissolução é iminente! Ao contrário, a sociedade renasce com vigor quando todos os seus membros se reúnem em torno do Emanuel”.

Como “Padre e Apóstolo da Eucaristia”, Pedro Julião Eymard morreu, na sua cidade natal, com apenas 57 anos de idade, no dia primeiro de agosto de 1868, por causa da sua saúde frágil, marcada por todo tipo de provação, sobretudo nos últimos anos.

São Pedro Julião Eymard foi beatificado, em 1925, por Pio XI, e, em 1962, canonizado pelo Papa João XXIII.


Orientações (se possível):

1. Rezar esta Via Sacra diante de Jesus Sacramentado;
2. Colocar, no presbitério, 14 velas apagadas. A cada estação acende uma vela;

 Oração Inicial

Meu Deus e Senhor, prostrado aos Vossos pés, contrito e arrependido, peço-Vos humildemente acompanhar o Vosso Divino Filho no caminho doloroso de Sua Paixão, chorando os meus pecados, causa de tantos sofrimentos.
Concedei-me, pela Sua Sagrada Paixão e Morte, e pelo Sacramento Augusto de Seu Corpo e Sangue, a graça de lucrar de todas as indulgências anexas a esta devoção, aplicando-as às benditas almas do Purgatório.
Amém.

 Primeira Estação

JESUS É CONDENADO À MORTE

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

A morrer crucificado,
teu Jesus é condenado;
por teus crimes, pecador.

Jesus é condenado à morte por aqueles que Ele cumulou de benefícios. Com amor aceitou esta sentença. Para sofrer e morrer Ele veio ao mundo, ensinando-nos a fazer o mesmo. Jesus ainda é condenado à morte na Eucaristia.
Pela Comunhão indigna, o sacrílego vende Jesus ao demônio, crucificando-O em seu corpo de pecado.
Oh! Jesus, mil vezes perdão por todos os sacrilégios! Que eu nunca chegue a cometê-los e passe minha vida a repará-los.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Segunda Estação

JESUS LEVANDO A CRUZ ÀS COSTAS

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Com a Cruz é carregado,
e do peso acabrunhado,
vai morrer por teu amor.

Jesus é carregado com uma pesada Cruz. No Santíssimo Sacramento, os maus cristãos impõem a Jesus uma Cruz bem mais pesada, ignominiosa e dolorosa para o Seu Coração: a irreverência e a tibieza na Sua presença.
Perdão, meu Senhor, por aqueles que Vos tratam sem respeito na Santa Eucaristia, pelas indiferenças e esquecimentos à Vossa presença.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Terceira Estação

JESUS CAI PELA PRIMEIRA VEZ

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Pela Cruz tão oprimido,
cai Jesus desfalecido,
pela tua salvação.

Jesus cai pela primeira vez. Quantas vezes cai em terra sem que se saiba. Mas, o que faz cair de dor é o primeiro pecado mortal que mancha a alma. Como é dolorosa a queda de Jesus na alma que O recebe indignamente na Primeira Comunhão! Tratar, assim, a Jesus na primeira vez que vem à alma, cheio de amor: tão jovem e tão culpado!
Oh! Jesus. Obrigado pelo Amor que me testemunhastes na minha primeira Comunhão. Jamais o esquecerei.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Quarta Estação

ENCONTRO DE JESUS COM SUA MÃE SANTÍSSIMA

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

De Maria lacrimosa,
no encontro lastimosa,
vê a viva compaixão.

Maria acompanha a Jesus no caminho doloroso do Calvário. Quem ama quer compartilhar. Quantas vezes Jesus na Eucaristia encontra no caminho de Suas dores, em meio dos inimigos, os filhos do Seu Amor, carrascos e ministros de Suas Graças, que se unem aos carrascos para humilhá-Lo. Quantos renegados e apóstatas abandonam o serviço e o amor de Deus, diante de um sacrifício!
Oh! Jesus, eu Vos quero seguir humilhado e maltratado com Maria, minha Mãe.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Quinta Estação

JESUS AJUDADO POR SIMÃO CIRINEU A LEVAR A CRUZ

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Em extremo desmaiado,
deve auxílio aqui cansado,
receber de Simeão.

Jesus é ajudado por Simão de Cirineu a levar a Cruz. No Santíssimo Sacramento, Jesus chama os homens para si, e poucos correspondem aos Seus convites. Convida-os ao banquete Eucarístico e tem mil pretextos para recusar. Jesus fica só, abandonado, com as mãos cheias de graça, que os homens não querem: tem medo do Seu Amor!
Oh! Senhor, compreendo que vale mais deixar tudo do que falhar a uma Comunhão, a maior de Vossas Graças. Perdoai o meu passado, e guardai minhas resoluções para o futuro.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Sexta Estação

A PIEDOSA VERÔNICA ENXUGA O ROSTO DE JESUS

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

O seu rosto ensanguentado,
por Verônica enxugado,
contemplemos com amor.

Verônica enxuga o rosto de Jesus, ensanguentado e cheio de escarros. Ele a recompensa imprimindo sobre o linho Sua face adorável. Jesus é muito ultrajado e profanado no Adorável Sacramento: e, onde estão as Verônicas compassivas para reparar estas abominações? Fica-se espantado de se ver tantos sacrilégios cometidos contra o Augusto Sacramento; dir-se-ia que Jesus Cristo é entre nós em estranho, indiferente e desprezível.
Senhor, adoro sob o Véu Eucarístico, Vossa Sagrada Face cheia de glória e majestade; dignai-Vos imprimir Vossos traços em meu coração.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Sétima Estação

JESUS CAI PELA SEGUNDA VEZ

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Outra vez desfalecido,
pelas dores abatido,
cai em terra o Salvador.

Jesus cai pela segunda vez: sobrevêm no Vosso sofrimento, redobram os maus tratos dos carrascos. Quantas vezes tíbios que O recebem sem preparação e sem piedade, e O deixam partir sem Amor, nem agradecimento. Assim a Eucaristia se torna estéril, embora seja fonte de todas as graças.
Oh! Divino Salvador, eu Vos peço perdão pelas comunhões tíbias e feitas sem devoção!

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Oitava Estação

JESUS CONSOLANDO AS FILHAS DE JERUSALÉM

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Das matronas piedosas,
filhas de Sião, chorosas,
é Jesus consolador.

Jesus, esquecendo Seus sofrimentos, enxuga as lágrimas das piedosas mulheres. É missão do salvador consolar os aflitos e perseguidos. Na Eucaristia é nosso consolador. Espera que as almas O acompanhem no abandono e na ingratidão em que é deixado: e quão poucos se lembram de Jesus! Ele está ali dia e noite! Que ingratidão! Se Seus olhos pudessem chorar, quantas lágrimas deveriam derramar por nós!
Oh! Jesus, aceitai meu amor reparador, e sede minha única consolação e conforto nas horas do sofrimento.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Nona Estação

JESUS CAI PELA TERCEIRA VEZ DEBAIXO DA CRUZ

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Cai terceira vez prostrado,
pelo peso redobrado,
dos pecados e da Cruz.

Jesus, esmagado pelo peso da Cruz e pelos maus tratos dos carrascos, cai pela terceira vez. Quanto sofre nesta nova queda! Jesus virá pela última vez a mim, no Viático; será esta graça o complemento de todas as outras na a vida. Que pensa de uma alma que recebe esta preciosa graça em estado de pecado? Ah! É o inferno começado na terra.
Senhor, nós Vos pedimos por todos os moribundos, concedi-lhes a graça de morrerem em Vossos braços.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Décima Estação

JESUS NO ATO DE O DESPIREM E DE LHE DAREM O FEL A BEBER

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Dos vestidos despojado,
por verdugos maltratados,
eu Vos vejo meu Jesus.

Jesus é despido de Suas Vestes. Quanto sofreu na sua modéstia. Quantas vezes é Jesus despojado ainda no estado sacramental! Não contentes de O verem despojado de Sua glória divina e da beleza de sua humanidade, os inimigos O despojam da honra do culto: roubam os Sacrários, destroem as igrejas, profanam, os vasos sagrados e os Tabernáculos, e O jogam por terra. Ele, Rei e Salvador dos homens, é entregue à mercê dos sacrílegos como no dia da crucifixão.
Fazei, ó Jesus, que eu Vos imite, assim despojado na Eucaristia, e sede meu único bem.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Décima Primeira Estação

JESUS PREGADO NA CRUZ

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Sois por mim à Cruz pregado,
insultado, blasfemado
com cegueira e com furor.

Jesus é pregado na Cruz, em um madeiro infamante. Na comunhão indigna, o pecador crucifica-O em seu corpo de morte como um cadáver em decomposição. Lá uma vez, aqui todos os dias e por milhares de cristãos.
Oh! meu Jesus, eu Vos peço perdão das mortificações dos meus sentidos. Vós as expiastes bem cruelmente. Prometo humilhar em mim o homem velho, e me unir à Vossa vida crucificada.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Décima Segunda Estação

JESUS MORRE NA CRUZ

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Por meus crimes padecestes,
Meu Jesus, por mim morrestes,
Oh! Quão grande é minha dor.

Jesus morre na Cruz para nos resgatar, perdoando aos carrascos, abandonando Sua alma nas mãos do Pai. Na Eucaristia, Jesus perpetua o amor que nos testemunhou na morte. Cada manhã ele se imola na Santa Missa, e perde Sua existência sacramental nos que comungam. No coração justo para o fazer viver, no do pecador, para o condenar; àquele oferece as graças da redenção; a este, sua morte eterna.
Oh! meu Jesus, dai-me a graça de morrer ao pecado e a mim mesmo, e de viver só para vós. Concedei-me a graça, coroa de minha vida, de Vos receber em Viático.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Décima Terceira Estação

JESUS É DESCIDO DA CRUZ

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

Do madeiro Vos tiraram
e a Mãe Vos entregaram
com que dor e compaixão.

Jesus descido da Cruz é entregue à sua Mãe, que O recebe nos braços e O oferece a Deus Pai como vítima. Cabe a nós, agora, oferecê-LO no altar e nos corações, por nós e pelos nossos. Ele é nosso, para que O façamos valer. Não permitamos que este preço infinito se torne estéril nas nossas mãos, por causa da indiferença.
Ó Pai Eterno, aceitai o Vosso Divino filho, Jesus, pelas mãos de Maria Santíssima, como vítima pela nossa salvação.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Décima Quarta Estação

JESUS É COLOCADO NO SEPULCRO

℣. Nós Vos adoramos Santíssimo Senhor Jesus Cristo, e Vos bendizemos;
℟. Porque pela Vossa Santa Cruz remistes o mundo.

No sepulcro Vos deixaram,
sepultado Vos choraram,
magoado o coração

Jesus é colocado no sepulcro, sob a guarda dos inimigos. Na Eucaristia, Jesus está verdadeiramente sepultado: para sempre será o nosso prisioneiro de Amor. O Corporal O envolve como um sudário; a lâmpada arde como diante de um túmulo num silêncio de morte.
Oh! meu Jesus, venho adorar-Vos, consolar-Vos e honrar-Vos por aqueles que não o fazem, e peço-Vos a graça do recolhimento e da morte ao mundo.

Senhor Deus, misericórdia! Pelas Dores de Maria Santíssima, misericórdia! E, as almas dos fiéis defuntos, pela Misericórdia de Deus, descansem em Paz. Amém.

Pai-Nosso
Ave-Maria
Glória

 Oração final

Oh! Dulcíssimo Jesus, fonte de amor e de salvação, estou arrependido de todos os meus pecados, por causa das Vossas dores. Prometo viver conforme Vossa Santíssima Vontade, aproveitar o Alimento Eucarístico, o Sangue derramado, e a Morte que por mim, sofrestes.
E vós, Virgem Dolorosíssima, interponde a Vossa poderosa intercessão para que eu nunca mais ofenda a Jesus.
Oh! meu Salvador, salvai-me, por Vossas Dores, pelo Vosso Sangue, pela Vossa infinita misericórdia. Amém.
Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.

Rezar: Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória. Pela intenção do Sumo Pontífice para ganhar as indulgências.