Apresentação

Depois de rezar a Novena de Súplica a Nossa Senhora da Pompéia, reza-se esta novena meditando por 27 dias os quinze mistérios do Rosário, como pediu Nossa Senhora. Reza-se diante da imagem da Santíssima Virgem do Rosário, acendam-se duas velas, se possível, e, ajoelhados, tendo nas mãos o Rosário.

(fonte: amoranossasenhora.com.br/novena-de-sao-pio-de-pietrelcina-a-nossa-senhora-do-rosario-de-pompeia)

 Dia 1

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 2

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 3

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 4

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 5

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 6

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 7

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 8

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 9

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 10

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 11

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 12

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 13

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 14

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 15

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 16

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 17

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 18

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 19

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 20

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 21

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 22

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 23

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 24

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 25

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 26

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)

 Dia 27

– Ó DEUS, vinde em meu auxilio.
– SENHOR, apressai-vos em me socorrer.

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

1. Eis-me novamente aos vossos pés, ó Imaculada Mãe de Jesus, que vos comprazeis em ser invocada como Rainha do Rosário do Vale de Pompéia.
Com alegria no coração, e com a alma compenetrada da mais viva gratidão, torno a vir a vós, minha generosa benfeitora, minha doce Senhora, soberana do meu coração; a vós que vos mostrastes verdadeiramente ser minha Mãe, Mãe que tanto me ama. Eu estava aflito, e vós me ouvistes, estava triste e me consolastes, estava em angústia e me restituístes a paz. Dores e penas de morte assaltaram meu coração, e vós, ó Mãe, do vosso trono de Pompéia, com um olhar compassivo, me serenastes o ânimo.
Quem se dirigi a vós com confiança, e não foi ouvido? Oh! Se todos soubessem quanto sois bondosa, quanto sois compreensiva com quem sofre, então todos recorreriam a vós!… Sede sempre bendita, ó Virgem Soberana do Rosário de Pompéia, por mim e por toda a humanidade, pelos Santos Anjos, por toda a terra como sois no Céu. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


2. Mil graças rendo a Deus e mil graças a vós, ó Mãe divina, pelos novos benefícios que por vossa bondade e misericórdia me foram concedidos. Que teria sido de mim se tivésseis repelido os meus suspiros e as minhas lágrimas? Por mim vos agradeçam os Anjos do Paraíso, os Santos Apóstolos, os Mártires e os Confessores. Por mim vos agradeçam tantas almas pecadoras, salvas por vosso intermédio, que agora gozam no Céu a visão de vossa imortal beleza. Quisera que, juntamente contigo, todas as criaturas vos amassem e que o mundo todo repetisse o eco das minhas ações de graças. Que poderia eu vos oferecer, ó Rainha de piedade e magnificência?
A vida que me resta eu a consagro a vós, e a propagar por toda parte o vosso culto, ó Virgem do Rosário de Pompéia, por cujas preces a graça do Senhor me visitou. Promoverei a devoção do vosso Rosário, contarei a todos a misericórdia que me alcançastes, proclamarei sempre quanto fostes boa para comigo, de modo que até os indignos e pecadores como eu para vós se voltem com confiança.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


3. Como vos chamarei eu, ó cândida Pomba de paz? Com que títulos vos invocarei, vós a quem os Santos Doutores chamaram Senhora de tudo criado por Deus, Porta da Vida, Templo de Deus, Raio de Luz, Glória dos Céus, Santíssima de todos os Santos, Mártir dos Mártires, Paraíso do Altíssimo?
Vós sois a tesoureira das graças, a onipotência suplicante, a própria misericórdia de Deus que desce sobre os infelizes. Mas sei também que é agradável ao vosso coração ser invocada como RAINHA DO ROSÁRIO DO VALE DE POMPÉIA.
E, assim chamando-vos, sinto a doçura do vosso místico nome, ó Rosa do Paraíso, transplantada no vale do pranto para suavizar os trabalhos dos degradados filhos de Eva; rubra Rosa de Caridade, cujo perfume é mais agradável que todos os aromas do Líbano, que com a fragrância da vossa suavidade celestial atraís ao vosso Vale os corações dos pecadores e os conduzis ao Coração de Deus. Vós sois a Rosa de eterno frescor que, regada pelos arroios das águas celestes, lançastes as vossas raízes sobre a terra ressequida por uma chuva de fogo. Rosa de intemerata beleza, que no lugar da desolação plantastes o Jardim das delícias do Senhor.
Adorado seja Deus que tornou o vosso Nome tão admirável! Bendizei, ó povos, bendizei o Nome da Virgem do Rosário, pois toda a terra está cheia de sua misericórdia. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


4. No meio das tempestades que me tinham submergido, levantei meus olhos a vós, nova Estrela de esperança, aparecida em nossos dias sobre o vale das ruínas.
Da profundeza das amarguras ergui as minhas súplicas a vós, ó Rainha do Rosário de Pompéia, e experimentei o poder deste título que vos é tão caro.
Salve! Clamarei sempre, salve! ó Mãe de piedade, mar imenso de graças, oceano de bondade e compaixão.
As vossas glórias de vosso Rosário, as recentes vitórias da vossa coroa, quem as cantará dignamente? Vós, ao mundo, que se desprende dos braços de Jesus para se entregar aos de satanás, ensinastes a salvação naquele vale, onde o inimigo atirou as almas.
Vós calcastes, triunfadora, os alicerces dos templos pagãos e sobre as ruínas da idolatria pusestes o escabelo do vosso domínio. Vós mudastes a região da morte em vale de ressurreição e de vida, e sobre a terra dominada por vosso inimigo fundastes a cidade do refúgio, onde acolheis os povos para salvá-los.
Eis que os vosso filhos, espalhados pelo Mundo, ali vos ergueram um trono, como sinal de vossos prodígios, como troféu de vossa misericórdia. Vós, desse trono, me chamastes também a mim, entre os filhos da vossa predileção; sobre mim, pecador, também repousou o olhar da vossa misericórdia.
Sejam benditas eternamente as vossas obras, ó Senhora, sejam benditos todos os prodígios por vós operados no Vale da desolação e do extermínio. Amém.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.


5. Ressoe em todas as línguas vossa glória, ó Senhora, e a tarde transmita ao dia seguinte o concerto das vossas bênçãos. Todos os povos vos chamem bem-aventurada, e bem-aventurada repercutam todas as plagas da terra, as mansões dos Céus. Três vezes bem-aventurada, também eu vos chamarei com os Anjos, com os Arcanjos, com os Principados; três vezes bem-aventurada com as angélicas Potestades, com as Virtudes dos Céus, com as Dominações supernas, bem-aventurada, vos aclamarei com os Tronos, com os Querubins e os Serafins.
Ó minha Soberana Salvadora, não deixeis de volver os vossos olhos misericordiosos sobre esta família, sobre esta nação, sobre toda a Igreja Católica apostólica. Sobretudo, não me negueis a maior das graças, isto é, que a minha fragilidade nunca me separe de vós.

Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Amém.

(Rezar Santo Rosário)