Primeira Leitura (1Sm 18,6-9; 19,1-7)


Leitura do Primeiro Livro de Samuel.

18,6Naqueles dias, quando Davi voltou, depois de ter matado o filisteu, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, dançando e cantando alegremente ao som de tamborins e címbalos. 7E, enquanto dançavam, diziam em coro: “Saul matou mil, mas Davi matou dez mil”. 8Saul ficou muito encolerizado com isto e não gostou nada da canção, dizendo: “A Davi deram dez mil, e a mim somente mil. Que lhe falta ainda, senão a realeza?” 9E, a partir daquele dia, não olhou mais para Davi com bons olhos.

19,1Saul falou a Jônatas, seu filho, e a todos os seus servos sobre sua intenção de matar Davi. Mas Jônatas, filho de Saul, amava profundamente Davi, 2e preveniu-o a respeito disso, dizendo: “Saul, meu pai, procura matar-te; portanto, toma cuidado amanhã de manhã, e fica oculto em um esconderijo. 3Eu mesmo sairei em companhia de meu pai, no campo, onde estiveres, e lhe falarei de ti, para ver o que ele diz, e depois te avisarei de tudo o que eu souber”.

4Então Jônatas falou bem de Davi a Saul, seu pai, e acrescentou: “Não faças mal algum ao teu servo Davi, porque ele nunca te ofendeu. Ao contrário, o que ele tem feito foi muito proveitoso para ti. 5Arriscou a sua vida, matando o filisteu, e o Senhor deu uma grande vitória a todo o Israel. Tu mesmo foste testemunha e te alegraste. Por que, então, pecarias, derramando sangue inocente e mandando matar Davi sem motivo?”

6Saul, ouvindo isto, e aplacado com as razões de Jônatas, jurou: “Pela vida do Senhor, ele não será morto!” 7Então Jônatas chamou Davi e contou-lhe tudo isto. Levou-o em seguida a Saul, para que ele retomasse o seu lugar, como antes.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 55)


— É no Senhor que eu confio e nada temo!

— É no Senhor que eu confio e nada temo!

— Tende pena e compaixão de mim, ó Deus, pois há tantos que me calcam sob os pés, e agressores me oprimem todo dia! Meus inimigos de contínuo me espezinham, são numerosos os que lutam contra mim!

— Do meu exílio registrastes cada passo, em vosso odre recolhestes cada lágrima, e anotastes tudo isso em vosso livro!

— Meus inimigos haverão de recuar em qualquer dia em que eu vos invocar; tenho certeza: o Senhor está comigo!

— Confio em Deus e louvarei sua promessa. É no Senhor que eu confio e nada temo: que poderia contra mim um ser mortal? Devo cumprir, ó Deus, os votos que vos fiz, e vos oferto um sacrifício de louvor.


Evangelho (Mc 3,7-12)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 7Jesus se retirou para a beira do mar, junto com seus discípulos. Muita gente da Galileia o seguia. 8E também muita gente da Judeia, de Jerusalém, da Idumeia, do outro lado do Jordão, dos territórios de Tiro e Sidônia, foi até Jesus, porque tinham ouvido falar de tudo o que ele fazia. 9Então Jesus pediu aos discípulos que lhe providenciassem uma barca, por causa da multidão, para que não o comprimisse. 10Com efeito, Jesus tinha curado muitas pessoas, e todos os que sofriam de algum mal jogavam-se sobre ele para tocá-lo. 11Vendo Jesus, os espíritos maus caíam a seus pés, gritando: “Tu és o Filho de Deus!” 12Mas Jesus ordenava severamente para não dizerem quem ele era.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: O amor faz com que cuidemos uns dos outros

"E, a partir daquele dia, não olhou mais para Davi com bons olhos". (I Sm 18,9)

 

O povo está exaltando a Davi porque ele venceu o grande filisteu, Golias. Então, começa a clamar: "Davi matou a dez mil; Saul matou a mil"; o fato é que Saul ficou muito encolerizado. E por que que Saul ficou encolerizado? A cólera é o fruto da inveja, em vez de se alegrar com o bem que Davi fez, se unir a ele, exaltá-lo, pelo contrario, Saul ficou com inveja daquilo que Deus realizou por meio de Davi.

Pessoa invejosa é aquela que não se deixa enviar por Deus mas por si própria; ela é incapaz de se alegrar com os dons que Deus dá ao outro, com o bem que Deus faz por meio de outros. E o coração que se enche de inveja, se enche de cólera, de raiva, de rancor, de ressentimento; e a primeira coisa que faz é falar mal. Dentro do seu coração mata-se aquela pessoa que é causa da inveja.

É, de fato, isso que Saul está fazendo; a cólera fez com que ele matasse dentro de si o amor, o sentimento mais nobre que podia e devia ter por Davi, que veio para ser, acima de tudo, um colaborador. Mas não, pois, dentro de si, ele já rejeita e mata Davi.

O amor faz com que cuidemos uns dos outros; o amor faz com que possamos proteger uns aos outros

Quando nos ressentimos com alguém e esse ressentimento não é curado, nós vamos matando essa pessoa dentro de nós; e, a primeira coisa que acontece é falarmos mal. Então, é isso que aconteceu, pois Saul vai para Jônatas, seu filho, para falar mal de Davi e, ainda, desejoso por matá-lo. Mas Jônatas, o filho de Saul, muito amava a Davi e era muito amigo dele. Ele não segue a cólera de Saul, muito pelo contrário, se precavê da cólera do seu pai; se isola daquilo que é a cólera, raiva; ele se blinda daquele mal. Jônatas, na verdade, vai advertir e ajudar o seu amigo.

Enquanto a inveja mata e faz de nós pessoas coléricas, maldosas; faz de nós pessoas que falam mal uma das outras, o amor faz com que cuidemos uns dos outros, o amor faz com que possamos proteger uns aos outros. Essa é a atitude de Jônatas, que amava profundamente a Davi que, por sua vez, o amava profundamente, pois havia sinceridade sincera, pura, autentica. E Jônatas vai ser o escudo, mesmo sabendo da ira do seu pai, para proteger o seu amigo.

Não sejamos pessoas do mal, da inveja, não sejamos pessoas da cólera, da ira, e sim do amor, assim como foi Jônatas, porque o amor liberta, protege, precavê, mas a inveja nos destrói e nos leva a destruirmos uns aos outros.

Deus abençoe você!

 

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Santo do Dia:

Santo Ildefonso

Nasceu no ano de 606, em Toledo, no dia 8 de dezembro. Um homem de oração, foi discernindo a vontade de Deus também nas perdas. Ficou órfão e, em meio aos bens que possuía, fez de tudo para a construção de um mosteiro para religiosos. Um homem de discernimento, que não quer dizer sem medo, sem dificuldades.

Os santos não foram super-homens, mas pessoas de carne e osso que foram se deixando transformar por Aquele que é o santo dos santos: Jesus Cristo. Ele que, pelo poder do Espírito Santo, opera maravilhas no coração que se abre.

Santo Ildefonso, um coração aberto para as vontades de Deus, mesmo contra a própria vontade. Aconteceu que o Bispo de sua localidade havia falecido e o povo o elegeu. Ele se escondeu num convento, mas foi descoberto e aceitou este grande serviço para o povo de Deus. Foi um grande instrumento de Deus e devoto da Santíssima Virgem. Ele propagou a Festa da Expectação de Nossa Senhora, em 18 de dezembro – Nossa Senhora do Ó, como ficou conhecida. Fruto desse amor, ele recebeu a graça de uma aparição da Virgem Maria, chamando-o de “meu capelão” e presenteando-o com uma casula do céu. Assim diz o seu testemunho.

Um homem revestido de humildade, de vida, de oração na vida sacramental, por isso foi um grande pastor para o seu povo. Não evangelizou sozinho, pois os santos bem sabiam e continuam a saber o quanto nós precisamos uns dos outros para que a evangelização aconteça, para que muitos conheçam esse doce nome que tem nosso Senhor Jesus Cristo. Os santos foram aqueles que se consumiram pelo Evangelho para que muitos conheçam Jesus Cristo.

Santo Ildefonso, rogai por nós