Primeira Leitura (At 16,11-15)


Leitura dos Atos dos Apóstolos.

11Embarcamos em Trôade e navegamos diretamente para a ilha de Samotrácia. No dia seguinte, ancoramos em Neápolis, 12de onde passamos para Filipos, que é uma das principais cidades da Macedônia, e que tem direitos de colônia romana. Passamos alguns dias nessa cidade.

13No sábado, saímos além da porta da cidade para um lugar junto ao rio, onde nos parecia haver oração. Sentados, começamos a falar com as mulheres que estavam aí reunidas. 14Uma delas chamava-se Lídia; era comerciante de púrpura, da cidade de Tiatira. Lídia acreditava em Deus e escutava com atenção. O Senhor abriu o seu coração para que aceitasse as palavras de Paulo.

15Após ter sido batizada, assim como toda sua família, ela convidou-nos: “Se vós me considerais uma fiel do Senhor, permanecei em minha casa”. E forçou-nos a aceitar.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 149)


— O Senhor ama seu povo de verdade.

— O Senhor ama seu povo de verdade.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, e o seu louvor na assembleia dos fiéis! Alegre-se Israel em quem o fez, e Sião se rejubile no seu Rei!

— Com danças glorifiquem o seu nome, toquem harpa e tambor em sua honra! Porque, de fato, o Senhor ama seu povo e coroa com vitória aos seus humildes.

— Exultem os fiéis por sua glória, e cantando se levantem de seus leitos, com louvores do Senhor em sua boca, eis a glória para todos os seus santos.


Evangelho (Jo 15,26–16,4a)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 15,26“Quando vier o Defensor que eu vos mandarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim.

27E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o começo. 16,1Eu vos disse estas coisas para que a vossa fé não seja abalada. 2Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que aquele que vos matar julgará estar prestando culto a Deus. 3Agirão assim, porque não conheceram o Pai, nem a mim. 4aEu vos digo isto, para que vos lembreis de que eu o disse, quando chegar a hora”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Testemunhemos a ação do Espírito Santo em nossa vida

“Quando vier o Defensor que eu vos mandarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim. E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o começo (João 15,26-27).

O Espírito prometido por Jesus vem em nosso auxílio, em nosso socorro, vem habitar em nós, vem para fazer de nós testemunhas. E testemunha é aquele que experimenta, é aquele que vê e permite que a sua própria vida seja um sinal da transformação de Deus.

Nós, que estamos vendo tudo o que Jesus realizou e realiza, podemos e devemos testemunhar, com a nossa vida, que Deus está em nós.

É muito importante fazer memória, atualizar a própria vida. Eu olho a minha vida e eu ainda não sou aquilo que preciso ser, mas eu reconheço que a mão de Deus me conduziu, transformou-me, tocou-me e vem me transformando.

Podemos testemunhar em nós aquilo que o Espírito faz e age, ele me convence, ele me retira do mal, vai transformando meu interior, meu temperamento, as minhas convicções. Podemos e devemos, com a nossa vida, testemunhar a ação do Espírito em nós, mas o testemunho acontece também de forma oral, falada, escrita, dita. É preciso proclamar aquilo que o Espírito realiza no mundo, é preciso proclamar que Jesus é o salvador de toda a humanidade.

Como proclamar? Como dizer? Como testemunhar? Na ação e no fogo do Espírito. É tudo isso que nós acompanhamos durante esses dias nos Atos dos Apóstolos. Homens e mulheres movidos e transformados pelo dom do Espírito, que, com muita parrésia e ousadia, testemunhavam para o mundo a ação transformadora de Jesus.

Precisamos proclamar Jesus, porque o mundo dilacera, o mundo anuncia o mal, as coisas negativas, as discórdias, brigas, desentendimentos; e precisamos testemunhar cada vez mais a Boa Nova. Não podemos substituí-la por nada, por novidades, por descobertas, cada coisa tem o seu lugar, mas o único que pode salvar o mundo é Jesus, nosso Senhor e Salvador.

Na força e na ousadia do Espírito, testemunhemos em casa, na família e no trabalho, onde quer que estejamos, o poder salvador de Jesus. O mundo, as pessoas e nós precisamos estar convictos de que só há salvação em Jesus.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/padrerogeramigo

Santo do Dia:

Solenidade da Santíssima Trindade

Hoje, a Igreja celebra a Solenidade da Santíssima Trindade, o mistério central da fé e da vida cristã. Deus se revelou como Pai, Filho e Espírito Santo. Foi Nosso Senhor Jesus Cristo quem nos revelou esse mistério. Ele falou do Pai, do Espírito Santo e de Si mesmo como Deus. Logo, não é uma verdade inventada pela Igreja, mas revelada por Jesus. Não a podemos compreender, porque o Mistério de Deus não cabe em nossa cabeça, mas é a verdade revelada.

Santo Agostinho (430) dizia que o Espírito Santo procede do Pai, enquanto fonte primeira, e pela doação eterna deste último ao Filho, do Pai e do Filho em comunhão (A Trindade, 15,26,47).

Só existe um Deus, mas n’Ele há três Pessoas divinas distintas: Pai, Filho e Espírito Santo. Não pode haver mais que um Deus, pois este é absoluto. Se houvesse dois deuses, um deles seria menor que o outro, mas Deus não pode ser menor que outro, pois não seria Deus.

Por não dividir a unidade divina, a distinção real das Pessoas entre si reside unicamente nas relações que as referem umas às outras: Nos nomes relativos das Pessoas, o Pai é referido ao Filho, o Filho ao Pai, o Espírito Santo aos dois. Quando se fala dessas três Pessoas, considerando as relações, crê-se todavia em uma só natureza ou substância (XI Conc. Toledo, DS 675).

São Clemente de Roma, Papa no ano 96, ensinava: “Um Deus, um Cristo, um Espírito de graça” (Carta aos Coríntios 46,6). “Como Deus vive, assim vive o Senhor e o Espírito Santo” (Carta aos Coríntios 58,2).

O Concílio de Niceia, ano 325, confirmou toda essa verdade: “Cremos […] em um só Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, nascido do Pai como Unigênito, isto é, da substância do Pai, Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não feito, consubstancial com o Pai, por quem foi feito tudo que há no céu e na terra. […] Cremos no Espírito Santo, Senhor e fonte de vida, que procede do Pai, com o Pai e o Filho é adorado e glorificado, o qual falou pelos Profetas” (Credo de Niceia).

Pai, Filho e Espírito Santo, rogai por nós!