Primeira Leitura (1Pd 5,1-4)


Leitura da Primeira Carta de São Pedro.

Caríssimos, 1exorto aos presbíteros que estão entre vós, eu, presbítero como eles, testemunha dos sofrimentos de Cristo e participante da glória que será revelada: 2Sede pastores do rebanho de Deus, confiado a vós; cuidai dele, não por coação, mas de coração generoso; não por torpe ganância, mas livremente; 3não como dominadores daqueles que vos foram confiados, mas antes, como modelos do rebanho. 4Assim, quando aparecer o pastor supremo, recebereis a coroa permanente da glória.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 22)


— O Senhor é o pastor que me conduz, não me falta coisa alguma.

— O Senhor é o pastor que me conduz, não me falta coisa alguma.

— O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma. Pelos prados e campinas verdejantes, ele me leva a descansar. Para as águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças.

— Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra do seu nome. Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei. Estais comigo com bastão e com cajado, eles me dão a segurança!

— Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo; com óleo vós ungis minha cabeça, e o meu cálice transborda.

— Felicidade e todo bem hão de seguir-me, por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.


Evangelho (Mt 16,13-19)


 

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 13Jesus foi à região de Cesaréia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?” 14Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”. 15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” 16Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”. 17Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. 18Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. 19Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Um rebanho com um único pastor, o Papa Francisco

"Sede pastores do rebanho de Deus, confiado a vós; cuidai dele, não por coação, mas de coração generoso; não por torpe ganância, mas livremente" (1Pd 5,2).

Nós temos, hoje, a graça de celebrarmos a Cátedra de Pedro. Estamos com o coração unido com aquele que é o pastor de toda a Igreja. Jesus é o bom Pastor, por excelência, de toda a grei do rebanho de Deus. Porém, o pastor visível, aquele que nos representa junto a Cristo, aquele que é a figura da unidade, da comunhão da Igreja é o nosso Papa.

Hoje, o nosso Papa, o que senta-se na Cátedra de Pedro, chama-se Francisco; e precisamos viver uma estreita comunhão com ele. Primeiro, pela oração, pois, a primeira coisa que ele pediu quando assumiu o pontificado foi: "rezem por mim, orem por mim". Oremos pelo nosso amado pastor, o Papa Francisco; mas, meus irmãos, não amemos só com palavras, vivamos a comunhão com aquele que é o pastor da Igreja. É simplesmente inadmissível nós termos entre nós aqueles que são semeadores das discórdias, confusões; aqueles que, livremente, atacam o Papa.

Antes de mais nada, nós não devemos atacar a ninguém, agredir a ninguém, pois, se você discorda do seu pai, daquele que te gerou, eu não posso aceitar uma atitude agressiva sua, intolerante direcionado a ele,  porque isso mostra o mal que está dentro de você, ou ainda, eu não posso aceitar que você seja agressivo com o padre da sua paroquia quanto mais com o Papa Francisco. Além disso, nós sabemos que isso vem das paixões que cada um alimenta no seu coração, essas precisam ser curadas e tratadas. O que nós não podemos é confundir as coisas não resolvidas dentro de nós com o amor e com a comunhão que nós precisamos ter com a Igreja. E essa unidade, essa comunhão com a Igreja acontece com na figura do Papa.


O nosso Papa, aquele que senta na Cátedra de Pedro, chama-se Francisco

É isto que nós estamos celebrando hoje, com todo o nosso coração: a nossa comunhão com o pastor universal da Igreja, o nosso amado Papa Francisco. Ele é incansável na defesa da Doutrina, da fé, mas, sobretudo, do socorro aos mais pobres, aos renegados da sociedade; ele é o bom pastor que se preocupa com cada uma das suas ovelhas, as mais sofridas, machucadas e feridas.

A nossa resposta hoje é de amor, de fé e de fidelidade. Não adianta nós termos pensamentos adversos, controversos com aqueles que só querem semear a discórdia, o que nós estamos celebrando hoje é a concórdia do coração de Deus, Aquele que quis que a Sua Igreja fosse una; Aquele que não quis que o Evangelho fosse uma bagunça no mundo, pelo contrário, Ele quis que ela fosse símbolo da união dos homens em Deus; claro que, com as diversidades, as diversas manifestações próprias, maravilhosas, mas convergindo para a unidade.

Haverá um só rebanho e um só pastor! Hoje, precisamos ser um rebanho com um único pastor, o nosso amado Papa Francisco, para ele as nossas preces, orações, comunhão de amor e fidelidade.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Festa da Cátedra de São Pedro

O Magistério da Igreja, encarregado da missão de ensinar a mesma fé dos Apóstolos, é um dos maiores dons de Deus à humanidade. Graças a ele, descansa a nossa inteligência na posse segura das verdades mais importantes e encontra, na docilidade de sua obediência às palavras do Espírito Santo, o remédio contra a pretensão de erigir-se em mestra e juíza de sua “própria” verdade. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para este sábado, dia 22 de fevereiro, e medite conosco sobre o significado profundo da Cátedra de Pedro, sobre a qual se ergue, como sustentáculo da verdade, a Santa Igreja de Cristo.





Santo do Dia:

Festa da Cátedra de São Pedro

É com alegria que hoje nós queremos conhecer um pouco mais a riqueza do significado da cátedra, do assento, da cadeira de São Pedro que se encontra na Itália, no Vaticano, na Basílica de São Pedro. Embora a Sé Episcopal seja na Basílica de São João de Latrão, a catedral de todas as catedrais, a cátedra com toda a sua riqueza, todo seu simbolismo se encontra na Basílica de São Pedro.

Fundamenta-se na Sagrada Escritura a autoridade do nosso Papa: encontramos no Evangelho de São Mateus no capítulo 6, essa pergunta que Jesus fez aos apóstolos e continua a fazer a cada um de nós: "E vós, quem dizei que eu sou?" São Pedro, em nome dos apóstolos, pode assim afirmar: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo". Jesus então lhe disse: "Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi nem a carne, nem o sangue que te revelou isso, mas meu Pai que está no céus, e eu te declaro: Tu és Pedro e sobre essa pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; eu te darei a chave dos céus tudo que será ligado na terra serás ligado no céu e tudo que desligares na terra, serás desligado nos céus".

Logo, o fundador e o fundamento, Nosso Senhor Jesus Cristo, o Crucificado que ressuscitou, a Verdade encarnada, foi Ele quem escolheu São Pedro para ser o primeiro Papa da Igreja e o capacitou pelo Espírito Santo com o carisma chamado da infalibilidade. Esse carisma bebe da realidade da própria Igreja porque a Igreja é infalível, uma vez que a alma da Igreja é o Espírito Santo, Espírito da verdade.

Enfim, em matéria de fé e de moral a Igreja é infalível e o Papa portando esse carisma da infalibilidade ensina a verdade fundamentada na Sagrada Escritura, na Sagrada Tradição e a serviço como Pastor e Mestre.

De fato, o Papa está a serviço da Verdade, por isso, ao venerarmos e reconhecermos o valor da Cátedra de São Pedro, nós temos que olhar para esses fundamentos todos. Não é autoritarismo, é autoridade que vem do Alto, é referência no mundo onde o relativismo está crescendo, onde muitos não sabem mais onde está a Verdade.

Nós olhamos para Cristo, para a Sagrada Escritura, para São Pedro, para este Pastor e Mestre universal da Igreja, então temos a segurança que Deus quer nos dar para alcançarmos a Salvação e espalharmos a Salvação.

Essa vocação é do Papa, dos Bispos, dos Presbíteros, mas também de todo cristão.

São Pedro, rogai por nós!