Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Gloriosos com imagens

Memória Facultativa

Santa Francisca Romana, religiosa

Antífona de entrada

Lembrai-vos de vossa misericórdia e de vosso amor, pois são eternos. Nossos inimigos não triunfem sobre nós; libertai-nos, ó Deus, de toda angústia! (Sl 24, 6. 3. 22)
Reminíscere miseratiónum tuárum, Dómine, et misericórdiae tuae, quae a saéculo sunt: ne unquam dominéntur nobis inimíci nostri: líbera nos Deus Israel ex ómnibus angústiis nostris. Ps. Ad te Dómine levávi ánimam meam: Deus meus in te confído, non erubéscam. (Ps. 24, 6. 3. 22 et 1-2)
Vernáculo:
Lembrai-vos de vossa misericórdia e de vosso amor, pois são eternos. Nossos inimigos não triunfem sobre nós; libertai-nos, ó Deus, de toda angústia! (Cf. MR: Sl 24, 6. 3. 22) Sl. Senhor meu Deus, a vós elevo a minha alma, em vós confio: que eu não seja envergonhado. (Cf. LH: Sl 24, 1-2a)

Oração do dia

Considerai, ó Deus, com bondade o fervor do vosso povo. E, enquanto mortificamos o corpo, sejamos espiritualmente fortalecidos pelos frutos das boas obras. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Jn 3, 1-10)


Leitura da Profecia de Jonas


1A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, pela segunda vez: 2“Levanta-te e põe-te a caminho da grande cidade de Nínive e anuncia-lhe a mensagem que eu te vou confiar”.

3Jonas pôs-se a caminho de Nínive, conforme a ordem do Senhor. Ora, Nínive era uma cidade muito grande; eram necessários três dias para ser atravessada. 4Jonas entrou na cidade, percorrendo o caminho de um dia; pregava ao povo, dizendo: “Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída”.

5Os ninivitas acreditaram em Deus; aceitaram fazer jejum, e vestiram sacos, desde o superior ao inferior. 6A pregação chegara aos ouvidos do rei de Nínive; ele levantou-se do trono e pôs de lado o manto real, vestiu-se de saco e sentou-se em cima de cinza.7Em seguida, fez proclamar, em Nínive, como decreto do rei e dos príncipes: “Homens e animais bovinos e ovinos não provarão nada! Não comerão e não beberão água. 8Homens e animais se cobrirão de sacos, e os homens rezarão a Deus com força; cada um deve afastar-se do mau caminho e de suas práticas perversas.

9Deus talvez volte atrás, para perdoar-nos e aplacar sua ira, e assim não venhamos a perecer”. 10Vendo Deus as suas obras de conversão e que os ninivitas se afastavam do mau caminho, compadeceu-se e suspendeu o mal, que tinha ameaçado fazer-lhes, e não o fez.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 50)


℟. Ó Senhor, não desprezeis um coração arrependido!


— Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão de vosso amor, purificai-me! Lavai-me todo inteiro do pecado, e apagai completamente a minha culpa! ℟.

— Criai em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, nem retireis de mim o vosso Santo Espírito! ℟.

— Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, e, se oferto um holocausto, o rejeitais. Meu sacrifício é minha alma penitente, não desprezeis um coração arrependido! ℟.


https://youtu.be/RG8Gf-kifXI
℟. Jesus Cristo, sois bendito, sois o Ungido de Deus Pai!
℣. Voltai ao Senhor, vosso Deus, ele é bom, compassivo e clemente. (Jl 2, 12-13) ℟.

Evangelho (Lc 11, 29-32)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Lucas 

℟. Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 29quando as multidões se reuniram em grande quantidade, Jesus começou a dizer: “Esta geração é uma geração má. Ela busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal de Jonas.

30Com efeito, assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, assim também será o Filho do Homem para esta geração. 31No dia do julgamento, a rainha do Sul se levantará juntamente com os homens desta geração, e os condenará. Porque ela veio de uma terra distante para ouvir a sabedoria de Salomão. E aqui está quem é maior do que Salomão.

32No dia do julgamento, os ninivitas se levantarão juntamente com esta geração e a condenarão. Porque eles se converteram quando ouviram a pregação de Jonas. E aqui está quem é maior do que Jonas”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Antífona do Ofertório

Meditábor in mandátis tuis, quae diléxi valde: et levábo manus meas ad mandáta tua, quae diléxi. (Ps. 118, 47. 48)


Vernáculo:
Muito me alegro com os vossos mandamentos, que eu amo, amo tanto, mais que tudo! Elevarei as minhas mãos para louvar-vos e com prazer meditarei vossa vontade. (Cf. LH: Sl 118, 47. 48)

Sobre as Oferendas

Nós vos ofertamos, ó Deus, estes dons que nos destes para oferecer-vos. E, assim como os tornais para nós um sacramento, sejam também remédio para a vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Senhor, alegrem-se todos os que em vós confiam e exultem eternamente aqueles que protegeis. (Sl 5, 12)
Intéllege clamórem meum: inténde voci oratiónis meae, Rex meus, et Deus meus: quóniam ad te orábo, Dómine. (Ps. 5, 2. 3. 4a; ℣. Ps. 5, 4bc. 5-6. 7. 8. 12ab. 12bc. 13)
Vernáculo:
Escutai, ó Senhor Deus, minhas palavras, atendei o meu gemido! Ficai atento ao clamor da minha prece, ó meu Rei e meu Senhor! É a vós que eu dirijo a minha prece. (Cf. LH: Sl 5, 2. 3. 4a)

Depois da Comunhão

Senhor nosso Deus, que não cessais de nos alimentar com os vossos sacramentos, concedei que esta refeição nos alcance a vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 09/03/2022
A Quaresma é para mudar de vida

“Esta geração é uma geração má”, diz-nos hoje o Senhor. “Ela busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal de Jonas.”

Na Quaresma, a Igreja propõe-nos um itinerário de fé com o propósito de conformarmos nossa vida à de Cristo. Isso se faz, sobretudo, por meio da imitação das virtudes do Senhor: sua oração, sua austeridade, sua mansidão, sua misericórdia. É justamente ao seguimento prático de Cristo que o Evangelho de hoje quer-nos provocar. Cristo, reunida uma grande multidão, começa a queixar-se da incredulidade de seus ouvintes: “Esta geração é uma geração má”, infiel à Aliança do Senhor (cf. Is 1, 21; 50, 1; Ez 16; Os 2, 5). “Ela busca um sinal”, não por desejo de conhecer a verdade, mas pelo gosto de ver coisas novas e admiráveis. Por isso, “nenhum sinal lhe será dado”, porque o que Jesus pede de quem o segue é uma atitude de fé e confiança, de conversão de vida. Prova disso são os dois exemplos tirados do Antigo Testamento com que Ele ilustra este ensinamento: a rainha do Sul e o profeta Jonas. A primeira, de origem pagã, vem de uma região longínqua para aprender da sabedoria de Salomão e adorar o Deus verdadeiro (cf. 1Rs 10, 1). Jonas, ao contrário, pertencente ao povo de Israel, é enviado a pregar aos ninivitas, não tanto para a conversão deles quanto pela de seu próprio coração, cheio de rancor e vingança. Com quanta humildade, pois, não devemos nós, iluminados pela fé, submeter-nos àquele que é maior do que Jonas e Salomão! Não sigamos o modelo dos israelitas, pedindo a Deus provas e mais provas; antes, busquemos a mudança de conduta e mentalidade sem a qual a cruz de Cristo será sempre escândalo e loucura. Que Ele nos conceda a graça de, já nestes primeiros dias de Quaresma, retomarmos o bom caminho se porventura nos desviamos, a fim de alcançarmos o conhecimento da verdade e a salvação que Deus quer para todos os homens.

Deus abençoe você!

Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: pocketterco.com.br/ajude

Homilia Diária | Por que resistimos à verdade? (Quarta-feira da 1.ª Semana da Quaresma)

Deus não está à disposição do capricho e da curiosidade humana. De nada adianta pedir provas e sinais, à espera de que Ele realize feitos aparatosos, pois sem mudança de vida, sem conversão, o maior dos milagres é como luz para cegos, grito para surdos: nenhum efeito surte.Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quarta-feira, dia 9 de março, e peçamos a Deus que crie em nós um coração novo e um espírito puro.


https://youtu.be/xhwcArTbwXc

Santo do dia 09/03/2022


Santa Francisca Romana (Memória Facultativa)
Local: Roma, Itália
Data: 09 de Março † 1440


Santa Francisca Romana, porque nascida em Roma, no ano de 1384, de um lar nobre. Foi prometida em casamento pelo pai a um jovem nobre, rico, dotado também de egrégias qualidades. No casamento, Francisca pôde conciliar seus deveres de dama da nobreza, de mãe, esposa e dona de casa com a prática de intensa piedade e caridade para com o próximo.

Viveu numa época de grandes calamidades. Ajudou com seus bens os pobres e dedicou-se ao serviço dos doentes. Na contínua união com Deus hauriu a força para sua incansável operosidade. Foi admirável na sua atividade em favor dos indigentes e na prática das virtudes, especialmente na humildade e na paciência. Com um grupo de damas de Roma deu início, em 1435, à Associação das Oblatas de Maria, ligadas à Ordem Beneditina, mas sem votos religiosos e sem outra finalidade senão a de observar melhor os mandamentos do Senhor, fomentar a devoção a Nossa Senhora, exercitar as virtudes cristãs e praticar a caridade. Francisca continuou a dirigir seu lar. Após quarenta anos de vida matrimonial, com a morte do esposo e dos filhos, passou a viver em companhia das oblatas até sua morte em 1440. Quatro anos após a morte de Francisca, a autoridade eclesiástica aprovou a regra das oblatas, que se constituíram em nova congregação religiosa.

Francisca Romana é modelo da mulher cristã em todas as condições da vida social. Ela foi jovem pura, modesta, religiosa. Foi noiva, foi esposa modelar, mãe amorosa, viúva serena, ativa e animadora de projetos caritativos, enfim, fundadora das Oblatas de Maria. O exemplo desta mulher mostra que a santidade cristã não é uma realidade desligada da vida. A luz de Deus iluminou sua vida de dama pobre, rica, esposa, mãe e religiosa. Pode-se dizer que ela é precursora de um novo tipo de vida religiosa feminina apostólica que se multiplicou em tantas Congregações que foram surgindo nos séculos seguintes na Igreja.

A Oração coleta apresenta Santa Francisca Romana como admirável modelo de esposa e de monja. E pede que possamos reconhecer e seguir a vontade de Deus em todas as circunstâncias da vida. A figura admirável de Santa Francisca Romana, certamente, poderia ser mais conhecida e imitada em nossos dias.

Referência:
BECKHÄUSER, Frei Alberto. Os Santos na Liturgia: testemunhas de Cristo. Petrópolis: Vozes, 2013. 391 p. Adaptações: Equipe Pocket Terço.

Santa Francisca Romana, rogai por nós!