Primeira Leitura (Cl 2,6-15)


Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses.

Irmãos, 6assim como aceitastes a Cristo Jesus como Senhor, assim continuai a guiar-vos por ele: 7enraizados nele e edificados sobre ele, apoiados na fé que vos foi ensinada, dando-lhe muitas ações de graças. 8Estai alerta, para que ninguém vos enrede com sua filosofia e com doutrina falsa, baseando-se em tradição humana e remontando às forças elementares do mundo, sem se fundamentar em Cristo. 9Pois nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade. 10Dele também vós estais repletos, pois ele é a Cabeça de todas as forças e de todos os poderes. 11Nele, vós também recebestes uma circuncisão, não feita por mão humana, mas uma circuncisão que é de Cristo, pela qual renunciais ao corpo perecível.

12Com Cristo fostes sepultados no batismo; com ele também fostes ressuscitados por meio da fé no poder de Deus, que ressuscitou a Cristo dentre os mortos.

13Ora, vós estáveis mortos por causa dos vossos pecados, e vossos corpos não tinham recebido a circuncisão, até que Deus vos trouxe para a vida, junto com Cristo, e a todos nós perdoou os pecados. 14Existia contra nós uma conta a ser paga, mas ele a cancelou, apesar das obrigações legais, e a eliminou, pregando-a na cruz; 15Ele despojou as autoridades e os poderes sobre-humanos e os expôs publicamente em espetáculo, levando-os em cortejo triunfal.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (144)


— O Senhor é muito bom para com todos.

— O Senhor é muito bom para com todos.

— Ó meu Deus, quero exaltar-vos, ó meu Rei, e bendizer o vosso nome pelos séculos. Todos os dias haverei de bendizer-vos, hei de louvar o vosso nome para sempre.

— Misericórdia e piedade é o Senhor, ele é amor, é paciência, é compaixão. O Senhor é muito bom para com todos, sua ternura abraça toda criatura.

— Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem, e os vossos santos com louvores vos bendigam! Narrem a glória e o esplendor do vosso reino e saibam proclamar vosso poder!


Evangelho (Lc 6,12-19)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

12Naqueles dias, Jesus foi à montanha para rezar. E passou a noite toda em oração a Deus. 13Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu o nome de apóstolos: 14Simão, a quem impôs o nome de Pedro, e seu irmão André; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; 15Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelota; 16Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, aquele que se tornou traidor. 17Jesus desceu da montanha com eles e parou num lugar plano. Ali estavam muitos dos seus discípulos e grande multidão de gente de toda a Judéia e de Jerusalém, do litoral de Tiro e Sidônia. 18Vieram para ouvir Jesus e ser curados de suas doenças. E aqueles que estavam atormentados por espíritos maus também foram curados. 19A multidão toda procurava tocar em Jesus, porque uma força saía dele, e curava a todos.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: É na oração que Deus refaz o nosso coração

Naqueles dias, Jesus foi à montanha para rezar. E passou a noite toda em oração a Deus” (Lucas 6,12).

Estamos conhecendo, cada vez mais, Jesus; e quando nós O conhecemos, aprendemos com Ele o que devemos fazer para vivermos a nossa vida em Deus, para crescermos na relação com Ele.

A Palavra está nos mostrando o segredo de Jesus, e o segredo d'Ele é a oração, é crescer na sua comunhão e relação com o Pai, é estar sempre em sintonia com Ele. Nós precisamos ter comunhão com Deus, precisamos viver essa sintonia com Ele, porque não viveremos se não nos aplicarmos à vida em oração.

A oração não pode ser feita somente quando queremos, quando temos tempo, vontade e quando estamos dispostos. Oração é necessidade da alma, do coração e do espírito, oração é necessidade para a vida.

Jesus estava no momento de tomar uma decisão importante, de escolher entre Seus discípulos aqueles que seriam Seus apóstolos. O momento de escolha é o momento que precisamos de luz, sabedoria, direção; é quando precisamos ser guiados pela luz do Alto.


A oração é a graça de nos esvaziarmos de nós para que Deus seja tudo em nós

Quantas decisões precipitadas já tomamos na vida, quantas decisões tomadas no impulso da carne, impulso da nossa ansiedade que tanto move o nosso coração, o nosso ser! E vamos tomando decisões, ali e aqui, sem nos abastecermos de Deus e da graça d'Ele. Depois, é um “Deus nos acuda!”, porque pagamos caro demais pelo preço das nossas precipitações.

A graça está aqui: não faça nada sem oração, não viva nada sem ser no espírito da oração. Entregue, nas mãos de Deus, não só nas pequenas e grandes inquietações, mas nas decisões todas que você precisa tomar na vida. Ore o tempo que for necessário, mas se abasteça de Deus, encha-se d’Ele.

A oração é a graça de nos esvaziarmos de nós para que Deus seja tudo em nós. Às vezes, falamos, mas, na oração, precisa ter essa intimidade, essa capacidade de escuta, essa capacidade de deixar que Deus fale para nos guiar.

Vamos ver que Jesus, abastecido pela oração, também a levou para os seus, levou para curar os enfermos, os doentes, para que aqueles que vinham ouvir a sua Palavra para serem curados, libertos e restaurados.

O Senhor quer nos curar, libertar e restaurar. O Senhor quer fazer a obra nova em nossa vida, por isso não há graça maior do que O ouvir, pois é na oração que Deus refaz o nosso coração.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Por que Jesus quis rezar?
Jesus sobe hoje à montanha e ali, recolhido, longe de olhares curiosos e pedidos inoportunos, se entrega à oração íntima, ao contato sereno e amoroso com o Pai. Este detalhe, que costumamos passar por alto, é contudo extremamente significativo: Jesus Cristo, que, sendo Deus, nenhuma necessidade tinha de rezar, quis dar-nos o exemplo e, com sua oração, ensinou a todos os fiéis a importância de reservar um tempo para Deus. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta terça-feira, 10 de setembro, e aprenda a rezar com Aquele que, com o Pai, escuta as nossas preces!



Santo do Dia:

São Nicolau de Tolentino - eremita

O santo de hoje nasceu na Itália em 1245 dentro de uma família muito religiosa. Seus pais, não podendo ter filhos e para conseguir do Céu a graça de que lhes chegasse algum herdeiro, fizeram uma peregrinação ao Santuário de São Nicolau de Mira na cidade de Bari. No ano seguinte, nasceu este menino e em agradecimento ao santo que lhes tinha conseguido o presente do Céu, puseram-lhe por nome Nicolau.

Com vinte anos, Nicolau ficou impressionado com a pregação de um monge eremita agostiniano. A partir disso, acolheu o desafio da vida monástica como eremita. Ordenado sacerdote em 1270, foi visitar um convento de sua comunidade e lhe pareceu muito formoso e muito confortável e dispôs pedir que o deixassem ali, mas ao chegar à capela ouviu uma voz que lhe dizia: “A Tolentino, a Tolentino, ali perseverará”. Comunicou esta notícia a seus superiores, e a essa cidade o mandaram.

Ao chegar a Tolentino se deu conta de que a cidade estava arruinada moralmente por uma espécie de guerra civil entre dois partidos políticos, o guelfos e os gibelinos, que se odiavam até a morte. E se propôs dedicar-se a pregar como recomenda São Paulo: “Oportuna e inoportunamente”. E aos que não iam ao templo, pregava-lhes nas ruas.

São Nicolau percorria os bairros mais pobres da cidade consolando aos aflitos, levando os sacramentos aos moribundos, tratando de converter os pecadores, e levando a paz aos lares desunidos. Passava horas e horas no confessionário, absolvendo aos que se arrependiam ao escutar seus sermões.

São Nicolau de Tolentino viu em um sonho que um grande número de almas do Purgatório lhe suplicavam que oferecesse orações e missas por elas. Desde então dedicou-se a oferecer muitas Santas Missas pelo descanso das benditas almas.

Morreu em 10 de setembro de 1305, e quarenta anos depois de sua morte foi encontrado seu corpo incorrupto.

São Nicolau de Tolentino, rogai por nós!