Primeira Leitura (Is 49,8-15)


Leitura do Livro do Profeta Isaías.


8Isto diz o Senhor: “Eu atendo teus pedidos com favores e te ajudo na obra de salvação; preservei-te para seres elo de aliança entre os povos, para restaurar a terra, para distribuir a herança dispersa; 9para dizer aos que estão presos: ‘Saí!’ e aos que estão nas trevas: ‘Mostrai-vos’. E todos se alimentam pelas estradas e até nas colinas estéreis se abastecem; 10não sentem fome nem sede, não os castiga nem o calor nem o sol, porque o seu protetor toma conta deles e os conduz às fontes d’água.


11Farei de todos os montes uma estrada e os meus caminhos serão nivelados. 12Eis que estão vindo de longe, uns chegam do Norte e do lado do mar, e outros, da terra de Sinim”. 13Louvai, ó céus, alegra-te, terra; montanhas, fazei ressoar o louvor, porque o Senhor consola o seu povo e se compadece dos pobres. 14Disse Sião: “O Senhor abandonou-me, o Senhor esqueceu-se de mim!” 15Acaso pode a mulher esquecer-se do filho pequeno, a ponto de não ter pena do fruto de seu ventre? Se ela se esquecer, eu, porém, não me esquecerei de ti.


Responsório (Sl 144)


— Misericórdia e piedade é o Senhor.


— Misericórdia e piedade é o Senhor.


— Misericórdia e piedade é o Senhor, ele é amor, é paciência, é compaixão. O Senhor é muito bom para com todos, sua ternura abraça toda criatura.


— O Senhor é amor fiel em sua palavra, é santidade em toda obra que ele faz. Ele sustenta todo aquele que vacila e levanta todo aquele que tombou.


— É justo o Senhor em seus caminhos, é santo em toda obra que ele faz. Ele está perto da pessoa que o invoca, de todo aquele que o invoca lealmente.


Evangelho (Jo 5,17-30)


— O Senhor esteja convosco.


— Ele está no meio de nós.


— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.


Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 17Jesus respondeu aos judeus: “Meu Pai trabalha sempre, portanto também eu trabalho”. 18Então, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque, além de violar o sábado, chamava Deus o seu Pai, fazendo-se, assim, igual a Deus.


19Tomando a palavra, Jesus disse aos judeus: “Em verdade, em verdade, vos digo, o Filho não pode fazer nada por si mesmo; ele faz apenas o que vê o Pai fazer. O que o Pai faz, o Filho o faz também. 20O Pai ama o Filho e lhe mostra tudo o que ele mesmo faz. E lhe mostrará obras maiores ainda, de modo que ficareis admirados.


21Assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá a vida, o Filho também dá a vida a quem ele quer. 22De fato, o Pai não julga ninguém, mas ele deu ao Filho o poder de julgar, 23para que todos honrem o Filho, assim como honram o Pai. Quem não honra o Filho, também não honra o Pai que o enviou.


24Em verdade, em verdade, vos digo, quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, possui a vida eterna. Não será condenado, pois já passou da morte para a vida. 25Em verdade, em verdade, eu vos digo: está chegando a hora, e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus e os que a ouvirem viverão. 26Porque, assim como o Pai possui a vida em si mesmo, do mesmo modo concedeu ao Filho possuir a vida em si mesmo. 27Além disso, deu-lhe o poder de julgar, pois ele é o Filho do Homem. 28Não fiqueis admirados com isso, porque vai chegar a hora em que todos os que estão nos túmulos ouvirão a voz do Filho e sairão: 29aqueles que fizeram o bem, ressuscitarão para a vida; e aqueles que praticaram o mal, para a condenação.


30Eu não posso fazer nada por mim mesmo. Eu julgo conforme o que escuto, e meu julgamento é justo, porque não procuro fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.


Homilia: Sejamos colaboradores do jardim divino

Trabalhemos como o Pai que não se cansa para que o jardim de Deus seja cuidado

“Meu Pai trabalha sempre, portanto também eu trabalho” (João 7,17).

O Pai trabalha criando e recriando o mundo e Seu Filho veio para continuar no meio de nós, veio para levar à plenitude o trabalho do Pai. O bom jardineiro criou esse jardim maravilhoso que é a terra onde vivemos, aqui plantou a vida e, colocou cada um de nós, para cuidar dele. Mas houve aqueles que estragaram o jardim, deixaram ervas daninhas entrar  nele. O Pai enviou o Seu Filho para colocar ordem nesse jardim, para salvá-lo, para que ele não fosse condenado, mas que fosse salvo e verdadeiramente resgatado.

Precisamos ser colaboradores do jardim divino e não destruidores da vida que Deus criou. Há aqueles que, infelizmente, não trabalham para a vida, trabalham para a destruição da vida. Há aqueles que não semeiam a vida, pelo contrário, semeiam o joio, a semente corrompida para que se estrague o jardim da vida. Nem preciso dizer o que fazem as sementes da maldição, da inveja, da mentira, das fofocas e das maledicências; são essas que estragam o jardim de Deus, estragam o coração humano que é o lugar, por excelência, da morada de Deus.

Trabalhemos como o Pai que não se cansa, a fim de que, o jardim de Deus seja cuidado, preservado, salvo e restaurado.

O bom operário da messe do Senhor é aquele que põe a mão na massa e vai trabalhar para construir a vida. “Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, possui a vida eterna”.

O trabalho é para que a nossa vida seja plena e resgatada, para isso é preciso trabalhar com empenho, antes de tudo, na nossa própria alma: expulsando, tirando, purificando aquilo que não é vida. Têm que "aparar as arestas"; há muitas ervas daninhas para ser arrancadas; é preciso que esse trabalho esteja presente sempre em nossa vida.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

Santa Matilde, mulher cheia de compaixão

Santa Matilde foi educada numa nobre família junto a um mosteiro beneditino. Cresceu e casou-se com Henrique I, rei da Alemanha, mas manteve sua nobreza interior, não deixando influenciar-se pelo poder. Teve cinco filhos, e sempre como mãe humilde e orante, buscou ensinar aos filhos os caminhos da salvação eterna.

Matilde também foi mãe para o povo, para os pobres. Mulher cheia de compaixão que dentro das possibilidades ajudou e influenciou a muitos.

Com o falecimento de Henrique I, essa grande mulher de Deus disse aos filhos: “Gravai bem no vosso coração o temor de Deus. Ele é o Rei e Senhor verdadeiro, que dá poder e dignidade perecíveis. Feliz aquele que prepara sua eterna salvação”.

Com a morte do marido, o seu calvário começou: foi traída pelos filhos, sob a falsa acusação de que estaria desperdiçando os bens com os pobres. Retirou-se para um convento e ali intercedeu pelos seus amados filhos, através da oração e sacrifícios.

Seus filhos então, tomaram consciência da injustiça que estavam cometendo. Com a conversão deles, teve mais facilidade para ajudar a muitos outros pobres. Em 968 partiu para o Reino dos céus, o Reino dos santos.

Santa Matilde, rogai por nós!