Antífona de entrada

O Senhor me ouviu e teve compaixão. O Senhor se tornou o meu amparo. (Sl 29, 11)

Oração do dia

Ó Deus, assisti com vossa bondade a penitência que iniciamos, para que vivamos interiormente as práticas externas da Quaresma. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Is 58, 1-9a)


Leitura do Livro do Profeta Isaías


Assim fala o Senhor Deus: 1“Grita forte, sem cessar, levanta a voz como trombeta e denuncia os crimes do meu povo e os pecados da casa de Jacó. 2Buscam-me cada dia e desejam conhecer meus propósitos, como gente que pratica a justiça e não abandonou a lei de Deus. Exigem de mim julgamentos justos e querem estar na proximidade de Deus: 3ʽPor que não te regozijaste, quando jejuávamos, e o ignorastes, quando nos humilhávamos?ʼ — É porque no dia do vosso jejum tratais de negócios e oprimis os vossos empregados. 4É porque, ao mesmo tempo que jejuais, fazeis litígios e brigas e agressões impiedosas.

Não façais jejum com esse espírito, se quereis que vosso pedido seja ouvido no céu. 5Acaso é esse jejum que aprecio, o dia em que uma pessoa se mortifica? Trata-se talvez de curvar a cabeça como junco, e de deitar-se em saco e sobre cinza? Acaso chamas a isso jejum, dia grato ao Senhor?

6Acaso o jejum que prefiro não é outro: — quebrar as cadeias injustas, desligar as amarras do jugo, tornar livres os que estão detidos, enfim, romper todo tipo de sujeição? 7Não é repartir o pão com o faminto, acolher em casa os pobres e peregrinos? Quando encontrares um nu, cobre-o, e não desprezes a tua carne.

8Então, brilhará tua luz como a aurora e tua saúde há de recuperar-se mais depressa; à frente caminhará tua justiça e a glória do Senhor te seguirá. 9aEntão invocarás o Senhor e ele te atenderá, pedirás socorro, e ele dirá: ʽEis-me aquiʼ”.

Salmo Responsorial (Sl 50)


R. Ó Senhor, não desprezeis um coração arrependido!


— Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão de vosso amor, purificai-me! Lavai-me todo inteiro do pecado, e apagai completamente a minha culpa! R.

— Eu reconheço toda a minha iniquidade, o meu pecado está sempre à minha frente. Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, e pratiquei o que é mau aos vossos olhos! R.

— Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, e, se oferto um holocausto, o rejeitais. Meu sacrifício é minha alma penitente, não desprezeis um coração arrependido! R.

 


Aclamação ao Evangelho

R. Salve, Cristo, Luz da vida, companheiro na partilha!
V. Buscai o bem, não o mal, pois assim vivereis; então, o Senhor, nosso Deus, convosco estará! (Cf. Am 5, 14) R.

Evangelho (Mt 9, 14-15)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 14os discípulos de João aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Por que razão nós e os fariseus praticamos jejuns, mas os teus discípulos não?”

15Disse-lhes Jesus: “Por acaso, os amigos do noivo podem estar de luto enquanto o noivo está com eles? Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, sim, eles jejuarão”.

Sobre as Oferendas

Ó Deus, nós vos oferecemos o sacrifício da nossa observância quaresmal para que tenhamos maior domínio sobre nós mesmos e nossas vidas vos sejam agradáveis. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Mostrai-me, Senhor, vossos caminhos, e ensinai-me vossas veredas. (Sl 24, 4)

Depois da Comunhão

Ó Deus todo-poderoso, concedei que, purificados de todas as faltas pela participação neste sacramento, sejamos transformados pelos remédios do vosso amor. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 19/02/2021
O jejum é a busca da disciplina interior

“Por acaso, os amigos do noivo podem estar de luto enquanto o noivo está com eles? Dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, sim, eles jejuarão” (Mateus 9,15).

Uma das temáticas importantes, neste tempo quaresmal, é a prática do jejum. É importante lembrar de que, aqui, se trata de um jejum como prática religiosa, e não o jejum com outras finalidades, como o cuidado da saúde; e assim por diante. Ainda que o jejum religioso e espiritual nos dê também saúde espiritual, física, emocional e tudo mais, não podemos esquecer qual é a finalidade do jejum que fazemos.

Há muitos jejuns na sociedade, muitas práticas, até modas; tem o jejum intermitente, jejum de água, enfim, não é o caso falar sobre essas práticas, e sim o que é o jejum cristão. O jejum cristão é, acima de tudo, aquele que é conectado com a oração e a caridade.

O jejum cristão não é simplesmente deixarmos de comer, o jejum cristão é, acima de tudo, nos retirarmos para orar, o exemplo nos é dado pelo próprio Jesus que, durante quarenta dias, se retirou para o deserto para se dedicar à oração e por isso durante quarenta dias Ele jejuou.


O jejum é o meio de alcançarmos espiritualmente a purificação interior

Nesta Quaresma, muitos de nós nos propusemos a fazer alguma prática penitencial, mas não basta deixar refrigerante de lado, doce ali, ou sei lá qual foi o jejum que você escolheu para fazer, se não aplicamos isso na dimensão da fé, se não intensificamos, sobretudo, aquilo que deixamos de lado para nos dedicar à oração.

O jejum tem o poder de correção, o jejum tem poder de nos disciplinar. Então, deixei para me corrigir de quê? Sobretudo, para corrigir aquilo que dentro do meu interior precisa ser mudado, a minha têmpera que, muitas vezes, está descontrolada, as minhas emoções que precisam de direção, aquela minha forma agressiva ou aquela forma displicente que muitas vezes tenho de ignorar as pessoas, a minha língua que precisa de autocontrole, o meu uso da internet, dos meios virtuais que muitas vezes é excessivo, enfim, cada um olha para si.

O jejum não é a finalidade, o jejum é o meio de alcançarmos espiritualmente a purificação interior. Então, o jejum cristão é feito com a abstinência de alimentos, deixamos de comer isso pelo menos uma vez na semana ou às sextas-feiras, todas as sextas-feiras da Quaresma é importante (alguém pode fazer mais dias), mas o mais importante é que seja um jejum que nos corrija.

A outra dimensão do jejum é a caridade, tanto que a Palavra de Deus nos diz: do que adianta os vossos jejuns, passar um dia inteiro sem comer, se não corrigimos a opressão em relação ao próximo, se não nos voltamos para corrigir nossas maldades, se não nos revestimos da caridade para ver o outro que está sofrendo e oprimido? (cf. Isaías 58)

O jejum não é uma maratona para ver quanto tempo ficamos sem comer, o jejum é a busca da disciplina interior e da correção daquilo que tanto precisamos mudar dentro de nós.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Como viver as sextas-feiras da Quaresma?

Se todas as sextas-feiras do ano são dias de especial penitência, muitos mais o serão as da Quaresma, nas quais devemos reforçar de alguma forma nosso desejo de associar-nos à Paixão de Cristo para, com Ele, ressuscitar no domingo de Páscoa. A isso nos convida a santa Igreja, ao propor-nos neste dia um Evangelho sobre a importância do jejum, sobretudo neste período de preparação para a morte do nosso divino Esposo: “Então, sim, eles jejuarão”. Assista à homilia do Pe. Paulo Ricardo para esta sexta-feira, dia 19 de fevereiro, e medite conosco mais uma página do santo Evangelho!




Santo do dia 19/02/2021

São Conrado

O santo de hoje viveu em Placência, na Itália, lugar onde casou-se também. Um homem de muitos bens, dado aos divertimentos e à caça. Numa ocasião de caçada, acidentalmente provocou um incêndio, prejudicando a muitas pessoas.

Ele então fugiu, e a polícia prendeu um inocente, que não sabendo se defender, estava prestes a ser condenado e executado. Quando Conrado soube disso, se apresentou como responsável pelo incêndio e se propôs a vender todos os bens para reconstruir tudo o que o incêndio destruiu.

A partir daí, ele e sua esposa começaram a fazer uma caminhada séria e profunda no Cristianismo, buscando a vontade de Deus.

No discernimento dessa vontade, o casal fez o ʽvoto josefinoʼ. Ambos se consagraram a Deus para viverem o celibato. Ela foi para um convento e ele retirou-se para um alto monte vivendo por quarenta anos como um eremita. Na oração e na intimidade com Deus, se ofertou a muitos. A muitos que hoje causam prejuízos para si e para os outros.

São Conrado, rogai por nós!