UMA VEZ NO INFERNO, DE LÁ JAMAIS SAIRÁS

“Passar-se-ão cem mil, cem milhões, mil milhões de anos e de séculos e o inferno começará sempre de novo.”

Chegamos ao último dia da Novena pelas Almas do Purgatório. Ao longo desses nove dias compreendemos melhor sobre as realidades que permeiam o pós-morte. Para encerrar, é salutar que entendamos sobre a eternidade.

“Nascemos e jamais morreremos” dizia a Serva de Deus Chiara Corbella Petrillo, se referindo à eternidade da alma. Isso quer dizer que uma vez criada por Deus, no momento da concepção, a nossa alma viverá para sempre. Esse “sempre” se aplica aonde quer que a nossa alma seja destinada após a morte. Os justos que dedicaram suas vidas para amar a Jesus com generosidade, serão os bem-aventurados na Vida Eterna, que gozarão da graça de triunfar com Deus pelos séculos sem fim. O nosso intelecto débil não faz ideia do que é uma perpetuidade, mas pense que a vida mais longa neste mundo nem se compara com a vida que nos espera na eternidade.

Certamente ninguém em sã consciência desejará estar eternamente no inferno, mas será que a forma como você vive neste mundo aponta para essa direção, de rejeição ao inferno e desejo do Céu? O pior de tudo é que muitos acham que vão para o Céu, mas não passarão nem perto. Feliz daquele que prudentemente, nesta vida, se considera merecedor do inferno. Sim, eis aí o grande remédio para evitar o inferno: pensar nele.

Dito isso, pode ter surgido em você a seguinte dúvida: “não seria melhor pensar no Céu?”. Sim, no mundo ideal, com pessoas retamente ordenadas seria, mas basta ser sincero consigo mesmo: estamos longe dessa ordem. Levantamos querendo agradar a Deus e no fim do dia temos que pedir perdão por tê-LO ofendido tanto.

Elencamos alguns benefícios de pensar constantemente no inferno:

  • se dando conta da feiura que lá se encontra, percebemos que não é vantajoso perder-se neste mundo para eternamente sofrer no inferno;
  • empenharemo-nos, ainda que por egoísmo, fazer de todo o possível para alcançar a glória dos Céus;
  • desenvolveremos um verdadeiro ódio ao pecado e detestando tudo aquilo que nos leva a uma ocasião de pecar;
  • perseverando nesta piedosa prática, a alma logo amará a Deus de uma forma mais purificada.

Nossa Senhora, compreendendo bem a pedagogia dessa prática, mostrou o inferno aos pastorinhos em Fátima. Certamente as crianças ficaram assustadas e se sentiram apavoradas, mas os frutos disso podem ser notados nas Memórias da Irmã Lúcia. Na sequência, os pequeninos passaram a rezar com muito mais fervor pelas Almas do Purgatório e pelos pobres pecadores, para que se convertessem e não fossem a tão horrível prisão.

Deixamos então, logo abaixo, uma breve meditação do grande Doutor, Santo Afonso Maria de Ligório, que fala da infelicidade que é ir para o inferno.

“Considera como o inferno é uma prisão infelicíssima, cheia de fogo. Neste fogo estão submersos os danados, tendo um abismo de fogo acima, um abismo aos lados, um abismo abaixo. Fogo nos olhos, fogo na boca, fogo por inteiro. Todos os sentidos têm sua própria pena: os olhos cegos pelo fumo e pelas trevas, aterrorizados pela vista dos demônios e dos outros danados. Com a audição escutarão dia e noite urros contínuos, prantos e blasfêmias. O olfato será afetado pelo fedor daqueles corpos mal cheirosos. O paladar atormentado por uma ardentíssima sede e por uma fome canina, sem jamais obter uma gota d’água nem uma côdea de pão. Por isso, aqueles infelizes encarcerados, abrasados, pela sede, devorados pelo fogo, afligidos por todo tipo de tormentos, choram, gritam, desesperam-se, mas não existe, nem existirá, quem os alivie ou console. Ó inferno, inferno! Muitas só creem quando em ti caem. Que dizes, tu que está lendo? Se tivesses, agora, que morrer, para onde irias? Tu que não suportas uma centelha de vela em tua mão, suportarás, depois, o estar em um lago de fogo, desconsolado e abandonado por todos, por toda a eternidade? A memória dos danados será sempre atormentada pelo remorso da consciência: Este é o verme que sempre roerá o danado, pensar no porque, por poucos prazeres envenenados, danou-se voluntariamente. Ó Deus, o que lhe padecerão, então, aqueles prazeres momentâneos, depois de cem mil, milhões de anos de inferno? Este verme recordar-lhe-á o tempo que Deus pôs à sua disposição para salvar-se; as comodidades que lhe apresentou o Senhor; os bons exemplos dos companheiros; os bons propósitos feitos, mas nunca seguidos. E então verá que não mais existe remédio para sua eterna ruína. Ó Deus, ó Deus que não quer ou seja todos os tormentos. O intelecto conhecerá o grande bem que perdeu: o Paraíso e Deus. “Ó Deus, ó Deus, perdoai-me por amor de Jesus Cristo”.

Pecador, tu que agora não te importas em perder o paraíso e Deus, conhecerás a tua cegueira ao ver os bem-aventurados triunfarem e gozar no reino dos céus; e tu, como um cão fétido, serás expulso daquela pátria beata privado, da bela face de Deus, da companhia de Maria, dos Anjos e dos santos. Então, delirando, gritarás: “Ó paraíso de contentes, ó Deus infinito, não és, e nem serás, mais meu?”. Então vamos com a penitência… Muda de vida: não esperes que o tempo termine. Dê-te a Deus: começa a amá-lo verdadeiramente. Roga a Jesus, Roga a Maria – que eles tenha piedade de ti.”

 

Com este encerramento da Novena, esperamos que de coração contrito e humilde, você possa aceitar uma santa recomendação de propósito:

Estamos disponibilizando, alguns modelos de Exame de Consciência para que se preparando bem, você possa fazer, talvez, a melhor confissão da sua vida.

Para uma boa confissão

  1. Fazer um bom exame de consciência, pedindo a Deus a graça de conhecer os próprios pecados e de se arrepender deles.
  2. Arrepender-se dos pecados, reconhecendo a ofensa causada a Deus, o mal para si mesmo e detestando os pecados.
  3. Firme propósito de não mais tornar a pecar.
  4. Confissão com acusação íntegra dos pecados, dizendo todos os pecados mortais, sua espécie e quantas vezes foram cometidos. A ocultação deliberada de um pecado mortal torna invalida a confissão.
  5. Aceitação da penitência.

Oração para antes do exame de consciência

Senhor Deus onipotente, prostrado humildemente diante da vossa divina majestade, vos rendo infinitas graças por todos os benefícios que de vossa inefável bondade tenho recebido, e em particular por me terdes criado, conservado, remido e cumulado de tantos bens e mercês, muitos dos quais eu ignoro.

Rogo-vos, Senhor, humildemente, que vos digneis conceder-me luz abundante para conhecer todas as faltas e pecados, com que vos tenho ofendido, e graça eficaz para me arrepender e me emendar.

(Manual da Paróquia, 1942, p. 87)

Modelos de Exame de Consciência

Exame de consciência para adultos

Exame de consciência para casais

Exame de consciência para crianças

Exame de consciência para jovens

Exame de consciência para sacerdotes

 

A equipe do Pocket Terço deseja que todos possam participar amanhã da Santa Missa, e deseja a todos uma ótima celebração.

Salve Maria!

 


Referência:
Máximas Eternas – Santo Afonso Maria de Ligório

11 Responses

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *