Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Dolorosos com imagens
Abstinência de carne

Memória Facultativa

Santo Agostinho de Cantuária, bispo

Antífona de entrada

Vós nos resgatastes, Senhor, pelo vosso sangue, de todas as raças, línguas, povos e nações e fizestes de nós um reino e sacerdotes para o nosso Deus, aleluia! (Ap 5, 9-10)
Redemísti nos, Dómine, in sánguine tuo, ex omni tribu, et lingua, et pópulo, et natióne: et fecísti nos Deo nostro regnum. Allelúia, allelúia. Ps. Misericórdias Dómini in aetérnum cantábo: in generatiónem et generatiónem annuntiábo veritátem tuam in ore meo. (Apc. 5, 9-10; Ps. 88)
Vernáculo:
Vós nos resgatastes, Senhor, pelo vosso sangue, de todas as raças, línguas, povos e nações e fizestes de nós um reino e sacerdotes para o nosso Deus, aleluia! (Cf. MR: Ap 5, 9-10) Sl. Ó Senhor, eu cantarei eternamente o vosso amor, de geração em geração eu cantarei vossa verdade! (Cf. LH: Sl 88, 2)

Oração do dia

Ó Deus, fazei que a pregação do Evangelho por toda a terra realize o que prometestes ao glorificar o vosso Verbo, para que possamos alcançar, vivendo plenamente como filhos e filhas, o que foi anunciado pela vossa palavra. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (At 18, 9-18)


Leitura dos Atos dos Apóstolos


Estando Paulo em Corinto, 9uma noite, o Senhor disse-lhe em visão: “Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, 10porque eu estou contigo. Ninguém te porá a mão para fazer mal. Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence”. 11Assim Paulo ficou um ano e meio entre eles, ensinando-lhes a Palavra de Deus. 12Na época em que Galião era procônsul na Acaia, os judeus insurgiram-se em massa contra Paulo e levaram-no diante do tribunal, 13dizendo: “Este homem induz o povo a adorar a Deus de modo contrário à Lei”.

14Paulo ia tomar a palavra, quando Galião falou aos judeus, dizendo: “Judeus, se fosse por causa de um delito ou de uma ação criminosa, seria justo que eu atendesse a vossa queixa. 15Mas, como é questão de palavras, de nomes e da vossa Lei, tratai disso vós mesmos. Eu não quero ser juiz nessas coisas”. 16E Galião mandou-os sair do tribunal.

17Então todos agarraram Sóstenes, o chefe da sinagoga, e espancaram-no diante do tribunal. E Galião nem se incomodou com isso. 18Paulo permaneceu ainda vários dias em Corinto. Despedindo-se dos irmãos, embarcou para a Síria, em companhia de Priscila e Áquila. Em Cencréia, Paulo rapou a cabeça, pois tinha feito uma promessa.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 46)


℟. O Senhor é o grande Rei de toda a terra.


— Povos todos do universo, batei palmas, gritai a Deus aclamações de alegria! Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo, o soberano que domina toda a terra. ℟.

— Os povos sujeitou ao nosso jugo e colocou muitas nações aos nossos pés. Foi ele que escolheu a nossa herança, a glória de Jacó, seu bem-amado. ℟.

— Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta. Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei! ℟.


https://youtu.be/w_D6CvlnVdk
℟. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
℣. Era preciso que Cristo sofresse e ressuscitasse dos mortos para entrar em sua glória. (Lc 24, 46. 26) ℟.

Evangelho (Jo 16, 20-23a)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo João 

℟. Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 20“Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. 21A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos, por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo.

22Também vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. 23aNaquele dia, não me perguntareis mais nada”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Antífona do Ofertório

Benedícite gentes Dóminum Deum nostrum, et obaudíte vocem laudis eius: qui pósuit ánimam meam ad vitam, et non dedit commovéri pedes meos: benedíctus Dóminus, qui non amóvit deprecatiónem meam, et misericórdiam suam a me, allelúia. (Ps. 65, 8. 9. 20)


Vernáculo:
Nações, glorificai ao nosso Deus, anunciai em alta voz o seu louvor! É ele quem dá vida à nossa vida, e não permite que vacilem nossos pés. Bendito seja o Senhor Deus que me escutou, não rejeitou minha oração e meu clamor, nem afastou longe de mim o seu amor! (Cf. LH: Sl 65, 8. 9. 20)

Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, com bondade, as oferendas da vossa família, e concedei-nos, com o auxílio da vossa proteção, sem perder o que nos destes, alcançarmos os bens eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O Cristo Senhor foi entregue por nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação, aleluia! (Rm 4, 25)
Spíritus Sanctus docébit vos, allelúia: quaecúmque díxero vobis, allelúia, allelúia. (Io. 14, 26; ℣. Ps. 50, 3a. 9. 10. 12. 13. 15. 17. 20)
Vernáculo:
O Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas; e vos lembrará tudo o que vos tenho dito, diz o Senhor, aleluia! (Cf. MR: Jo 14, 26)

Depois da Comunhão

Guardai, ó Deus, no vosso constante amor, aqueles que salvastes, para que, redimidos pela paixão do vosso Filho, nos alegremos por sua ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 27/05/2022
Sofrimento: o caminho para a felicidade

A vida presente é como as dores de um parto: enquanto peregrinamos neste mundo, lutamos para dar à luz o homem novo, à estatura de Cristo, a fim de entrarmos um dia nos gozos eternos do Pai.

Hoje, o Senhor nos fala dos dois aspectos do mistério pascal: tristeza e alegria, morte e ressurreição, aspectos dos quais todos, para sermos bons cristãos, devemos participar. Se queremos ressuscitar com Cristo, algo em nós tem de morrer; se queremos entrar no gozo de Nosso Senhor, hemos de suportar antes as tristezas e amarguras da vida presente, enquanto caminhamos longe da pátria celeste. Recolhido hoje no Cenáculo com seus discípulos, Jesus lhes diz, referindo-se à sua morte e sepultura: “Vós ficareis tristes”, porque a tristeza não é mais do que a paixão decorrente de estar privado de um bem querido. E é por isso mesmo que devemos vê-la como um grande dom de Deus: com efeito, se não nos pudéssemos entristecer, tampouco seríamos capazes de arrependimento, de sorte que o nosso pecado seria a “palavra definitiva”, pois não teríamos como olhar para trás e, de coração contrito, retornar para a casa do Pai. Mas o Senhor, que não nega a ninguém o seu auxílio, nos garante: “A vossa tristeza se transformará em alegria”. Essa transformação, no entanto, se assemelha a um parto: “A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos”. Mas é preciso, sim, passar pelos sofrimentos; não há outro caminho para a alegria “de um homem ter vindo ao mundo”. Também nós, para sermos fiéis à nossa vocação de batizados, temos de suportar as dores de parto deste mundo, da luta espiritual que aqui devemos travar com o homem velho, a fim de dar à luz o homem novo, configurado à imagem e à perfeição de Cristo. Sofrer, lutar, resistir, tudo isso faz parte da vida cristã, da vida no Espírito: se renunciarmos à participação que nos cabe nas dores e tribulações de nossa Cabeça, também teremos de renunciar à glorificação prometida aos membros de seu Corpo. Que Ele nos dê, pois, a graça de abraçarmos a Cruz para, subindo o nosso monte Calvário, podermos entrar no Reino em que Ele, com o Pai e o Espírito Santo, está à nossa espera.

Deus abençoe você!

Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: pocketterco.com.br/ajude

Homilia Diária | Os dons do Espírito e a nossa santificação (Sexta-feira da 6.ª Semana da Páscoa)

Embora todos os dons do Espírito Santo sejam perfeitos e tenham o seu lugar em cada fase da vida espiritual, há entre eles uma hierarquia e uma ordem de prevalência, segundo o grau de santidade alcançado pelo cristão. De fato, assim como o primeiro dom é o temor e o último, a sabedoria, assim também os iniciantes são os que primeiro temem, para só então começarem a amar, enquanto os santos são os que já não temem mais nada a não ser não amá-lo perfeitamente.Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta sexta-feira, dia 27 de maio, e venha rezar conosco neste primeiro dia da novena de Pentecostes!


https://youtu.be/N3Rv1Dj_aJA

Santo do dia 27/05/2022


Santo Agostinho de Cantuária, Bispo (Memória Facultativa)
Local: Cantuária, Inglaterra
Data: 27 de Maio † 604/605


A Grã-Bretanha, evangelizada desde os tempos apostólicos (o primeiro missionário que lá desembarcou teria sido, segundo uma lenda, José de Arimateia), havia recaído na idolatria após a invasão dos saxões no século V e no VI. Quando o rei do Kent, Etelberto, desposou a princesa cristã Berta, filha do rei de Paris, ela mandou que fosse edificada uma igreja e alguns padres católicos viessem celebrar os sagrados ritos. Recebendo a notícia, o papa Gregório Magno julgou que os tempos estavam maduros para a evangelização da ilha. A missão foi confiada ao prior do mosteiro beneditino de santo André, Agostinho, cuja principal qualidade não deve ter sido a coragem, mas em compensação era muito humilde e dócil.

Partiu de Roma à frente de quarenta monges em 597. Fez uma parada na ilha de Lerins. As informações sobre o temperamento belicoso dos saxões amedrontaram-no de tal modo que voltou a Roma para suplicar ao papa que mudasse de programa. Para encorajá-lo Gregório nomeou-o abade e pouco depois, para fazê-lo dar o passo decisivo, apenas chegando na Gália, fez que fosse sagrado bispo. A viagem ocorreu igualmente em breves etapas. Por fim, com a chegada da primavera, lançaram-se ao largo e chegaram à ilha britânica de Thenet, onde o rei, movido pela boa esposa, foi pessoalmente encontrá-los.

Os missionários aproximavam-se do cortejo real em procissão ao canto das ladainhas, segundo o ritual introduzido recentemente em Roma. Para todos foi uma feliz surpresa. O rei acompanhou os monges até à residência já fixada em Canterbury, no meio da estrada entre Londres e o mar, onde surgiu a célebre abadia que tomará o nome de Agostinho, coração e sacrário do cristianismo inglês. A obra missionária dos monges teve êxito inesperado, pois o próprio rei pediu o batismo, arrastando com o seu exemplo milhares de súditos a abraçarem a religião cristã.

Em Roma a notícia foi recebida com alegria pelo papa, que expressou sua satisfação nas cartas escritas a Agostinho e à rainha. Juntamente com um grupo de novos colaboradores, o santo pontífice enviou a Agostinho o pálio e a nomeação de arcebispo primaz da Inglaterra, mas ao mesmo tempo admoestava-o paternalmente a não se ensoberbecer pelos sucessos obtidos e pela honra do alto cargo que lhe conferia. Seguindo as tradições do papa quanto à repartição dos territórios eclesiásticos, Agostinho erigiu outras duas sedes episcopais, a de Londres e a de Rochester, consagrando bispos Melito e Justo. O santo missionário morreu a 26 de maio de 604 e foi sepultado em Canterbury na igreja que traz o seu nome.

Referência:
BECKHÄUSER, Frei Alberto. Os Santos na Liturgia: testemunhas de Cristo. Petrópolis: Vozes, 2013. 391 p. Adaptações: Equipe Pocket Terço.

Santo Agostinho de Cantuária, rogai por nós!