Antífona de entrada

Salve, ó Santa Mãe de Deus, vós destes à luz o Rei que governa o céu e a terra pelos séculos eternos. (Sedúlio)

Ou:


Hoje surgiu a luz para o mundo: O Senhor nasceu para nós. Ele será chamado Admirável, Deus, Príncipe da paz, Pai do mundo novo, e o seu reino não terá fim. (Is 9, 2. 6; Lc 1, 33)

Oração do dia

Ó Deus, que pela virgindade fecunda de Maria destes à humanidade a salvação eterna, dai-nos contar sempre com a sua intercessão, pois ela nos trouxe o autor da vida. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
Diz-se o Glória.

Primeira Leitura (Nm 6, 22-27)


Leitura do Livro dos Números


22O Senhor falou a Moisés, dizendo: 23“Fala a Aarão e a seus filhos: Ao abençoar os filhos de Israel, dizei-lhes: 24ʽO Senhor te abençoe e te guarde! 25O Senhor faça brilhar sobre ti a sua face, e se compadeça de ti! 26O Senhor volte para ti o seu rosto e te dê a paz!ʼ 27Assim invocarão o meu nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei”.

Salmo Responsorial (Sl 66)


R. Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção.


— Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, e sua face resplandeça sobre nós! Que na terra se conheça o seu caminho e a sua salvação por entre os povos. R.

— Exulte de alegria a terra inteira, pois julgais o universo com justiça; os povos governais com retidão, e guiais, em toda a terra, as nações. R.

— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem! Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe, e o respeitem os confins de toda a terra! R.


Segunda Leitura (Gl 4, 4-7)


Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas


Irmãos: 4Quando se completou o tempo previsto, Deus enviou o seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sujeito à Lei, 5a fim de resgatar os que eram sujeitos à Lei e para que todos recebêssemos a filiação adotiva. 6E porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: Abá — ó Pai!

7Assim, já não és escravo, mas filho; e se és filho, és também herdeiro: tudo isso por graça de Deus.

Aclamação ao Evangelho

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. De muitos modos, Deus outrora nos falou pelos profetas; nestes tempos derradeiros, nos falou pelo seu Filho. (Hb 1, 1-2) R.

Evangelho (Lc 2, 16-21)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Lucas 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 16os pastores foram às pressas a Belém e encontraram Maria e José, e o recém-nascido deitado na manjedoura.

17Tendo-o visto, contaram o que lhes fora dito sobre o menino. 18E todos os que ouviram os pastores ficaram maravilhados com aquilo que contavam.

19Quanto a Maria, guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração.

20Os pastores voltaram, glorificando e louvando a Deus por tudo que tinham visto e ouvido, conforme lhes tinha sido dito. 21Quando se completaram os oito dias para a circuncisão do menino, deram-lhe o nome de Jesus, como fora chamado pelo anjo antes de ser concebido.

Diz-se o Creio.

Sobre as Oferendas

Ó Deus, que levais à perfeição os vossos dons, concedei aos vossos filhos, na festa da Mãe de Deus, que, alegrando-se com as primícias da vossa graça, possam alcançar a sua plenitude. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Jesus Cristo ontem e hoje, e por toda a eternidade. (Hb 13, 8)

Depois da Comunhão

Ó Deus de bondade, cheios de júbilo, recebemos os sacramentos celestes; concedei que eles nos conduzam à vida eterna, a nós que proclamamos a Virgem Maria Mãe de Deus e Mãe da Igreja. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 01/01/2021
Permitamos a Jesus fazer novas todas as coisas

“Quanto a Maria, guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração” (Lucas 2,19).

No primeiro dia do novo ano, a Igreja nos dá a graça de celebrarmos Santa Maria, a Mãe de Deus, ela que nos trouxe Jesus Nosso Senhor e Salvador. Com ela, somos convidados a meditar e a refletir sobre todos os fatos e acontecimentos que estão se realizando em nossa vida, porém, envolvidos com a vida cotidiana, esquecemos de nos voltar para o essencial: meditar a presença amorosa de Deus no meio de nós.

Paramos para avaliar a vida, as coisas que estão acontecendo e as quais estamos passando, mas tantas vezes paramos naquilo que está negativo, naquilo que não está dando certo, nas decepções que enfrentamos, nas lutas que empreendemos a cada dia. É verdade que temos que olhar para essas coisas, mas temos que as iluminar com a luz de Cristo.

Um Filho nos foi dado. Da Virgem Maria nos veio Aquele que é o nosso Salvador. Aprendamos com ela, neste primeiro dia do ano e a cada dia deste ano que vamos viver, a meditar e a refletir melhor a nossa vida.

Não adianta termos bons propósitos e votos para que tudo seja novo se não permitirmos a Jesus fazer novas todas as coisas

Não meditemos a nossa vida a partir do nosso ego, mas passemos a refletir os nossos atos a partir da luz de Jesus que faz novas todas as coisas. Guardemos no coração, coloquemos no nosso coração o amor e a graça de Deus que está viva, presente e nascendo no meio de nós, e não nos deixemos desanimar diante das circunstâncias que nos tiram do eixo, da direção.

Precisamos nos voltar, cada vez mais, com amor e paixão para Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Olhemos para Maria, aquela que se tornou templo de Deus, morada divina. Por meio dela nos veio a vida nova de Cristo Jesus. Em cada ano que se inicia, temos o anseio de termos uma vida nova, e os votos que desejamos uns aos outros são para que tudo seja novo, renovado. Não adianta, contudo, só trocarmos de roupa, só usarmos roupas brancas, termos bons propósitos e votos para que tudo seja novo, se não permitirmos a Jesus fazer novas todas as coisas em nossa vida.

Que Maria nos aponte a direção do Seu filho Jesus, que ela nos traga Jesus para a casa de cada um de nós, a fim de que guardemos o Seu Evangelho e possamos refletir, meditar aquilo que Deus realiza no nosso coração a cada dia da nossa vida.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Solenidade de Santa Maria

No início de mais um ano, a Igreja dirige o nosso olhar para a Virgem Santíssima, invocando-a sob o título de Mãe de Deus. Porque a Virgem Maria, embora não tenha dado origem à divindade com que desde sempre preexistiu o seu Filho, foi no entanto fecundada por obra do Espírito Santo, a fim de conceber e dar à luz segundo a carne o Filho de Deus feito Filho do Homem segundo a humanidade, para que assim, fazendo sua, na unidade de uma única Pessoa, a nossa natureza mortal, o Verbo imortal nos pudesse redimir e vencer o autor da morte e do pecado.Assista à homilia do Pe. Paulo Ricardo para esta sexta-feira, dia 1.º de janeiro, e ponhamo-nos sob a proteção maternal de Nossa Senhora, Mãe de Deus, Mãe do Criador, Mãe do Salvador!




Santo do dia 01/01/2021

Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus

Oitavas de Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo. Que graça para nós começarmos o primeiro dia do ano contemplando este mistério da encarnação que fez da Virgem Maria a Mãe de Deus!

Este título traz em si um dogma que dependeu de dois Concílios: em 325 o Concílio de Niceia, e em 381 o de Constantinopla. Estes dois concílios trataram de responder a respeito desse mistério da consubstancialidade de Deus uno e trino, Jesus Cristo verdadeiro Deus e verdadeiro homem.

No mesmo século, século IV, já ensinava o bispo Santo Atanásio: “A natureza que Jesus Cristo recebeu de Maria era uma natureza humana. Segundo a divina escritura, o corpo do Senhor era um corpo verdadeiro, porque era um corpo idêntico ao nosso”. Maria é, portanto, nossa irmã, pois todos somos descendentes de Adão. Fazendo a relação deste mistério da encarnação, no qual o Verbo assumiu a condição da nossa humanidade com a realidade de que nada mudou na Trindade Santa, mesmo tendo o Verbo tomado um corpo no seio de Maria, a Trindade continua sendo a mesma; sem aumento, sem diminuição; é sempre perfeita. Nela, reconhecemos uma só divindade. Assim, a Igreja proclama um único Deus no Pai e no Verbo, por isso, a Santíssima Virgem é a Mãe de Deus.

No terceiro Concílio Ecumênico em 431, foi declarado Santa Maria a Mãe de Deus. Muitos não compreendiam, até pessoas de igreja como Nestório, patriarca de Constantinopla, ensinava de maneira errada que no mistério de Cristo existiam duas pessoas: uma divina e uma humana; mas não é isso que testemunha a Sagrada Escritura. Porque Jesus Cristo é verdadeiro Deus em duas naturezas e não duas pessoas, uma natureza humana e outra divina; e a Santíssima Virgem é Mãe de Deus.

Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós!