Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Gozosos com imagens

Antífona de entrada

Os discípulos unidos perseveravam em oração com algumas mulheres, entre as quais Maria, a mãe de Jesus, e os irmãos dele, aleluia! (At 1, 14)
Repleátur os meum laude tua, allelúia: ut possim cantáre, allelúia: gaudébunt lábia mea, dum cantávero tibi, allelúia, allelúia. Ps. In te Dómine sperávi, non confúndar in aetérnum: in iustítia tua líbera me, et éripe me. (Ps. 70, 8. 23 et 1-2)
Vernáculo:
Que o vosso louvor transborde de minha boca; meus lábios exultarão, cantando de alegria, aleluia! (Cf. MR: Sl 70, 8. 23) Sl. Eu procuro meu refúgio em vós, Senhor: que eu não seja envergonhado para sempre! Porque sois justo, defendei-me e libertai-me! Escutai a minha voz, vinde salvar-me! (Cf. LH: Sl 70, 1-2)

Oração do dia

Concedei-nos, Deus todo-poderoso, conservar sempre em nossa vida e nossas ações a alegria das festas pascais que estamos para encerrar. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (At 28, 16-20. 30-31)


Leitura dos Atos dos Apóstolos


16Quando entramos em Roma, Paulo recebeu permissão para morar em casa particular, com um soldado que o vigiava. 17Três dias depois, Paulo convocou os líderes dos judeus. Quando estavam reunidos, falou-lhes: “Irmãos, eu não fiz nada contra o nosso povo, nem contra as tradições de nossos antepassados. No entanto, vim de Jerusalém como prisioneiro e, assim, fui entregue às mãos dos romanos.

18Interrogado por eles no tribunal e não havendo nada em mim que merecesse a morte, eles queriam me soltar. 19Mas os judeus se opuseram e eu fui obrigado a apelar para César, sem nenhuma intenção de acusar minha nação. 20É, por isso, que eu pedi para ver-vos e falar-vos, pois estou carregando estas algemas exatamente por causa da esperança de Israel”.

30Paulo morou dois anos numa casa alugada. Ele recebia todos os que o procuravam, 31pregando o Reino de Deus. Com toda a coragem e sem obstáculos, ele ensinava as coisas que se referiam ao Senhor Jesus Cristo.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.



Ou:



Vigília de Pentecostes:



Primeira Leitura (Gn 11, 1-9)


Leitura do Livro do Gênesis


1Toda a terra tinha uma só linguagem e servia-se das mesmas palavras. 2E aconteceu que, partindo do oriente, os homens acharam uma planície na terra de Senaar, e aí se estabeleceram. 3E disseram uns aos outros: “Vamos, façamos tijolos e cozamo-los ao fogo”. Usaram tijolos em vez de pedra, e betume em lugar de argamassa. 4E disseram: “Vamos, façamos para nós uma cidade e uma torre cujo cimo atinja o céu. Assim, ficaremos famosos, e não seremos dispersos por toda a face da terra”. 5Então o Senhor desceu para ver a cidade e a torre que os homens estavam construindo. 6E o Senhor disse: “Eis que eles são um só povo e falam uma só língua. E isso é apenas o começo de seus empreendimentos. Agora, nada os impedirá de fazer o que se propuseram. 7Desçamos e confundamos a sua língua, de modo que não se entendam uns aos outros”. 8E o Senhor os dispersou daquele lugar por toda a superfície da terra, e eles cessaram de construir a cidade. 9Por isso, ela foi chamada Babel, porque foi aí que o Senhor confundiu a linguagem de todo o mundo, e daí dispersou os homens por toda a terra.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 10)


℟. Ó Senhor, quem tem reto coração há de ver a vossa face.


— Deus está no templo santo, e no céu tem o seu trono; volta os olhos para o mundo, seu olhar penetra os homens. ℟.

— Examina o justo e o ímpio, e detesta o que ama o mal. Porque justo é nosso Deus, o Senhor ama a justiça. Quem tem reto coração há de ver a sua face. ℟.



Ou:


Vigília de Pentecostes:



Salmo Responsorial (Sl 103)


℟. Enviai o vosso Espírito Senhor, e da terra toda a face renovai.


— Bendize, ó minha alma, ao Senhor! Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande! De majestade e esplendor vos revestis e de luz vos envolveis como num manto. ℟.

— Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras, e que sabedoria em todas elas! Encheu-se a terra com as vossas criaturas. Bendize, ó minha alma, ao Senhor! ℟.

— Todos eles, ó Senhor, de vós esperam que a seu tempo vós lhes deis o alimento; vós lhes dais o que comer e eles recolhem, vós abris a vossa mão e eles se fartam. ℟.

— Se tirais o seu respiro, eles perecem e voltam para o pó de onde vieram; enviais o vosso espírito e renascem e da terra toda a face renovais. ℟.

Vigília de Pentecostes:



Segunda Leitura (Rm 8, 22-27)


Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos


Irmãos: 22Sabemos que toda a criação, até ao tempo presente, está gemendo como que em dores de parto. 23E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo. 24Pois já fomos salvos, mas na esperança. Ora, o objeto da esperança não é aquilo que a gente está vendo; como pode alguém esperar o que já vê? 25Mas, se esperamos o que não vemos, é porque o estamos aguardando mediante a perseverança. 26Também o Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois nós não sabemos o que pedir, nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis. 27E aquele que penetra o íntimo dos corações sabe qual é a intenção do Espírito. Pois é sempre segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos santos.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


℟. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
℣. Eu hei de enviar-vos o Espírito da verdade; ele vos conduzirá a toda a verdade. (Jo 16, 7. 13) ℟.

Ou:


Vigília de Pentecostes:


℟. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
℣. Vinde, Espírito Divino, e enchei com vossos dons os corações dos fiéis; e acendei neles o amor como um fogo abrasador! ℟.

Evangelho (Jo 21, 20-25)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo João 

℟. Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 20Pedro virou-se e viu atrás de si aquele outro discípulo que Jesus amava, o mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus durante a ceia e lhe perguntara: “Senhor, quem é que te vai entregar?” 21Quando Pedro viu aquele discípulo, perguntou a Jesus: “Senhor, o que vai ser deste?”

22Jesus respondeu: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, o que te importa isso? Tu, segue-me!” 23Então, correu entre os discípulos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Jesus não disse que ele não morreria, mas apenas: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?”

24Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e que as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. 25Jesus fez ainda muitas outras coisas, mas, se fossem escritas todas, penso que não caberiam no mundo os livros que deveriam ser escritos.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.



Ou:


Vigília de Pentecostes:


Evangelho (Jo 7, 37-39)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo João 

℟. Glória a vós, Senhor.


37No último dia da festa, o dia mais solene, Jesus, em pé, proclamou em voz alta: “Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. 38Aquele que crê em mim, conforme diz a Escritura, rios de água viva jorrarão do seu interior”. 39Jesus falava do Espírito, que deviam receber os que tivessem fé nele; pois ainda não tinha sido dado o Espírito, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Antífona do Ofertório

Ascéndit Deus in iubilatióne, Dóminus in voce tubae, allelúia. (Ps. 46, 6)


Vernáculo:
Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta, aleluia. (Cf. LH: Sl 46, 6)

Sobre as Oferendas

Ó Deus, nós vos pedimos a vinda do Espírito Santo, ele que é o próprio perdão dos pecados, prepare os nossos corações para os vossos sacramentos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O Espírito Santo virá glorificar-me, pois receberá do que é meu para comunicar-vos, diz o Senhor, aleluia! (Jo 16, 14)
Spíritus ubi vult spirat: et vocem eius audis, alleluia: et nescis unde véniat, aut quo vadat, allelúia, allelúia, allelúia. (Io. 3, 8; ℣. Ps. 77, 1. 2. 3-4a. 4bcd. 6b-7a. 7bc. 23. 24. 25. 29)
Vernáculo:
O vento sopra aonde quer e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. (Cf. Bíblia CNBB: Jo 3, 8)

Depois da Comunhão

Ó Deus, atendei compassivo as nossas preces e, como passamos dos antigos aos novos sacramentos, renovai as nossas almas, dotando-nos de uma nova juventude. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 04/06/2022
O que é um “discípulo missionário”?

“O mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus, este é o discípulo que dá testemunho”.

Homilia do Sábado da 7ª Semana Páscoa:

No desfecho do seu evangelho, o discípulo amado, que reclinara a cabeça sobre o peito de Cristo, afirma dar testemunho de tudo o que viu e ouviu. “Aquele outro discípulo que Jesus amava”, diz ele em terceira pessoa, “o mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus durante a ceia […], este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas”. Aqui temos como que a sístole e a diástole em que a Igreja, fechando-se em oração no Cenáculo, prepara-se para sair em missão no dia de Pentecostes, assim como S. João, que primeiro esteve com Cristo, vendo e tocando por si mesmo o Verbo da vida, tornou-se em seguida, com a vinda do Espírito Santo, verdadeiro Apóstolo e doutor do mundo. Pois não há verdadeiro discípulo missionário que não seja primeiro discípulo, por ter-se encontrado com Cristo e dele aprendido a verdade evangélica, para só depois ser missionário, isto é, para fazer discípulos a outros, transmitindo-lhes a mesma verdade e trazendo-os para o mesmo encontro com Nosso Senhor. Hoje, porém, o que vemos é justamente o contrário: os que pretendem “sair em missão” muitas vezes não se encontram com Cristo nem, por isso mesmo, saem para fazer discípulos e converter o mundo, mas para aprender com o mundo e depravar-se com ele. Eis por que nada é mais importante nestes tempos do que resgatar a necessidade da oração, da contemplação e do estudo consciencioso da doutrina católica, meditada e aprendida com total convencimento, como pré-requisitos à atividade apostólica. Jamais converteremos a outros se não nos tivermos convertido nós em primeiro lugar, e jamais poderemos ensinar a fé católica se não a conhecermos de maneira suficiente e adequada: “O mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus […], este é o discípulo que dá testemunho”.

Deus abençoe você!

Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: pocketterco.com.br/ajude

Santo do dia 04/06/2022

São Francisco Caracciolo

Ascânio Caracciolo era um italiano. Nasceu em 13 de outubro de 1563, próximo de Nápoles, na Vila Santa Maria de Chieti. A família era muito cristã e tinha vínculos com a elite da nobreza, por isso preparavam-no para a vida de negócios e da política.

Quando adolescente, decidiu seguir carreira militar, contudo, foi acometido por uma rara doença na pele, semelhante à lepra. Quando não havia mais tratamentos possíveis para a cura da doença, Ascânio rezou fervorosamente a Deus, pedindo por sua cura e prometendo que, se tal graça fosse concedida, entregaria sua vida a serviço do Reino de Deus. Pouco depois, a cura aconteceu.

Cumprindo sua promessa, completando 22 anos de idade foi para Nápoles, onde estudou Teologia e ordenou-se sacerdote. Iniciou seu trabalho junto aos “Padres Brancos da Justiça”, dedicando seu apostolado em favor dos encarcerados, doentes, pobres e abandonados.

Por engano, recebeu uma carta endereçada a outro padre de mesmo nome Ascânio. A carta propunha a fundação de uma nova Ordem, a dos “Clérigos Regulares Menores”, dando alguns detalhes sobre o carisma que desejavam implantar.

Entre os anos de 1595 e 1598, fundou uma casa de religiosos em Valadolid; um colégio em Alcalá e, em Madri, um seminário, no qual foi mestre dos noviços.

Durante uma visita aos padres do Oratório da cidade de Agnone, adoeceu e morreu aos 44 de idade, em 4 de junho de 1608. Foi canonizado em 1807, pelo papa Pio VII. Foi consagrado copadroeiro de Nápoles em 1840.

São Francisco Caracciolo, rogai por nós!