Primeira Leitura (1Sm 3,1-10.19-20)


Leitura do Primeiro Livro de Samuel.

Naqueles dias, 1o jovem Samuel servia ao Senhor na presença de Eli. Naquele tempo, a palavra do Senhor era rara e as visões não eram frequentes. 2Aconteceu que, um dia, Eli estava dormindo no seu quarto. Seus olhos começavam a enfraquecer, e já não conseguia enxergar. 3A lâmpada de Deus ainda não se tinha apagado e Samuel estava dormindo no templo do Senhor, onde se encontrava a arca de Deus. 4Então o Senhor chamou: “Samuel, Samuel!” Ele respondeu: “Estou aqui”. 5E correu para junto de Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Eli respondeu: “Eu não te chamei. Volta a dormir!” E ele foi deitar-se.

6O Senhor chamou de novo: “Samuel, Samuel!” E Samuel levantou-se, e foi ter com Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”. Ele respondeu: “Não te chamei, meu filho. Volta a dormir!” 7Samuel ainda não conhecia o Senhor, pois, até então, a palavra do Senhor não se lhe tinha manifestado. 8O Senhor chamou pela terceira vez: “Samuel, Samuel!” Ele levantou-se, foi para junto de Eli e disse: “Tu me chamaste, aqui estou”.

Eli compreendeu que era o Senhor que estava chamando o menino. 9Então disse a Samuel: “Volta a deitar-te e, se alguém te chamar, responderás: ‘Senhor, fala que teu servo escuta!’” E Samuel voltou ao seu lugar para dormir. 10O Senhor veio, pôs-se junto dele e chamou-o como das outras vezes: “Samuel! Samuel!” E ele respondeu: “Fala, que teu servo escuta”. 19Samuel crescia, e o Senhor estava com ele. E não deixava cair por terra nenhuma de suas palavras. 20Todo Israel, desde Dã até Bersabéia, reconheceu que Samuel era um profeta do Senhor.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 39)


— Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Esperando, esperei no Senhor, e inclinando-se, ouviu meu clamor. É feliz quem a Deus se confia; quem não segue os que adoram os ídolos e se perdem por falsos caminhos.

— Sacrifício e oblação não quisestes, mas abristes, Senhor, meus ouvidos; não pedistes ofertas nem vítimas, holocaustos por nossos pecados. E então eu vos disse: “Eis que venho!”

— Sobre mim está escrito no livro: “Com prazer faço a vossa vontade, guardo em meu coração vossa lei!”.

— Boas novas de vossa justiça anunciei numa grande assembleia; vós sabeis: não fechei os meus lábios!


Evangelho (Mc 1,29-39)


— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 29Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André. 30A sogra de Simão estava de cama, com febre, e eles logo contaram a Jesus. 31E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu; e ela começou a servi-los. 32À tarde, depois do pôr do sol, levaram a Jesus todos os doentes e os possuídos pelo demônio. 33A cidade inteira se reuniu em frente da casa. 34Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças e expulsou muitos demônios. E não deixava que os demônios falassem, pois sabiam quem ele era.

35De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto. 36Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus. 37Quando o encontraram, disseram: “Todos estão te procurando”. 38Jesus respondeu: “Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim”. 39E andava por toda a Galileia, pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Servir é o melhor remédio

"E a sogra de Simão estava com febre e eles logo contaram a Jesus. E Jesus Se aproximou, segurou a sua mão e ajudou-a a levantar-se, então, a febre desapareceu e ela começou a servi-los" (Mc 1,30-31).

 

Que bênção é a atitude de Jesus! Primeiro, porque contaram a Jesus que ela estava com febre; e a pessoa quando está com febre, de cama, ela fica um pouco ou muito deprimida. E, quando a pessoa está deprimida, para baixo, ela precisa ser "levantada". Então, é isso que Jesus faz, Ele vai ao encontro dela; vai onde ela está, aproxima-Se dela e a segura pela mão.

Que maravilha é segurar o outro pela mão! Que maravilha é estender a nossa mão para o outro! Porque a nossa mão precisa ser como a de Deus porque Ele estende a Sua mão para nós; e, agora, nós precisamos estender as nossas mãos e deixar que a mão d'ele nos levante, mas não é simplesmente esperar que Deus nos puxe, porque não é isso que Ele faz. Ele segura a nossa mão e nos ajuda a levantar, porém, precisamos fazer a nossa parte. A sogra de Pedro viu a mão de Jesus puxando-a para fora, então, ela correspondeu a Ele e foi.

Deus quer puxar muitos de nós da depressão, da opressão da alma, do espírito, da mente e do corpo, mas nós, muitas vezes, não respondemos, não correspondemos, e a mão de Deus fica paralisada porque ela puxa, mas não correspondemos a Deus que está nos puxando.

Por favor, deixemos que Deus nos tire de tudo que está paralisando a nossa vida, que está tornando a nossa vida febril, deprimida, que está tirando o gosto da nossa vida. Jesus está estendendo a mão d' Ele a mim e a você, por favor, correspondamos a essa mão de Jesus.


Servir é o melhor remédio, servir é a cura de Deus na vida de cada um de nós

E digo mais, estenda também a sua mão para o seu irmão, estenda para abençoá-lo, para orar por ele, para ajudar a levantá-lo de toda e qualquer situação que tenha o feito cair, de toda e qualquer situação que possa tê-lo feito doente, enfermo, febril, deprimido; seja qual for a situação, pegue o seu irmão pela mão. Assim como Jesus está nos pegando pela mão, ajudemos uns aos outros a se levantarem.

Têm pessoas que usam as mãos para derrubarem, para deixarem os outros mais caídos; outras usam para empurrarem os outros para o buraco, mas não faça isso! Nós precisamos ser as mãos de Deus para levantarmos uns aos outros.

”Então, a febre desapareceu e ela começou a servi-los”. Que beleza quando nos deixamos ser levantados por Deus, então, aquele mal que está em nós, o mal sentimento e o mal pensamento; aquela enfermidade e desaparecem, porque, agora, podemos servir! A pior doença é não servir, a cura é quando estamos servindo.

Conheço pessoas que têm paralisias, doenças crônicas mas não param de servir . Estou vendo pessoas que, lá no hospital de câncer, em vez de serem servidas, estão servindo, testemunhando, ou seja, mesmo em cima da cama, elas estão servindo. Porque, muitos de nós que aparentemente não têm nada, estão simplesmente arredios em servir ao outro.

Quem não serve está paralisado por uma doença terminal do Espirito. Porque aquele que é resgatado por Jesus, ele serve ao seu irmão na dor, na alegria, na enfermidade, nas adversidades e em todas as situações da vida. Servir é o melhor remédio, servir é a cura de Deus para a vida de cada um de nós.

Deus abençoe você!

 

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


A sogra de Pedro e o Pantocrator

O Evangelho de hoje tem um sentido ao mesmo tempo místico e teológico. Místico, porque nos mostra, na sogra febricitante de Pedro, a humanidade doente, sobre a qual o Filho encarnado se inclina para curá-la, com o toque de sua humanidade, dos males do pecado. Teológico, porque nos revela nos gestos de Cristo que as suas ações, mais do que milagres, manifestam suas operações divinas, com as quais Ele nos sustenta e conserva no ser. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quarta-feira, dia 15 de janeiro, e venha fazer parte da nossa família!





Santo do Dia:

Santo Amaro, exemplo de virtude

Nasceu em Roma e entrou muito cedo para a vida religiosa. Filho espiritual e grande amigo de São Bento, tornou-se um beneditino com apenas 12 anos de idade. Realidades daquele tempo, mas que apontam para uma necessidade dos tempos atuais. Ele foi apontado, desde muito cedo, como um exemplo de silêncio e também de correspondência às exigências da vida monacal. Vida de austeridade, de ação, de oração; “ora et labora” de fato.

Grande amigo de São Bento, viveu momentos que ficaram registrados. São Gregório foi quem deixou o testemunho de que, certa vez, São Bento, por revelação, soube que um jovem estava para se afogar em um açude. Disse ao então discípulo Amaro que fosse ao encontro daquele jovem. Ele foi. Sem perceber, com tanta obediência, ele caminhou sobre as águas e salvou aquele jovem; depois que ele percebeu que havia acontecido aquele milagre. Retribuíram a ele, mas, claro, ele atribuiu a São Bento, pois só obedeceu.

História ou lenda, isso demonstra como Deus pode fazer o impossível aos olhos humanos na vida e através da vida naqueles que acreditam e buscam corresponder à vocação. Todos nós temos uma vocação comum, a mesma que Santo Amaro teve: a vocação à santidade. Esse santo foi quem sucedeu São Bento em Subiaco, quando este foi para Monte Casino. Ele foi exemplo de virtude, obediência e abertura à ação do Espírito Santo.

Santo Amaro, rogai por nós!