Primeira Leitura (Is 42,1-4.6-7)


Leitura do Livro do profeta Isaías:

Assim fala o Senhor: 1”Eis o meu servo – eu o recebo; eis o meu eleito – nele se compraz minh’alma; pus meu espírito sobre ele, ele promoverá o julgamento das nações.

2Ele não clama nem levanta a voz, nem se faz ouvir pelas ruas. 3Não quebra uma cana rachada nem apaga um pavio que ainda fumega; mas promoverá o julgamento para obter a verdade. 4Não esmorecerá nem se deixará abater, enquanto não estabelecer a justiça na terra; os países distantes esperam seus ensinamentos.

6Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o centro de aliança do povo, luz das nações, 7para abrires os olhos dos cegos, tirares os cativos da prisão, livrares do cárcere os que vivem nas trevas”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 28)


— Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!

— Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!

— Filhos de Deus, tributai ao Senhor,/ tributai-lhe a glória e o poder!/ Dai-lhe a glória devida ao seu nome;/ adorai-o com santo ornamento!

— Eis a voz do Senhor sobre as águas,/ sua voz sobre as águas imensas!/ Eis a voz do Senhor com poder!/ Eis a voz do Senhor majestosa.

— Sua voz no trovão reboando!/ No seu templo os fiéis bradam: “Glória!”/ É o Senhor que domina os dilúvios,/ o Senhor reinará para sempre!


Segunda Leitura (At 10,34-38)


Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Naqueles dias, 34Pedro tomou a palavra e disse: “De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas. 35Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença.

36Deus enviou sua palavra aos israelitas e lhes anunciou a Boa-nova da paz, por meio de Jesus Cristo, que é o Senhor de todos.

37Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do batismo pregado por João: 38como Jesus de Nazaré foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder. Ele andou por toda a parte, fazendo o bem e curando a todos os que estavam dominados pelo demônio; porque Deus estava com ele”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Anúncio do Evangelho (Lc 3,15-16.21-22)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 15o povo estava na expectativa e todos se perguntavam no seu íntimo se João não seria o Messias. 16Por isso, João declarou a todos: “Eu vos batizo com água, mas virá aquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desamarrar a correia de suas sandálias. Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo”.

21Quando todo o povo estava sendo batizado, Jesus também recebeu o batismo. E, enquanto rezava, o céu se abriu 22e o Espírito Santo desceu sobre Jesus em forma visível, como pomba. E do céu veio uma voz: “Tu és o meu Filho amado, em ti ponho o meu bem-querer”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Renovemos a graça do nosso batismo

Estejamos inflamados pelo fogo do Espírito que nos foi conferido pela graça do nosso batismo

Eu vos batizo com água, mas virá aquele que é mais forte do que eu. Eu não sou digno de desamarrar a correia de suas sandálias. Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo” (Lucas 3,16).

Hoje, celebramos a Festa do Batismo de Jesus. Ele se submeteu a ser batizado por João nas águas do rio Jordão. O próprio João está dizendo que Aquele que vem depois dele – e quem vem depois dele é Jesus –, é quem nos batizará no Espírito Santo e no fogo.

Essas duas graças são importantes para meditarmos no dia de hoje, porque, na festa do batismo de Jesus, também celebramos o nosso batismo. Todos nós fomos batizados no Cristo Jesus e por Ele e n’Ele fomos incorporados a Deus. Que graça maravilhosa nos concedeu o nosso batismo!

Qual é o dia que você foi batizado? Procure saber o dia do seu batismo, faça desse dia um momento celebrativo, e mais do que recordar que naquele dia você foi levado à pia batismal, faça o seu batismo acontecer todos os dias da sua vida.

Quando vamos às igrejas e capelas, costumamos frequentar o sacrário e nos colocar diante dele; colocamo-nos também diante das imagens dos santos e da cruz, mas não deixemos de ir ao batistério. Na frente ou no fundo de capelas, há o batistério, foi lá que nascemos para Deus, foi lá que nos tornamos filhos d'Ele. Coloquemos a mão no batistério e renovemos a graça do batismo, e cada vez que assim o fizermos, invoquemos, primeiro, a graça de sermos homens e mulheres do Espírito, porque no Espírito Santo fomos batizados.

O Espírito em nós nos conferiu a unção da graça, a unção divina. Deus está em nós, enviando e ungindo-nos para fazer Sua vontade. Precisamos dessa unção para vivermos em Deus, para proclamarmos a vida n'Ele, para anunciarmos Seu Reino e não sermos tomados pela força deste mundo.

Outra graça que o batismo nos confere é o fogo do Espírito, o fogo que queima e impele, que nos levanta e manda adiante, o fogo que queima os maus pensamentos e sentimentos, o fogo da graça. 

Estejamos inflamados pelo fogo do Espírito, que nos foi conferido pela graça do nosso batismo. Eu renovo, hoje, diante do batistério, a graça do meu batismo. Eu quero viver, neste mundo, como um batizado, porque, naquele dia da graça, fomos ungidos pelo Espírito, e a graça da unção divina caiu sobre nós.

Vivamos, neste mundo, como batizados. Esse é o convite que a festa do batismo de Jesus faz a todos nós.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

Santo Hilário de Poitiers, combateu o Arianismo do Oriente

Um dos santos padres da Igreja de Cristo, ele nasceu no ano de 315, em Poitiers, na França. Buscava a felicidade; mas sua família, pagã, vivia segundo a filosofia hedonista, ligada ao povo grego-romano; ou seja, felicidade como sinônimo de prazeres, com puro bem-estar. Então, aquele jovem dado aos estudos, se perguntava quanto ao fim último do ser humano; não podia acabar tudo ali com a morte; foi perseguindo a verdade.

O Espírito Santo foi agindo até ele conhecer as Sagradas Escrituras. O Antigo Testamento o levou proclamar o Deus uno, que merece toda a adoração. Passando para o Novo Testamento, Santo Hilário foi evangelizado e, numa busca constante, ele se viu necessitado do santo batismo, entrar para Igreja de Cristo e se fazer membro deste Corpo Místico. Em 345, foi batizado. Não demorou muito já era sacerdote e, depois, ordenado bispo para o povo de Poitiers.

Ele sofria com as heresias do arianismo. Santo Hilário, pela sua pregação e seus escritos, foi chamado “O Atanásio do Ocidente”, porque ele combateu o Arianismo do Oriente. No tempo em que o imperador Constâncio começou a apoiar esta heresia, Santo Hilário não teve medo das autoridades. Se era para o bem do povo, ele anunciava com ousadia até ser exilado, mas não deixou de evangelizar nem mesmo na cadeia. Por conselho, o próprio imperador o assumiu de volta em 360, porque os conselheiros sabiam da grande influência desse santo bispo que não ficava apenas em Poitiers, mas percorria toda a França.

Ele voltou, convocou um Concílio em Paris, participou de tantos outros conselhos no ocidente, mas sempre defendendo essa verdade que é Jesus Cristo, verdadeiro Deus, verdadeiro homem.

Santo Hilário de Poitiers foi se consumindo por essa verdade. Pelos seus escritos que chegam até o tempo de hoje, percebe-se este amor por Jesus Cristo. Não só numa busca pessoal, mas de promover a salvação dos outros. No século IV, ele partiu para a glória.

Santo Hilário de Poitiers, rogai por nós!