Primeira Leitura (Gl 5,1-6)


Leitura da Carta de São Paulo aos Gálatas.


Irmãos, 1é para a liberdade que Cristo nos libertou. Ficai pois firmes e não vos deixeis amarrar de novo ao jugo da escravidão. 2Eis que eu, Paulo, vos digo que Cristo não será de nenhum proveito para vós, se vos deixardes circuncidar.


3Mais uma vez, atesto a todo homem circuncidado que ele está obrigado a observar toda a Lei. 4Vós que procurais a vossa justificação na Lei rompestes com Cristo, decaístes da graça. 5Quanto a nós, que nos deixamos conduzir pelo Espírito, é da fé que aguardamos a justificação, objeto de nossa esperança. 6Com efeito, em Jesus Cristo, o que vale é a fé agindo pela caridade; observar ou não a circuncisão não tem valor algum.


Responsório (Sl 118)


— Senhor, que desça sobre mim a vossa graça!


— Senhor, que desça sobre mim a vossa graça!


— Senhor, que desça sobre mim a vossa graça e a vossa salvação que prometestes!


— Não retireis vossa verdade de meus lábios, pois eu confio em vossos justos julgamentos!


— Cumprirei constantemente a vossa lei; para sempre, eternamente a cumprirei!


— É amplo e agradável meu caminho, porque busco e pesquiso as vossas ordens.


— Muito me alegro com os vossos mandamentos, que eu amo, amo tanto, mais que tudo!


— Elevarei as minhas mãos para louvar-vos e com prazer meditarei vossa vontade.


Evangelho (Lc 11,37-41)


— O Senhor esteja convosco.


— Ele está no meio de nós.


— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.


— Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 37enquanto Jesus falava, um fariseu convidou-o para jantar com ele. Jesus entrou e pôs-se à mesa. 38O fariseu ficou admirado ao ver que Jesus não tivesse lavado as mãos antes da refeição. 39O Senhor disse ao fariseu: “Vós fariseus, limpais o copo e o prato por fora, mas o vosso interior está cheio de roubos e maldades. 40Insensatos! Aquele que fez o exterior não fez também o interior? 41Antes, dai esmola do que vós possuís e tudo ficará puro para vós”.


Homilia: Limpemos o nosso interior e cuidemos do nosso coração

Tenhamos tempo, dedicação e cuidado para cuidar da nossa alma e purificar o nosso interior

Vós fariseus, limpais o copo e o prato por fora, mas o vosso interior está cheio de roubos e maldades” (Lucas 11,39).

Jesus não discrimina nem se coloca contra ninguém, pelo contrário, Ele vai ao encontro de todos, porque ama a todos. Hoje, inclusive, vemos que Ele foi jantar na casa de um fariseu, e sabemos, no entanto, como os fariseus combateram Jesus, não O aceitaram.

O Senhor também foi ao encontro deles, mas, quando Ele chegou, a hipocrisia falou mais alto do que qualquer coisa. O fariseu estava preocupado, porque Jesus não lavava as mãos. Então, Ele nos ensina e catequiza: “Vós, fariseus, estais apenas direcionados para limpar o copo por fora, mas não se preocupam com o interior do copo. Ou seja, vocês cuidam das aparências, daquilo que os outros estão vendo, mas não cuidam daquilo que está no interior”.

Temos de ter cuidado para não viver uma fé hipócrita, uma fé em que cuidamos do copo do lado de fora, mas, por dentro, deixamos as impurezas que contaminam a água e a tomamos contaminada, porque o copo por fora é lindo, até brilha, mas por dentro não foi purificado.

Por fora, nós temos sempre boa aparência, estamos usando roupas bonitas, maquiagens, estamos nos retocando, sempre querendo mostrar a face para esse ou para aquele outro, mas nos esquecemos de cuidar melhor daquilo que está dentro. Não caíamos na tentação da hipocrisia.

Ser hipócrita é viver de aparências, de máscaras; é não cuidar do essencial, aquilo que está dentro de nós.

Cuidemos do nosso interior, da nossa alma, do nosso coração, cuidemos daquilo que está dentro de nós, porque o que está fora precisa refletir o que está dentro.

Tenhamos tempo, dedicação e cuidado para cuidar da nossa alma e purificar o nosso interior, fazer sempre um bom exame de consciência, reconhecer as próprias fraquezas e misérias, não se deleitar, não se preocupar em acusar os pecados e as fraquezas dos outros e não cuidar das próprias fraquezas e misérias.

Quanto mais cuidamos de nós mesmos, do nosso interior, melhores seremos para os outros e cresceremos na nossa relação com Deus.

Que o Senhor nos dê a graça de não limparmos o copo somente por fora, mas nos apliquemos, com toda a dedicação da nossa alma, a limpar o nosso interior e cuidar do nosso coração.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
fb.com/rogeraraujo.cn

Santo do Dia:

Santa Margarida Maria Alacoque, devota do Sagrado Coração de Jesus

Deus suscitou este luzeiro, ou seja, portadora da luz, que é Cristo, num período em que na Igreja penetrava as trevas do Jansenismo (doutrina que pregava um rigorismo que esfriava o amor de muitos e afastava o povo dos sacramentos). O nome de Santa Margarida Maria Alacoque está intimamente ligado à fervorosa devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Nasceu na França em 1647, teve infância e adolescência provadas, sofridas. Órfã de pai e educada por Irmãs Clarissas, muito nova pegou uma estranha doença que só a deixou depois de fazer o voto à Santíssima Virgem.

Com a intercessão da Virgem Maria, foi curada e pôde ser formada na cultura e religião. Até que provada e preparada no cadinho da humilhação, começou a cultuar o Santíssimo Sacramento do Altar e diante do Coração Eucarístico começou a ter revelações divinas.

“Eis aqui o coração que tanto amou os homens, até se esgotar e consumir para testemunhar-lhe seu amor e, em troca, não recebe da maior parte senão ingratidões, friezas e desprezos”. As muitas mensagens insistiram num maior amor à Santíssima Eucaristia, à Comunhão reparadora nas primeiras sextas-feiras do mês e à Hora Santa em reparação da humanidade.

Incompreendida por vários, Margarida teve o apoio de um sacerdote, recebeu o reconhecimento do povo que podia agora deixar o medo e mergulhar no amor de Deus. Leão XIII consagrou o mundo ao Sagrado Coração de Jesus e o Papa Pio XIII recomendou esta devoção que nos leva ao encontro do Coração Eucarístico de Jesus. Santa Margarida Maria Alacoque morreu em 1690 e foi canonizada pelo Papa Bento XV em 1920.

Santa Margarida Maria Alacoque, rogai por nós!