Antífona de entrada

Quando meu servo chamar, hei de atendê-lo, estarei com ele na tribulação. Hei de livrá-lo e glorificá-lo e lhe darei longos dias. (Sl 90, 15-16)

Oração do dia

Concedei-nos, ó Deus onipotente, que, ao longo desta Quaresma, possamos progredir no conhecimento de Jesus Cristo e corresponder a seu amor por uma vida santa. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Gn 9, 8-15)


Leitura do Livro do Gênesis


8Disse Deus a Noé e a seus filhos: 9“Eis que vou estabelecer minha aliança convosco e com vossa descendência, 10com todos os seres vivos que estão convosco: aves, animais domésticos e selvagens, enfim, com todos os animais da terra, que saíram convosco da arca. 11Estabeleço convosco a minha aliança: nunca mais nenhuma criatura será exterminada pelas águas do dilúvio, e não haverá mais dilúvio para devastar a terra”.

12E Deus disse: “Este é o sinal da aliança que coloco entre mim e vós, e todos os seres vivos que estão convosco, por todas as gerações futuras: 13ponho meu arco nas nuvens como sinal de aliança entre mim e a terra. 14Quando eu reunir as nuvens sobre a terra, aparecerá meu arco nas nuvens. 15Então eu me lembrarei de minha aliança convosco e com todas as espécies de seres vivos. E não tornará mais a haver dilúvio que faça perecer nas suas águas toda criatura”.

Salmo Responsorial  (Sl 24)


R. Verdade e amor, são os caminhos do Senhor.


— Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, e fazei-me conhecer a vossa estrada! Vossa verdade me oriente e me conduza, porque sois o Deus da minha salvação. R.

— Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura e a vossa compaixão que são eternas! De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia, e sois bondade sem limites, ó Senhor! R.

— O Senhor é piedade e retidão, e reconduz ao bom caminho os pecadores. Ele dirige os humildes na justiça, e aos pobres ele ensina o seu caminho. R.


Segunda Leitura (1Pd 3, 18-22)


Leitura da Primeira Carta de São Pedro


Caríssimos: 18Cristo morreu, uma vez por todas, por causa dos pecados, o justo pelos injustos, a fim de nos conduzir a Deus. Sofreu a morte, na sua existência humana, mas recebeu nova vida pelo Espírito.

19No Espírito, ele foi também pregar aos espíritos na prisão, 20a saber, aos que foram desobedientes antigamente, quando Deus usava de longanimidade, nos dias em que Noé construía a arca. Nesta arca, umas poucas pessoas — oito — foram salvas por meio da água.

21À arca corresponde o batismo, que hoje é a vossa salvação. Pois o batismo não serve para limpar o corpo da imundície, mas é um pedido a Deus para obter uma boa consciência, em virtude da ressurreição de Jesus Cristo.

22Ele subiu ao céu e está à direita de Deus, submetendo-se a ele anjos, dominações e potestades.

Aclamação ao Evangelho

R. Louvor e glória a ti, Senhor, Cristo, Palavra de Deus.
V. O homem não vive somente de pão, mas de toda palavra da boca de Deus. (Mt 4, 4b) R.

Evangelho (Mc 1, 12-15)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Marcos 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 12o Espírito levou Jesus para o deserto. 13E ele ficou no deserto durante quarenta dias, e aí foi tentado por Satanás. Vivia entre os animais selvagens, e os anjos o serviam.

14Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galileia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo: 15“O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!”

Diz-se o Creio.

Sobre as Oferendas

Fazei, ó Deus, que o nosso coração corresponda a estas oferendas com as quais iniciamos nossa caminhada para a Páscoa. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus. (Mt 4, 4)

Ou:


Ele te cobrirá com sua sombra, encontrarás abrigo em suas asas. (Sl 90, 4)

Depois da Comunhão

Ó Deus, que nos alimentastes com este pão que nutre a fé, incentiva a esperança e fortalece a caridade, dai-nos desejar o Cristo, pão vivo e verdadeiro, e viver de toda palavra que sai de vossa boca. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 21/02/2021
Conduzidos pelo Espírito de Deus, venceremos as tentações mundanas

"O Espírito levou Jesus para o deserto. E ele ficou no deserto durante quarenta dias, e aí foi tentado por Satanás" (Marcos 1,12-13).

A observância quaresmal que todos nós estamos vivendo, neste tempo de graça, é, com certeza, para termos comunhão com a vivência quaresmal do Mestre Jesus. Conduzido pelo Espírito, Ele foi levado para o deserto. Precisamos também ser conduzidos pelo Espírito para o nosso deserto interior.

Muitas vezes, temos medo do deserto, mas esse é um lugar da purificação, lugar da renovação, lugar para entrarmos em comunhão com Deus e com as nossas realidades profundas, muitas vezes, desconhecidas por nós.

Deserto é o lugar do encontro, é o lugar de nos encontrarmos com as nossas realidades mais profundas, e por isso o deserto é o lugar da tentação, onde vamos entrar para o nosso interior e perceber quantos sentimentos e pensamentos acumulamos dentro de nós. Pensamentos tentadores e devaneios mentais. Quantos sentimentos guardados, sentimentos negativos, quantos rancores, quantas mágoas, quantas maldades ficaram sucumbidas dentro de nós!


Precisamos também ser conduzidos pelo Espírito para o nosso deserto interior

O deserto como o lugar da tentação é, acima de tudo, o lugar da purificação, porque, muitas vezes, olhamos a tentação como se fosse a perdição. Não! A tentação é o momento da fortificação da alma e do espírito, a tentação é o momento de repelir o mal que está dentro e ao redor de nós.

Precisamos resistir à tentação, e o modo de resistir a ela é sermos fortalecidos pelo Espírito e pela graça de Deus. Jesus venceu as tentações conduzido pelo Espírito de Deus; agora, é difícil – ou até digo impossível – alguém vencer as tentações deste mundo sendo conduzido pelo espírito mundano, sendo levado pelo espírito da mundanidade que está presente em nós, nos nossos pensamentos e sentimentos. Enquanto tivermos essa mentalidade de pensar como o mundo, de agir como ele, vamos só sucumbir nas tentações e nos conformar com elas em nossa vida.

A mentalidade mundana do egoísmo, do individualismo; a mentalidade mundana do prazer pelo prazer; a mentalidade mundana do consumismo e da vaidade; a mentalidade mundana da ganância; a mentalidade mundana que nos leva a colocar o “deus dinheiro”, o “deus prazer” e o “deus poder” acima do Deus único e verdadeiro, que é Aquele que nos criou.

Precisamos ir para o deserto, a fim de nos purificarmos dessa mentalidade que nos faz sucumbir neste tempo que estamos vivendo, porque uma vez Jesus fortalecido no Espírito, Ele saiu para pregar, saiu para anunciar que o Reino de Deus estava próximo, e precisamos nos converter a Ele. Que, ao vencermos as tentações com a graça e o poder do Espírito Santo, possamos nos converter, a cada dia, para o Evangelho de Jesus.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Quaresma não é folclore!

A Quaresma é um “tempo forte” ao longo do qual nós, católicos, fazemos penitência. Mas, se não for entendido e vivido à luz do amor — que é, na verdade, o sentido não só deste tempo litúrgico, mas de toda a nossa vida —, facilmente ele degenera em “folclore” e práticas vazias. É para esse perigo que alerta o Padre Paulo Ricardo nesta meditação de domingo. Sem a realidade da graça, que realmente nos transforma desde dentro, nem o nosso jejum, nem a nossa oração, nem a nossa esmola, serão agradáveis a Deus.




Santo do dia 21/02/2021

São Pedro Damião

São Pedro Damião, Bispo e Doutor da Igreja. Nasceu em Ravena, Itália no ano de 1007. Marcado desde cedo pelo sofrimento porque perdeu os seus pais, foi morar e viver com seu irmão. No amor e no acolhimento, São Pedro Damião pode discernir a sua vocação.

Oração e penitência, algo que sempre acompanhou a vida de Pedro Damião; e algo que também precisa nos acompanhar constantemente.

São Pedro Damião discerniu sua vocação à vida religiosa e entrou para a Ordem dos Camaldulenses, no mosteiro de Fonte Avellana, na Úmbria, onde religiosos austeros levavam vida de eremitas.

Diante das regras e do que ele via e percebia, era preciso uma renovação a começar por ele. Ao se abrir a ação do Espírito Santo, ao ser obediente às regras, outros também foram se ajuntando a Pedro Damião, fundaram outros mosteiros e deram essa contribuição.

A renovação de qualquer instituição passa pela renovação pessoal, e também é válido para os tempos de hoje. As reclamações, as acusações, as rebeliões nada renovam, mas a decisão pessoal, a abertura a Deus, isso sim, pode provocar, como provocou na vida e na história de São Pedro Damião, uma renovação.

Deus pediu mais, e ele foi servir de maneira mais próxima a hierarquia da Igreja, sendo conselheiro de um Papa. Foi Bispo de Óstia, lugar perto de Roma, e também foi escolhido como Cardeal. Algo que marcou a sua história.

São Pedro Damião, sua própria vida nos aconselha a oração, a penitência e ao amor que se compromete com a renovação dos outros, pois a partir da renovação pessoal, nós também ajudamos na renovação do outro e das instituições.

A Igreja precisa ser renovada constantemente, para isso somos chamados a nossa renovação pessoal, a conversão diária. Peçamos a intercessão do santo de hoje que foi Bispo, Cardeal e Doutor da Igreja.

São Pedro Damião, rogai por nós!