Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Luminosos com imagens

Memória Facultativa

São Lourenço de Bríndisi, presbítero e doutor da Igreja

Antífona de entrada

É Deus quem me ajuda, é o Senhor quem defende a minha vida. Senhor, de todo o coração hei de vos oferecer o sacrifício, e dar graças ao vosso nome, porque sois bom. (Sl 53, 6. 8)
Ecce Deus ádiuvat me, et Dóminus suscéptor est ánimae meae: avérte mala inimícis meis, in veritáte tua dispérde illos, protéctor meus Dómine. Ps. Deus in nómine tuo salvum me fac: et in virtúte tua iúdica me. (Ps. 53, 6. 7 et 3)
Vernáculo:
Quem me protege e me ampara é meu Deus; é o Senhor quem sustenta minha vida! Voltai o mal contra os meus inimigos, destruí-os por vossa verdade! Sl. Por vosso nome, salvai-me, Senhor; e dai-me a vossa justiça! (Cf. Saltério: Sl 53, 6. 7 e 3)

Oração do dia

Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Jr 2, 1-3. 7-8. 12-13)


Leitura do Livro do Profeta Jeremias


1A Palavra do Senhor foi-me dirigida, dizendo: 2“Vai e grita aos ouvidos de Jerusalém. Isto diz o Senhor: Lembro-me de ti, da afeição da jovem, do amor da noiva, de quando me seguias no deserto, numa terra inculta. 3Israel, consagrado ao Senhor, era como as primícias de sua colheita; todos os que dele comiam, pecavam; males caíam sobre eles”, diz o Senhor. 7“Eu vos introduzi numa terra de pomares, para que gozásseis de seus melhores produtos, mas, apenas chegados, contaminastes o país e tornastes abominável minha herança. 8Os sacerdotes nem perguntaram onde está o Senhor. Os versados na Lei não me reconheceram, e os chefes do povo voltaram-me as costas, os profetas profetizaram em nome de Baal e correram atrás de coisas que para nada servem. 12Ó céus, espantai-vos diante disso, enchei-vos de grande horror”, diz o Senhor. 13“Dois pecados cometeu meu povo: abandonou-me a mim, fonte de água viva, e preferiu cavar cisternas, cisternas defeituosas que não podem reter água”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 35)


℟. Em vós está a fonte da vida, ó Senhor!


— Vosso amor chega aos céus, ó Senhor, chega às nuvens a vossa verdade. Como as altas montanhas eternas é a vossa justiça, Senhor. ℟.

— Quão preciosa é, Senhor, vossa graça! Eis que os filhos dos homens se abrigam sob a sombra das asas de Deus. Na abundância de vossa morada, eles vêm saciar-se de bens. Vós lhes dais de beber água viva, na torrente das vossas delícias. ℟.

— Pois em vós está a fonte da vida, e em vossa luz contemplamos a luz. Conservai aos fiéis vossa graça, e aos retos, a vossa justiça! ℟.


https://youtu.be/7Z1OjUGyBT8
℟. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
℣. Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelaste os mistérios do teu Reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Cf. Mt 11, 25) ℟.

Evangelho (Mt 13, 10-17)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

℟. Glória a vós, Senhor.


Naquele tempo, 10os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que tu falas ao povo em parábolas?” 11Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não é dado. 12Pois à pessoa que tem, será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem, será tirado até o pouco que tem. 13É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque olhando, eles não veem, e ouvindo, eles não escutam, nem compreendem. 14Deste modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir, sem nada entender. Havereis de olhar, sem nada ver. 15Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’. 16Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não viram, desejaram ouvir o que ouvis, e não ouviram”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Antífona do Ofertório

Iustítiae Dómini rectae, laetificántes corda, et dulcióra super mel et favum: nam et servus tuus custódiet ea. (Ps. 18, 9. 11. 12)


Vernáculo:
Os preceitos do Senhor são precisos, alegria ao coração. Suas palavras são mais doces que o mel, que o mel que sai dos favos. E vosso servo, instruído por elas, se empenha em guardá-las. (Cf. LH: Sl 18, 9a. 11. 12)

Sobre as Oferendas

Ó Deus, que no sacrifício da cruz, único e perfeito, levastes à plenitude os sacrifícios da Antiga Aliança, santificai, como o de Abel, o nosso sacrifício, para que os dons que cada um trouxe em vossa honra possam servir para a salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

O Senhor bom e clemente nos deixou a lembrança de suas grandes maravilhas. Ele dá o alimento aos que o temem. (Sl 110, 4-5)

Ou:


Eis que estou à porta e bato, diz o Senhor: se alguém ouvir a minha voz e abrir, eu entrarei e cearemos juntos. (Ap 3, 20)
Optimam partem elégit sibi María, quae non auferétur ab ea in aetérnum. (Lc. 10, 42; ℣. Ps. 33)
Vernáculo:
Maria escolheu a melhor parte, e esta não lhe será tirada. (Cf. Bíblia CNBB: Lc 10, 42)

Depois da Comunhão

Ó Deus, permanecei junto ao povo que iniciastes nos sacramentos do vosso reino, para que, despojando-nos do velho homem, passemos a uma vida nova Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 21/07/2022
Por que Jesus ensinava em parábolas?

Um dos traços mais chamativos do ministério público de Nosso Senhor é o recurso constante às parábolas. Mas por que motivo Jesus se servia destas imagens para falar às multidões?

O Senhor explica-nos hoje o porquê de Ele falar em parábolas às multidões, mas com clareza aos discípulos. E a razão por que Jesus, em seu ministério público, ocultava alguns ensinamentos sob a roupagem de parábolas não era outra senão a dureza de coração das turbas que O seguiam: "O coração deste povo", refere-se o Senhor às palavras de Isaías, "se tornou insensível" (cf. Is 6, 10). As multidões que acorrem apressadas para ouvi-lO, mais curiosas do que bem dispostas, ainda são indignas e incapazes de receber abertamente o que o Deus encarnado lhes tem a ensinar: "Eles ouviram com má vontade", cita outra vez o profeta, "e fecharam seus olhos" (cf. Is 6, 10). Nem mesmo os milagres são o bastante; antes, pelo contrário, parecem contribuir para obcecar o coração daquela gente blasfema, que chega a atribuí-los à ação de Beelzebul (cf. Lc 11, 15). É por isso que Cristo, escreve Santo Tomás, "ensinava algumas coisas ocultamente às turbas, servindo-se de parábolas para falar de mistérios espirituais, porque os ouvintes ou não eram capazes ou não eram dignos de os entender" (S. Th. III, q. 42, a. 3, co.).

Mas até nisto, continua o Angélico, o Senhor manifesta a sua entranhável misericórdia, já que era melhor para as multidões "ouvir a doutrina espiritual sob o véu das parábolas do que serem dela inteiramente privadas" (ibid.). Nós, porém, não sejamos como essas turbas incrédulas e curiosas. Disponhamo-nos interiormente, pelo arrependimento e pela retidão de intenção, às verdades que Jesus quer-nos transmitir. Abramo-nos à fé, com humildade e docilidade, que é necessária para abraçar e compreender os mistérios do Reino dos Céus. Pois Deus, cuja vontade é conduzir todos à salvação e ao conhecimento da verdade (cf. 1Tm 2, 4; Ex 18, 23), por pura bondade fez chegar até nós a sua Palavra. Como pecadores chamados agora à penitência (cf. Lc 5, 31), acolhamo-la em nosso coração e imploremos todos os dias o incremento da fé, fundamento da esperança e certeza a respeito do que não se vê (cf. Hb 11, 1). — Santa Maria, Virgem fiel, rogai por nós!

Deus abençoe você!

Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: pocketterco.com.br/ajude

Homilia Diária | Deus endurece os corações? (Quinta-feira da 16.ª Semana do Tempo Comum)

Como dizem as Escrituras, Deus quer que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade. Mas, se é assim, por que lemos que o Senhor endurece o coração dos que não creem e abandona à dureza de espírito os que se fazem de surdos à sua Palavra? É diante deste mistério que o Evangelho de hoje nos coloca.Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 21 de julho, e descubra de que modo o nosso coração pode tornar-se dócil e aberto às verdades que Deus quis revelar-nos.


https://youtu.be/Y66YyqTQKxc

Santo do dia 21/07/2022


São Lourenço de Bríndisi, Presbítero e Doutor da Igreja (Memória Facultativa)
Local: Lisboa, Portugal
Data: 21 de Julho † 1619


Lourenço nasceu em Bríndisi, em julho de 1559.

Conta-se que, com a idade de seis anos, pregou na Catedral da cidade natal, deixando o auditório pasmado.

Depois da morte do pai, procurou os franciscanos, com os quais ficou até os catorze anos.

Os turcos, então, ameaçaram Bríndisi, e o jovem, com a mãe, foi refugiar-se em Veneza, onde um tio se encarregou de sua educação.

Em 1575, fazia parte dos capuchinhos de Verona. Adotando o nome de Lourenço, foi noviço modesto, grave e amável. Amante da penitência, cingia-se com correntes de ferro, jejuava três dias por semana, alimentando-se somente de pão e verdura.

Meditando assiduamente os sofrimentos de Nosso Senhor, viveu em Verona até o dia em que, adoecendo, enviaram-no a Pádua, para que mudasse de ares e onde, depois da convalescença, continuasse os estudos.

Ótimo estudante, nas horas de lazer estudou o francês, o grego, o alemão, o siríaco e o hebraico.

São Lourenço principiou a pregar antes mesmo da ordenação.

Ordenado, continuou o ministério com redobrado calor. O papa Clemente VIII fê-lo pregar aos judeus de Roma durante três anos. Tendo obtido êxito incomum, graças aos bons conhecimentos que tinha do hebraico, acabou, pela cultura linguística, a percorrer a Europa: pregou na Hungria, Boêmia, Portugal, Bélgica, Suíça, Alemanha, França e Espanha.

Aplaudido, São Lourenço de Bríndisi buscava a sombra.

De 1602 a 1605 dirigiu a ordem. Sempre simples, doce e afável, assim levou a vida. Depois de ter fundado vários conventos, na Alemanha, no Tirol e na Áustria, faleceu em paz, em 1619, no dia 22 de julho, em Lisboa, onde, junto de Filipe III, tratava da causa dos napolitanos oprimidos.

São Lourenço de Bríndisi foi enterrado na Galícia. Beatificado em 1783 por Pio VI. Leão XIII canonizou-o em 1881.

Referência:
ROHRBACHER, Padre. Vida dos santos: Volume XIII. São Paulo: Editora das Américas, 1959. Edição atualizada por Jannart Moutinho Ribeiro; sob a supervisão do Prof. A. Della Nina. Adaptações: Equipe Pocket Terço. Disponível em: obrascatolicas.com. Acesso em: 11 jul. 2021.