Antífona de entrada

O Senhor é a força de seu povo, fortaleza e salvação do seu Ungido. Salvai, Senhor, vosso povo, abençoai vossa herança e governai para sempre os vossos servos. (Sl 27, 8-9)

Oração do dia

Senhor, nosso Deus, dai-nos por toda a vida a graça de vos amar e temer, pois nunca cessais de conduzir os que firmais no vosso amor. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Gn 15, 1-12. 17-18)


Leitura do Livro do Gênesis


Naqueles dias, 1o Senhor falou a Abrão, dizendo: “Não temas, Abrão! Eu sou o teu protetor e tua recompensa será muito grande”.

2Abrão respondeu: “Senhor Deus, que me darás? Eu me vou desta vida sem filhos e o herdeiro de minha casa será Eliezer de Damasco”. 3E acrescentou: “Como não me deste descendência, um servo nascido em minha casa será meu herdeiro”. 4Então o Senhor falou-lhe nestes termos: “O teu herdeiro não será esse, mas um dos teus descendentes é que será o herdeiro”. 5E, conduzindo-o para fora, disse-lhe: “Olha para o céu e conta as estrelas, se fores capaz!” E acrescentou: “Assim será a tua descendência”.

6Abrão teve fé no Senhor, que considerou isso como justiça. 7E lhe disse: “Eu sou o Senhor que te fez sair de Ur dos Caldeus, para te dar em possessão esta terra”. 8Abrão lhe perguntou: “Senhor Deus, como poderei saber que vou possuí-la?” 9E o Senhor lhe disse: “Traze-me uma novilha de três anos, uma cabra de três anos, um carneiro de três anos, além de uma rola e de uma pombinha”. 10Abrão trouxe tudo e dividiu os animais pelo meio, mas não as aves, colocando as respectivas partes uma frente à outra. 11Aves de rapina se precipitaram sobre os cadáveres, mas Abrão as enxotou. 12Quando o sol já se ia pondo, caiu um sono profundo sobre Abrão e ele foi tomado de grande e misterioso terror. 17Quando o sol se pôs e escureceu, apareceu um braseiro fumegante e uma tocha de fogo, que passaram por entre os animais divididos. 18Naquele dia o Senhor fez aliança com Abrão, dizendo: “Aos teus descendentes darei esta terra, desde o rio do Egito até o grande rio, o Eufrates”.

Salmo Responsorial (SI 104)


R. O Senhor se lembra sempre da Aliança.


— Dai graças ao Senhor, gritai seu nome, anunciai entre as nações seus grandes feitos! Cantai, entoai salmos para ele, publicai todas as suas maravilhas! R.

— Gloriai-vos em seu nome que é santo, exulte o coração que busca a Deus! Procurai o Senhor Deus e seu poder, buscai constantemente a sua face! R.

— Descendentes de Abraão, seu servidor, e filhos de Jacó, seu escolhido, ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, vigoram suas leis em toda a terra. R.

— Ele sempre se recorda da Aliança, promulgada a incontáveis gerações; da Aliança que ele fez com Abraão, e do seu santo juramento a Isaac. R.


R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Ficai em mim, e eu em vós ficarei, diz Jesus; quem em mim permanece, há de dar muito fruto. (Jo 15, 4a. 5b) R.

Evangelho (Mt 7, 15-20)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 15“Cuidado com os falsos profetas: Eles vêm até vós vestidos com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes. 16Vós os conhecereis pelos seus frutos. Por acaso se colhem uvas de espinheiros ou figos de urtigas? 17Assim, toda árvore boa produz frutos bons, e toda árvore má, produz frutos maus. 18Uma árvore boa não pode dar frutos maus, nem uma árvore má pode produzir frutos bons. 19Toda árvore que não dá bons frutos é cortada e jogada no fogo. 20Portanto, pelos seus frutos vós os conhecereis”.

Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, este sacrifício de reconciliação e louvor, e fazei que, purificados por ele, possamos oferecer-vos um coração que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam e vós lhes dais no tempo certo o alimento. (Sl 144, 15)

Ou:


Eu sou o Bom Pastor, e dou a vida por minhas ovelhas, diz o Senhor. (Jo 10, 11. 15)

Depois da Comunhão

Renovados pelo Corpo e Sangue do vosso Filho, nós vos pedimos, ó Deus, que possamos receber um dia, resgatados para sempre, a salvação que devotamente estamos celebrando. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 23/06/2021
Deus nos criou para vivermos na verdade

“Cuidado com os falsos profetas: Eles vêm até vós vestidos com peles de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes” (Mateus 7,15).

Cuidemos de nós; em primeiro lugar, para não sermos falsos, porque tudo que é verdadeiro pode ser falsificado. Na sociedade da falsidade, que é o mundo onde nos encontramos hoje, tudo se falsifica. Tem dinheiro que é verdadeiro, tem dinheiro que é falso; tem que comprar hoje coisa para medir até o dinheiro que você recebe. Notícias verdadeiras facilmente se tornam notícias falsas, mas o mais duro é Deus ter nos criado na verdade e virarmos falsidade.

Então, a primeira coisa: não nos alimentemos do que é falso, mentiroso, do que é enganoso. Trabalhemos pela nossa autenticidade de vida e de palavra. Trabalhemos pela autenticidade do nosso coração, trabalhemos para sermos pessoas autênticas. O que eu seja aqui, eu seja também acolá; o que eu faço aqui, eu assuma aquilo que falei.

Se formos pessoas falsas, a nossa profecia também será falsa, o nosso profetismo será desacreditado. Podemos até falar as melhores palavras, termos a melhor das intenções, mas se não nos revestirmos da autenticidade, também seremos confundidos com os falsos profetas.

Há muitos caminhos de ilusão levados pela empolgação, pelo sentimentalismo, que não correspondem à verdade

Os falsos profetas estão aí, aqui não é questão de julgar essa ou aquela religião, porque primeiro é preciso olhar para o próprio coração, a própria vida e a própria casa.

No seio da nossa própria Igreja Católica, há muitas coisas falsas, ilusórias e enganosas, há muitos caminhos que são ensinados que não correspondem à verdade, há muitos caminhos de ilusão levados pela empolgação, pela emoção, pelo sentimentalismo, que não correspondem à verdade. Há muita falta de sinceridade, e é preciso que cada um se volte para si, e simplesmente não propagar, vender e dar para o outro, porque o mundo onde estamos, as pessoas estão sedentas e necessitadas.

Se as pessoas comem até comida envenenada, porque estão tão famintas, quantas vezes estamos dando também o alimento envenenado e falsificado em nome da popularidade, do populismo ou o nome que queremos dar, pela falta de reflexão e de se voltar para a verdade!?

Não vamos negar que vivemos em meio a um mundo onde existem falsas religiões, existem lobos revestidos de pele de ovelha, falando coisa bonita em nome de Deus, falando o nome de Deus aqui e acolá.

Cuidemos, não nos iludamos, o nome de Deus se tornou moeda de troca na política, na economia e nos negócios. Querem se eleger, querem ser reconhecidos e usam o nome de Deus. Cuidemos porque vivemos num mundo de muitas falsificações, cuidemos porque muitos pregam aquilo que as pessoas querem ouvir, e a falsidades, os enganos, as coisas fakes tomam conta da vida.

É preciso que produzamos os frutos! E olhemos para eles para que permaneçamos na árvore verdadeira. Que Deus nos conduza no caminho da verdade para não nos desviarmos nem nos tornarmos falsos no mundo tão falsificado onde estamos.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Santo do dia 23/06/2021

São José Cafasso

O santo de hoje nasceu em Castelnuovo d’Asti, na Itália, no ano de 1811, onde também nasceu o grande São João Bosco. José Cafasso, desde criança, sentiu-se chamado ao sacerdócio, que foi se tornando cada vez mais forte no decorrer de sua vida com Deus.

Assim, entrou para a formação sacerdotal e se tornou padre aos 23 anos, destacando-se no meio de tantos por seu amor aos pobres e zelo pela salvação das almas. Depois de comprovado e dedicado trabalho na Igreja de São Francisco em Turim, José assumiu, com toda sua bagagem de pregador, confessor e iluminado diretor espiritual, a função de reitor e formador de novos sacerdotes.

Dom Bosco foi um dos vocacionados que desfrutou das formações e aconselhamentos deste santo, pois, como um sacerdote sintonizado ao coração do Cristo Pastor, sabia muito bem colocar sua cultura eclesiástica, dons e carismas a serviço da salvação do próximo.

Dentre tantos ofícios assumidos por este homem incansável, que foi para o céu em 1860, despontou José Cafasso na evangelização dos condenados à forca, tanto assim que ficou conhecido como o “Santo da Forca”.

São José Cafasso, rogai por nós!