Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Luminosos com imagens

Memória Facultativa

São João Câncio, Presbítero

Antífona de entrada

Nascerá para nós um pequenino: ele será chamado Deus e Forte; nele serão abençoados todos os povos da terra. (Cf. Is 9, 6; Sl 71, 17)
Prope es tu Dómine, et omnes viae tuae véritas: inítio cognóvi de testimóniis tuis, quia in aetérnum tu es. Ps. Beáti immaculáti invia: qui ámbulant in lege Dómini. (Cf. Ps. 118, 151-152 et 1)
Vernáculo:
Vós estais perto, ó Senhor, perto de mim; todos os vossos mandamentos são verdade! Desde criança aprendi vossa Aliança que firmastes para sempre, eternamente. Sl. Feliz o homem sem pecado em seu caminho, que na lei do Senhor Deus vai progredindo! (Cf. LH: Sl 118, 151-152 e 1)

Oração do dia

Deus eterno e todo-poderoso, ao aproximar-nos do natal do vosso Filho, concedei-nos obter a misericórdia do Verbo, que se encarnou no seio da Virgem e quis viver entre nós. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Ml 3, 1-4. 23-24)


Leitura da Profecia de Malaquias


Assim fala o Senhor Deus: 1“Eis que envio meu anjo, e ele há de preparar o caminho para mim; logo chegará ao seu templo o Dominador, que tentais encontrar, e o anjo da aliança, que desejais.

Ei-lo que vem, diz o Senhor dos exércitos; 2e quem poderá fazer-lhe frente, no dia de sua chegada? E quem poderá resistir-lhe, quando ele aparecer? Ele é como o fogo da forja e como a barrela dos lavadeiros; 3e estará a postos, como para fazer derreter e purificar a prata: assim ele purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata, e eles poderão assim fazer oferendas justas ao Senhor.

4Será então aceitável ao Senhor a oblação de Judá e de Jerusalém, como nos primeiros tempos e nos anos antigos. 23Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o dia do Senhor, dia grande e terrível; 24o coração dos pais há de voltar-se para os filhos, e o coração dos filhos para seus pais, para que eu não intervenha, ferindo de maldição a vossa terra”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 24)


℟. Levantai vossa cabeça e olhai, pois a vossa redenção se aproxima!


— Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, e fazei-me conhecer a vossa estrada! Vossa verdade me oriente e me conduza, porque sois o Deus da minha salvação! ℟.

— O Senhor é piedade e retidão, e reconduz ao bom caminho os pecadores. Ele dirige os humildes na justiça, e aos pobres ele ensina o seu caminho. ℟.

— Verdade e amor são os caminhos do Senhor para quem guarda sua Aliança e seus preceitos. O Senhor se torna íntimo aos que o temem e lhes dá a conhecer sua Aliança. ℟.


https://youtu.be/2FYRHi8KfdA
℟. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
Ó Rei e Senhor das nações, e Pedra angular da Igreja, vinde salvar a mulher e o homem, que, um dia, formastes do barro. ℟.

Evangelho (Lc 1, 57-66)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Lucas 

℟. Glória a vós, Senhor.


57Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. 58Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. 59No oitavo dia foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60A mãe porém disse: “Não! Ele vai chamar-se João”. 61Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” 62Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse.

63Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. 64No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. 65Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Judeia. 66E todos os que ouviam a notícia, ficavam pensando: “O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Antífona do Ofertório

Confortámini, et iam nolíte timére: ecce enim Deus noster retríbuet iudícium: ipse véniet, et salvos nos fáciet. (Is. 35, 4)


Vernáculo:
Coragem, não temais; eis que chega o nosso Deus, ele mesmo vai salvar-nos. (Cf. MR: Is 35, 4)

Sobre as Oferendas

Ó Deus, que esta oblação, pela qual vos prestamos um culto perfeito, restabeleça nossa amizade convosco, para que possamos celebrar de coração purificado o nascimento do nosso Redentor. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir, eu entrarei e cearemos junto. (Ap 3, 20)
Ecce Dóminus véniet, et omnes sancti eius cum eo: et erit in die illa lux magna. (Cf. Zach. 14, 5. 7; ℣. Ps. 49, 1. 2-3a. 3bc. 4. 5. 6)
Vernáculo:
Então virá o Senhor, e todos os seus santos com ele. E naquele dia haverá uma grande luz. (Cf. Bíblia CNBB: Zc 14, 5b. 7)

Depois da Comunhão

Ó Deus, concedei a vossa paz aos nossos corações que acabastes de saciar com o pão dos céus, para que possamos esperar com lâmpadas acesas a chegada do vosso Filho que se aproxima. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 23/12/2021
A “gestação” de Zacarias

Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu (Lc 1, 63-64).

No Evangelho de hoje, vemos o nascimento de S. João Batista, o Precursor. Sabemos como se deram os acontecimentos antes do nascimento de João Batista: Zacarias e Isabel já eram velhos e, humanamente falando, não poderiam conceber e dar à luz, mas Deus anuncia, por meio de Gabriel, que eles seriam pais. Zacarias volta para casa, obediente a Deus, e com sua esposa consegue gerar um filho por graça divina. Na hora do nascimento, todos querem dar à criança o nome do pai, Zacarias, mas este, ainda obediente a Deus, escreve: “Seu nome será João”. Primeira coisa: o próprio significado do nome João é “graça de Deus”, ou “Deus agraciou”. Ao escrever esse nome, Zacarias é curado da mudez e sua língua finalmente se solta. Por quê? Porque houve ali um ato de obediência e de fé, ou seja, o reconhecimento de que aquele menino não é seu, para que lhe dê um nome que quiser, senão que é pura graça de Deus.

Estamos já às portas do Natal, e temos hoje este exemplo de S. Zacarias, o exemplo de uma obediência e de fé, de reconhecer e ver que Deus é sumamente bom em todas as coisas. Zacarias poderia ter-se revoltado contra Deus, porque, afinal de contas, no momento mais solene de sua vida o sacerdote fora “punido” por Deus com a mudez. Imagine-se a humilhação, a confusão, a situação de Zacarias: todos estavam lá fora à espera e, de repente, aparece ele… mudo. Não era para sentir-se desprezado por Deus, deixado de lado? Não, pelo contrário: aquela santa punição, aquele bondoso castigo de Deus fez Zacarias passar, durante os nove meses de gravidez de Isabel, por uma gestação interior.


Enquanto Isabel gerava em seu ventre João Batista, Zacarias gerava em seu coração o homem obediente, o homem humilde, o homem agradecido, o homem que vê em tudo a mão providentíssima de Deus.

Não sei como será o seu Natal. Pode ser que o seu Natal seja, humanamente falando, maravilhoso, cheio de harmonia e de paz, que você possa celebrar a sua ceia cercado de seus entes queridos, alegre, com troca de presentes… Mas pode ser que o seu Natal seja diferente, pesado; pode ser que neste Natal você se sinta “castigado” por Deus; pode ser que neste Natal você esteja sozinho, endividado, sem ninguém com que festejar… E no entanto você é chamado, pelo exemplo de S. Zacarias, a reconhecer em tudo a graça de Deus: “João é o seu nome”, isto é, “Deus é fonte de graça”, “Deus que agracia”. E que graça é enxergar que o Natal só será verdadeiro Natal se a nossa paz for Cristo! Talvez você esteja se agitando, passando por problemas, porque pôs a sua paz em outro lugar. Onde a colocou? Nosso Senhor disse: “Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz. Não vo-la dou como dá o mundo”. Se você procurava a paz no mundo, é natural que chegue o Natal e você se encontre em guerra interiormente; mas se você encontra a paz em Cristo, no Natal os anjos poderão vir à sua casa para cantar glória a Deus nas alturas e paz na terra. Paz! Paz, como foi a que inundou o coração de Zacarias, como é a paz que existe no coração daqueles a quem Deus visita. Paz na terra para aqueles que receberam a graça de Deus: “João é o seu nome”.

Deus abençoe você!

Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: pocketterco.com.br/ajude

Homilia Diária | Deus é graça! (Quinta-feira da 4.ª Semana do Advento)

Para que víssemos o quanto ele nos ama e como meio de nos salvar, Deus assumiu nossa humanidade. Foi a Encarnação. Deus tomou para si uma natureza humana, para que o amor infinito que ele mesmo é pudesse manifestar-se também de forma humana. Deus veio, por assim dizer, falar “na nossa língua”, para que o compreendêssemos. Ele desceu até nós, como uma mãe que se reclina sobre a fragilidade do filho; como uma mãe, inclinada sobre o berço, põe o rosto bem perto do da criança, para que esta, vendo o da mãe, sorria e fique com o seu iluminado.Assista a homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 23 de dezembro, e nos alegremos com a proximidade da solenidade do Natal do Senhor!


https://youtu.be/hTYhXXoImAY

Santo do dia 23/12/2021


São João Câncio (Memória Facultativa)
Local: Cracóvia, Polônia
Data: 23 de Dezembro † 1473


Vladislau III Jagelão, lituano, chefe de grande dinastia, converteu-se ao cristianismo por amor ao trono da Polônia, antes que por amor à princesa Edniges, herdeira da coroa. Entre as boas coisas realizadas enumera-se a criação em 1400 da célebre Universidade de Cracóvia. Nela, poucos anos depois, ocupou a cátedra de filosofia e teologia João Câncio, como ele próprio se chamava, pelo costume de traduzir para o latim os nomes nórdicos.

João nasceu em Kety, pequena localidade da Polônia, em 1390. Em Cracóvia fez os seus estudos, laureou-se e foi ordenado sacerdote. Obteve a cátedra universitária no momento em que a controvérsia hussita se tornava mais acesa. João discutiu com vários opositores, recebendo nestas disputas mais insultos que argumentações objetivas. Quando a sua humildade e a sua paciência eram postas à prova, sem perder a costumeira serenidade de espírito, se limitava a responder: "Graças a Deus!"

Na qualidade de preceptor dos príncipes da Casa real polonesa, às vezes não podia se subtrair à participação de alguma festa mundana. Um dia se apresentou a um banquete com roupas humildes e um doméstico o pôs porta afora. João foi se trocar e voltou ao lugar onde se dava a recepção. Desta vez pôde entrar, mas durante o almoço um servente desastrado esvaziou um copo nas suas vestes. João sorriu afirmando: "Está certo que também a minha roupa tenha a sua parte, foi graças a ela que pude entrar aqui".

Tanto nas pequenas como nas grandes adversidades, João teve sempre em mira algo de bem superior ao prestígio, à carreira e ao bem-estar materiais: "Mais para o alto!", repetia frequentemente querendo exprimir com este lema o seu programa de vida ascética. Ele se distinguiu sobretudo pela caridade evangélica, com uma marca claramente franciscana.

Durante uma de suas peregrinações a Roma, a diligência em que viajava foi assaltada e depredada por um grupo de bandidos, que infestavam os arredores de Roma. Também João foi roubado mas percebendo que no fundo de um bolso tinha ficado uma moeda de prata, correu atrás dos bandidos, dizendo: "Vocês esqueceram esta". O biógrafo, que conta o episódio, afirma que os bandidos, comovidos, restituíram todo o dinheiro do assalto. Morreu em Cracóvia, com a idade de oitenta e três anos, na noite de Natal de 1473 e foi canonizado em 1767. A memória do santo, celebrada a 20 de outubro, foi agora trazida para mais perto da data de sua morte.

Referência:
SGARBOSSA, Mario; GIOVANNI, Luigi. Um santo para cada dia. São Paulo: Paulus, 1983. 397 p. Tradução de: Onofre Ribeiro. Adaptações: Equipe Pocket Terço.

São João Câncio, rogai por nós!