Apoiadores do Pocket Terço

Antífona de entrada

Inclinai, Senhor, o vosso ouvido e escutai-me; salvai, meu Deus, o servo que confia em vós. Tende compaixão de mim, clamo por vós o dia inteiro. (Sl 85, 1-3)

Oração do dia

Ó Deus, que unis os corações dos vossos fiéis num só desejo, dai ao vosso povo amar o que ordenais e esperar o que prometeis, para que, na instabilidade deste mundo, fixemos os nossos corações onde se encontram as verdadeiras alegrias. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (1Ts 3, 7-13)


Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses


Irmãos, 7ficamos confortados, em meio a toda angústia e tribulação, pela notícia acerca de vossa fé. 8Agora sentimo-nos reviver, porque vós estais firmes no Senhor. 9Como podemos agradecer a Deus por toda a alegria que nos invade diante do nosso Deus, por causa de vós? 10Noite e dia rezamos efusivamente para vos rever e completar o que ainda falta na vossa fé.

11Que o próprio Deus e nosso Pai, e nosso Senhor Jesus dirijam os nossos passos até vós. 12O Senhor vos conceda que o amor entre vós e para com todos aumente e transborde sempre mais, a exemplo do amor que temos por vós. 13Que assim ele confirme os vossos corações numa santidade sem defeito aos olhos de Deus, nosso Pai, no dia da vinda de nosso Senhor Jesus, com todos os seus santos.

Salmo Responsorial (Sl 89)


R. Saciai-nos de manhã com vosso amor!


— Vós fazeis voltar ao pó todo mortal, quando dizeis: “Voltai ao pó, filhos de Adão!” Pois mil anos para vós são como ontem, qual vigília de uma noite que passou. R.

— Ensinai-nos a contar os nossos dias, e dai ao nosso coração sabedoria! Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis? Tende piedade e compaixão de vossos servos! R.

— Saciai-nos de manhã com vosso amor, e exultaremos de alegria todo o dia! Que a bondade do Senhor e nosso Deus repouse sobre nós e nos conduza! Tornai fecundo, ó Senhor, nosso trabalho, fazei dar frutos o labor de nossas mãos! R.


R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Vigiai, diz Jesus, vigiai, pois, no dia em que não esperais, o vosso Senhor há de vir. (Mt 24, 42a. 44) R.

Evangelho (Mt 24, 42-51)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 42“Ficai atentos! Porque não sabeis em que dia virá o Senhor. 43Compreendei bem isso: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. 44Por isso, também vós ficai preparados! Porque na hora em que menos pensais, o Filho do Homem virá.

45Qual é o empregado fiel e prudente, que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, para lhes dar alimento na hora certa? 46Feliz o empregado, cujo senhor encontrar agindo assim, quando voltar. 47Em verdade vos digo, ele lhe confiará a administração de todos os seus bens. 48Mas, se o empregado mau pensar: ‘Meu senhor está demorando’, 49e começar a bater nos companheiros, a comer e a beber com os bêbados; 50então o senhor desse empregado virá no dia em que ele não espera, e na hora que ele não sabe. 51Ele o partirá ao meio e lhe imporá a sorte dos hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes”.

Sobre as Oferendas

Ó Deus, que pelo sacrifício da cruz, oferecido uma só vez, conquistastes para vós um povo, concedei à vossa Igreja a paz e a unidade. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Com vossos frutos saciais a terra inteira: fazei a terra produzir o nosso pão e o vinho que alegra o coração. (Sl 103, 13-15)

Ou:


Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, diz o Senhor, e eu o ressuscitarei no último dia. (Jo 6, 55)

Depois da Comunhão

Ó Deus, fazei agir plenamente em nós o sacramento do vosso amor, e transformai-nos de tal modo pela vossa graça, que em tudo possamos agradar-vos. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 26/08/2021
Sejamos prudentes em todas as nossas ações

“Qual é o empregado fiel e prudente, que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, para lhes dar alimento na hora certa?” (Mateus 24,45).

Meus irmãos e minhas irmãs, não sabemos em que dia o Senhor virá, em outras palavras, não sabemos nem o dia que nós iremos morrer, partir desta vida. Nós iremos ao encontro do Senhor que vem ao nosso encontro.

Não sabemos nem podemos perder tempo com isso, nós temos que ganhar tempo cuidando bem da nossa vida e administrando-a a cada dia, como se cada dia fosse o primeiro e o último da nossa vida. Temos que viver cada momento com intensidade e responsabilidade, porque o empregado irresponsável e imprudente é o pior empregado, é aquele que está lá para cuidar da casa, mas ele a bagunça, faz o que pode e diz assim: “Não se preocupe, que o patrão vem só no final do dia”, “No final do dia, damos um jeito e deixamos tudo em ordem”.

E se esse patrão chega na hora que o empregado não espera e encontra aquela baderna na sua casa? Que tristeza, que desapontamento, que descontentamento é você ter um empregado não só imprudente, mas incoerente! É o empregado traidor, ou seja, ele só faz as coisas para o patrão ver, sabendo que ele vai chegar. Não podemos levar a vida dessa forma.

Eu sei que alguns estão deixando para se converter no final da vida, mas o final da vida pode ser hoje. Alguns estão deixando para se confessar quando estiverem próximos de morrer, outros estão deixando… “Vou deixar de fazer esse pecado, esse erro mais para o final da vida”. Não, meus irmãos, o final da vida é sempre hoje! É assim que se pensa, é assim que vive o bom empregado.

Sermos prudentes é cuidarmos da vida agora, é estarmos preparados agora

O bom empregado é aquele que é fiel, é aquele que é prudente. Então, temos que ser o cristão fiel e prudente. Não basta sermos cristãos se não vivermos a fidelidade e a prudência da vida. Fidelidade a Deus em toda hora e a todo momento, fidelidade para com o Senhor apesar das nossas fraquezas e debilidades; levantar-se e não viver na hipocrisia, não viver na lama, mas viver a vigilância nos atos, nas atitudes, em tudo aquilo que fazemos.

Sermos prudentes é cuidarmos da vida agora, é estarmos preparados agora, cuidarmos do que temos que cuidar agora, e não deixarmos a vida bagunçar, não levar a vida de qualquer jeito.

Imagina se eu for visitar a sua casa agora, a esta hora: “O padre chegou… Desculpa, não estamos com a casa preparada”. Esteja, ao acordar, ao ir dormir.

Eu sempre digo que uma pessoa vive a vigilância da prudência quando a primeira atitude que ela faz ao levantar-se — além de rezar, é claro! — é dobrar a própria coberta da cama que ele dormiu. Quem não cuida, não dobra sua coberta logo cedo, não vai ordenar a vida durante o dia.

A vida, a casa, o quarto vai estar o dia todo bagunçado. “No final do dia, eu arrumo”. Se você não arrumou nem a sua cama, como é que vai arrumar o resto do coração e da vida? Então, comecemos cedo a colocar a casa em ordem, a vida em ordem, porque o Senhor pode vir de manhã, à tarde, ao meio-dia, não importa a hora, importa é que estejamos preparados.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: apoia.se/pocketterco
Estaremos preparados quando a morte vier?

Quantas vezes Deus nos permite experimentar que a morte vem muita vez sem aviso prévio, como um ladrão! Por isso diz Jesus: “Vigiai!” Precisamos estar prontos porque tudo depende do último momento, o momento da morte, o momento da prestação de contas. Quem disse que teremos tempo de nos arrepender? Sabemos às vezes estar em pecado, mas nos iludimos pensando: “Não, depois eu me confesso”. Ora, quem disse que teremos tempo de nos confessar, ou mesmo de fazer um ato de contrição? Ouçamos o que Nosso Senhor nos diz hoje: “Vigiai!”, porque não sabemos nem o dia nem a hora. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 26 de agosto, e medite conosco mais uma página do santo Evangelho!

https://youtu.be/0NjUhp5VHkw

Santo do dia 26/08/2021


Santa Maria de Jesus Crucificado (Memória Facultativa)
Local: Belém, Israel
Data: 26 de Agosto † 1878


Maria de Jesus Crucificado, também conhecida como Mariam Baouardy, nasceu em Abellin (Nazaré) em 5 de janeiro de 1846 em uma família greco-católica. Ela foi batizada com o nome de Maria.

Órfã aos dois anos de idade, foi adotada pelo tio com quem, em 1854, foi para Alexandria, no Egito. Sem que ela soubesse, ela cortou o cabelo para cancelar o casamento, despertando a ira de seus tios, que a confinaram aos criados. A um ex-servo que, sabendo da opressão que sofria de parentes, a convidou à recusa da fé, protestou imediatamente: “Sou filha da Igreja Católica, Apostólica, Romana”. A reação foi um golpe de cimitarra na garganta. Então, envolta sem vida em um lençol, ela foi abandonada na rua. Ela acordou em uma caverna, auxiliada por uma freira vestida de azul - Mariam disse que era a Virgem - que profetizou seu futuro. Curada, ela vagou por treze anos como empregada doméstica em Alexandria, Jerusalém e Beirute.

Em 1863 com a família Naggiar mudou-se para Marselha, onde sentiu o chamado à vida consagrada. Em 1865 ingressou nas Irmãs de São José da Aparição, que entretanto não o admitiram na profissão, assustadas com os fenômenos extraordinários que Mariam considerava uma doença: êxtases, visões e, a partir de 29 de março de 1867, os estigmas. No dia 14 de junho de 1867 entrou no Carmelo de Pau onde no dia 27 de julho vestiu o hábito com o nome de Maria de Jesus Crucificado. Em 1870 partiu para Mangalore para a fundação de um mosteiro, mas dois anos depois regressou a Pau por mal-entendidos que, juntamente com uma dolorosa infestação diabólica, constituíram a sua grande purificação.

Em 1872, Irmã Maria confidenciou às suas superiores que o Senhor queria um Carmelo em Belém: ela chegou lá em 11 de setembro de 1875 com a colaboração generosa de Berta Dartigaux. Arquiteta e gerente de construção, em 22 de agosto de 1878 ela caiu, fraturando o braço que ganhou gangrena. Em 26 de agosto morreu a santa. Foi beatificada por São João Paulo II em 13 de novembro de 1983 e no 17 de maio de 2015 na Basílica de São Pedro foi canonizada pelo Papa Francisco.

Fonte: causesanti.va