Nome: São Guntrano (Memória Facultativa)
Local: Châlon-sur-Saône, França
Data: 28 de Março † 593

São Guntrano era filho do Rei Clotário e neto de Clóvis I e Santa Clotilde. Sendo ele o segundo rebento - enquanto um dos irmãos, Cariberto, reinava em Paris, e o outro, Sigeberto, reinava na Austrásia, ao mesmo tempo que residia em Metz - Guntrano foi coroado Rei de Orléans e Borgonha em 561, fazendo de Chalons sua capital. Quando incitado a pegar em armas contra os ambiciosos irmãos e os lombardos, não tirou nenhum outro proveito de suas vitórias (sob a conduta de um bravo general chamado Mommol) senão trazer a paz aos seus domínios.

Apagou com lágrimas de arrependimento os crimes em que acabara se envolvendo pelos bárbaros costumes de seu país. A prosperidade do reino de S. Guntrano, tanto na paz quanto na guerra, condena aqueles que pensam que a politica humana não pode ser modelada segundo as máximas do Evangelho, quando na verdade nada mais pode tornar um governo tão próspero. Sempre tratou os pastores da Igreja com respeito e veneração. Era protetor dos oprimidos e adorável padrinho dos súditos. Dedicava a maior atenção ao cuidado dos doentes. Jejuava, orava, derramava lágrimas e oferecia-se a Deus dia e noite como uma vítima pronta para ser sacrificada no altar da Sua justiça, de modo a aplacar-lhe a ira, que o próprio Guntrano acreditava ter provocado e atraído sobre o povo inocente. Era um severo punidor dos crimes de seus oficiais e restringiu com excelentes regras a bárbara libertinagem de suas tropas; ao mesmo tempo, nenhum outro homem concedia tão facilmente seu perdão. Com magnificência monárquica, construiu e dotou de recursos muitas igrejas e mosteiros.

Este bom rei faleceu a 23 de março de 593, aos 68 anos de vida, tendo reinado 31 anos e alguns meses.

REFLEXÃO

Não há meio de salvação mais confiável que praticar a misericórdia, conforme o disse Nosso Senhor: "Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia" (Mt 5, 7).

BUTLER, Alban. Vida dos Santos: para todos os dias do ano. Dois Irmãos, RS: Minha Biblioteca Católica, 2021. 560 p. Tradução de: Emílio Costaguá. Adaptação: Equipe Pocket Terço.

Para mais terços, novenas e orações de vários santos, baixe o aplicativo Pocket Terço em seu Android ou iPhone.