Antífona de entrada

O Senhor descerá com esplendor, para visitar o seu povo na paz e fazê-lo viver a vida eterna.

Oração do dia

Despertai, Senhor, vosso poder e vinde, para que vossa proteção afaste os perigos a que nossos pecados nos expõem e a vossa salvação nos liberte. Vós que sois Deus como Pai, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Is 29, 17-24)


Leitura do Livro do Profeta Isaías


Assim fala o Senhor Deus: 17Dentro de pouco tempo, não se transformará o Líbano em jardim? E não poderá o jardim tornar-se floresta? 18Naquele dia, os surdos ouvirão as palavras do livro e os olhos dos cegos verão, no meio das trevas e das sombras. 19Os humildes aumentarão sua alegria no Senhor, e os mais pobres dos homens se rejubilarão no Santo de Israel; 20fracassou o prepotente, desapareceu o trapaceiro, e sucumbiram todos os malfeitores precoces, 21os que faziam os outros pecar por palavras, e armavam ciladas ao juiz à porta da cidade e atacavam o justo com palavras falsas. 22Isto diz o Senhor à casa de Jacó, ele que libertou Abraão: “Agora, Jacó não mais terá que envergonhar-se nem seu rosto terá que enrubescer; 23quando contemplarem as obras de minhas mãos, hão de honrar meu nome no meio do povo, honrarão o Santo de Jacó, e temerão o Deus de Israel; 24os homens de espírito inconstante conseguirão sabedoria e os maldizentes concordarão em aprender”.

Salmo Responsorial (Sl 26)


R.
O Senhor é minha luz e salvação.


— O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção da minha vida; perante quem eu tremerei? R.

— Ao Senhor eu peço apenas uma coisa, e é só isto que eu desejo: habitar no santuário do Senhor por toda a minha vida; saborear a suavidade do Senhor e contemplá-lo no seu templo. R.

— Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor! R.

 


Aclamação ao Evangelho

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Eis que virá o nosso Deus com poder e majestade, e ele há de iluminar os olhos dos seus servos! R.

Evangelho (Mt 9, 27-31)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 27partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando: “Tem piedade de nós, filho de Davi!” 28Quando Jesus entrou em casa, os cegos se aproximaram dele. Então Jesus perguntou-lhes: “Vós acreditais que eu posso fazer isso?”

Eles responderam: “Sim, Senhor”. 29Então Jesus tocou nos olhos deles, dizendo: “Faça-se conforme a vossa fé”. 30E os olhos deles se abriram. Jesus os advertiu severamente: “Tomai cuidado para que ninguém fique sabendo”. 31Mas eles saíram, e espalharam sua fama por toda aquela região.

Sobre as Oferendas

Acolhei, ó Deus, com bondade nossas humildes preces e oferendas, e, como não podemos invocar os nossos méritos, venha em nosso socorro a vossa misericórdia. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Esperamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo; ele transformará, segundo a sua condição gloriosa, a nossa humilde condição. (Fl 3, 20-21)

Depois da Comunhão

Alimentados pelo pão espiritual, nós vos suplicamos, ó Deus, que, pela participação nesta Eucaristia, nos ensineis a julgar com sabedoria os valores terrenos e colocar nossas esperanças nos bens eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 04/12/2020
Peçamos ao Senhor que nos ajude a enxergar a nossa vida

“Partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando: ‘Tem piedade de nós, filho de Davi!’”  (Mateus 9,27).

Aqui, temos duas coisas maravilhosas: Jesus seguindo o caminho do Reino dos Céus e dois cegos O seguiram. Mesmo cegamente, mesmo não enxergando como deveríamos enxergar, precisamos segui-Lo, precisamos ir atrás d’Ele. Esses cegos não só seguiram, mas clamaram e gritaram: “Senhor, tem piedade de nós”. Primeiro, eles manifestaram a sua fé, eles acreditavam que Jesus era o Senhor, o Messias e colocaram n’Ele a sua confiança.

"Senhor, tenha compaixão da nossa cegueira. Tenha compaixão porque não enxergamos. Tenha compaixão porque não vemos como devemos ver". A pergunta do Senhor é: “Vocês acreditam que posso fazer isso?”; eles respondem: “Sim, Senhor, nós cremos”.

Você crê que Jesus pode fazer você enxergar o que não está enxergando? Você crê que Jesus pode abrir os seus olhos para aquilo que eles não conseguem enxergar como precisam enxergar? Você realmente crê que Jesus pode abrir os seus olhos para você enxergar o seu coração, o que precisa ser mudado, transformado e direcionado? Você acredita que Jesus pode abrir os seus olhos para você parar de reparar a vida dos outros e reparar a sua própria vida? Você crê mesmo que Jesus pode abrir os seus olhos para você enxergar o seu interior, as coisas belas que há na sua alma, mas as coisas profundas que precisam ser mudadas, movidas e removidas?

O grande problema da vida é não se enxergar

Você crê mesmo que Jesus pode abrir os seus olhos para que você, de fato, enxergue os seus defeitos, fragilidades e vendo-as possa trabalhar cada uma delas com a misericórdia divina? Se você realmente crê, Jesus quer fazer você ver; se você crê Jesus quer que você enxergue aquilo que não está enxergando.

Boa parte da nossa vida passamos cegos, enxergando o que não precisamos enxergar, e não vendo o que precisamos, de fato, ver. Passamos boa parte da nossa vida sem nos conhecermos, sem sabermos quem somos, sem trabalharmos com profundidade, seriedade e serenidade o nosso próprio interior.

Já deu para ver que é mais fácil enxergar a vida dos outros, o problema dos outros, a dificuldades dos outros, o erro dos outros. Vemos sempre de uma forma muito superficial aquilo é o nosso próprio problema ou os nossos próprios pecados, erros e fragilidades.

O grande problema da vida é não se enxergar! Por isso, com toda a humildade que esses dois cegos tiveram clamando atrás de Jesus: “Piedade de nós, Senhor”, possamos dobrar os joelhos no chão e clamar: “Senhor, tem piedade de nós. Ajude-nos a enxergar aquilo que, de fato, não conseguimos ver”.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Sim, Deus se importa conosco!

É tempo de Advento, é a primeira sexta do mês. É tempo de preparar-se para a vinda do Senhor, é dia de meditar os segredos inexaustos de seu Sacratíssimo Coração. Na pessoa do Filho, Deus veio aos homens feito homem, para mostrar que, se por sua natureza eterna Ele nada pode sofrer, em sua natureza assunta Ele tudo irá padecer pela nossa salvação e para patentear, do presépio à cruz, o quanto lhe somos caros e muito queridos. Assista à homilia do Pe. Paulo Ricardo para esta sexta-feira, dia 4 de dezembro, e paguemos com amor o amor que Cristo manifestou por nós!




Santo do dia 04/12/2020

São João Damasceno

Lembramos São João Damasceno, um santo Padre e Doutor da Igreja de Cristo. Nasceu em 675, em Damasco (Síria) num período em que o Cristianismo tinha uma certa liberdade, tanto assim que o pai de João era muito cristão e amigo dos Sarracenos, que naquela época eram senhores do país. Esta estima estendia-se também ao filho. Os raros talentos e merecimentos deste levaram o Califa a distingui-lo com a sua confiança e nomeá-lo prefeito (mansur) de Damasco.

João Damasceno ainda jovem e ajudante do pai gozava de muitos privilégios financeiros, mas ao crescer no amor ao Cristo pobre, deu atenção a Palavra que mostra a dificuldade dos ricos (apegados) para entrarem no Reino dos Céus. Assim, num impulso para a santidade, renunciou todos os bens e deu aos pobres. Preferiu São João uma vida de maus tratos ao se entregar as "delícias venenosas" do pecado.

Retirou-se para um convento de São Sabas perto de Jerusalém e passou a viver na humildade, caridade e alegria. Escreveu inúmeras obras tratando de vários assuntos sobre teologia, dogmática, apologética e outros campos que fizeram de São João digno do título de Doutor da Igreja. Com escritos defendeu principalmente a Igreja contra os iconoclastas, que condenavam o uso de imagens nas Igrejas.

Certa vez, os hereges prenderam São João e cortaram-lhe a mão direita a fim de não mais escrever, mas por intervenção de Nossa Senhora foi curado. Seu amor a Mãe de Jesus foi tão concreto que foi São João quem tornou presente a doutrina sobre a Imaculada Conceição, Maternidade divina, Virgindade perpétua e Assunção de corpo e alma de Maria. Este filho predileto da Mãe faleceu em 749, quase centenário.

Foi declarado Doutor da Igreja pelo Papa Leão XIII em 1890.

São João Damasceno, rogai por nós!