Primeira Leitura (Is 29,17-24)

Leitura do Livro do Profeta Isaías.

Assim fala o Senhor Deus: 17Dentro de pouco tempo, não se transformará o Líbano em jardim? E não poderá o jardim tornar-se floresta? 18Naquele dia, os surdos ouvirão as palavras do livro e os olhos dos cegos verão, no meio das trevas e das sombras. 19Os humildes aumentarão sua alegria no Senhor, e os mais pobres dos homens se rejubilarão no Santo de Israel; 20fracassou o prepotente, desapareceu o trapaceiro, e sucumbiram todos os malfeitores precoces, 21os que faziam os outros pecar por palavras, e armavam ciladas ao juiz à porta da cidade e atacavam o justo com palavras falsas. 22Isto diz o Senhor à casa de Jacó, ele que libertou Abraão: “Agora, Jacó não mais terá que envergonhar-se nem seu rosto terá de enrubescer; 23quando contemplarem as obras de minhas mãos, hão de honrar meu nome no meio do povo, honrarão o Santo de Jacó, e temerão o Deus de Israel; 24os homens de espírito inconstante conseguirão sabedoria e os maldizentes concordarão em aprender”.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 26)


— O Senhor é minha luz e salvação.

— O Senhor é minha luz e salvação.

— O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu irei ter medo? O Senhor é a proteção da minha vida; perante quem eu tremerei?

— Ao Senhor eu peço apenas uma coisa, e é só isso que eu desejo: habitar no santuário do Senhor por toda a minha vida; saborear a suavidade do Senhor e contemplá-lo no seu templo.

— Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor!


Evangelho (Mt 9,27-31)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 27partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando: “Tem piedade de nós, filho de Davi!” 28Quando Jesus entrou em casa, os cegos se aproximaram dele. Então Jesus perguntou-lhes: “Vós acreditais que eu posso fazer isso?”

Eles responderam: “Sim, Senhor”. 29Então Jesus tocou nos olhos deles, dizendo: “Faça-se conforme a vossa fé”. 30E os olhos deles se abriram. Jesus os advertiu severamente: “Tomai cuidado para que ninguém fique sabendo”. 31Mas eles saíram, e espalharam sua fama por toda aquela região.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: A fé abre os nossos olhos

Então, Jesus tocou nos olhos deles, dizendo: ‘Faça-se conforme a vossa fé’. E os olhos deles se abriram” (Mateus 9,29-30).

No Evangelho de hoje, dois cegos estão gritando a Jesus: “Filho de Davi, tem piedade de nós, da nossa cegueira porque não enxergamos”. Diante dos clamores e da insistência dos dois cegos, é Jesus que se volta a eles e pergunta: “Vocês acreditam e têm fé de que eu posso realizar tal coisa?”. E responderam com toda a intensidade da alma e do coração: “Senhor, nós cremos e acreditamos”, e Jesus disse: “Que se realize aquilo que a vossa fé acredita”.

A fé abriu os olhos daqueles dois homens; é isso que a fé realiza em nós. A fé abre os nossos olhos para que possamos enxergar a Jesus. Muitas vezes, vivemos no mundo e enxergamos tudo: problemas, dificuldades, crises, defeitos dos outros, mas não vemos a Jesus; vemos os problemas, mas não vemos as luzes, não enxergamos a graça. E aqueles cegos sem ver fisicamente, eles "viram" que Jesus podia curá-los, com os olhos da alma, olhos da fé, eles enxergavam o que nós, com nossos dois olhos, muitas vezes, não enxergamos.

Não enxergamos a graça de Deus, por isso, a fé produz esta grande cura: abrir os nossos olhos para enxergarmos a Jesus. A fé precisa sempre, em primeiro lugar, abrir os nossos olhos.

Infelizmente, estamos com os nossos olhos fechados ou ofuscados pelas buscas dos prazeres, dos bens materiais, dos nossos interesses egoístas e individualistas e, quando enxergamos a Deus, O enxergamos para que Ele nos sirva, para que sacie os nossos interesses e desejos egoístas.

Muitas vezes, as pessoas me perguntam: “Padre, por que Deus não me escuta?”. Deus escuta aquele que O enxerga e não aquele que só enxerga a si mesmo, Deus escuta aqueles que O buscam para encontrá-Lo e não para satisfazerem os seus interesses e necessidades pessoais.


A fé produz esta grande cura: abrir os nossos olhos para enxergarmos a Jesus

Para esses dois cegos do Evangelho, bastava que Jesus abrisse os seus olhos para que pudessem enxergar mais além, para que pudessem ir mais a fundo, porque, no meio daquela multidão, muitos não viam a Jesus.

Estamos no meio de muitas multidões, a multidão que vai para lá e para cá no trânsito da vida; as multidões que estão nas redes virtuais; as multidões que andam pelos caminhos e pelas estradas as quais passamos.

Não podemos ser mais um no meio da multidão, precisamos, no meio dessa multidão, enxergar a luz, enxergar a Jesus e a graça. Por isso, a minha súplica hoje é: “Senhor, que eu veja. Senhor, tem piedade de mim porque eu sou cego; só vejo o meu umbigo e as minhas necessidades; e não enxergo nem o irmão que está ao meu lado nem vejo a dor e o sofrimento do outro. Não vejo a luz, a direção, a seta que o Senhor, tantas vezes, coloca nas estradas da minha vida”.

Senhor, eu sou cego, tem piedade de mim, que a fé abra os meus olhos, para que possa Te enxergar.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


O Advento do Coração de Jesus

Celebramos hoje a última primeira sexta-feira do ano civil, na qual recordamos, como de costume, o S. Coração de Nosso Senhor Jesus Cristo, enfocado neste tempo de Advento sob o prisma de sua santa e divina Encarnação. Mas o que significa, afinal, venerar o Coração de Cristo especialmente no tempo do Advento? Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta sexta-feira, dia 6 de dezembro, e medite conosco sobre o grande mistério do amor divino encarnado!





Santo do Dia:

São Nicolau - Sagrado Bispo de Mira

O santo deste dia é São Nicolau, muito amado pelos cristãos e alvo de inúmeras lendas. Filho de pais ricos com profunda vida de oração, nasceu Nicolau no ano 275 em Pátara, na Ásia Menor. Tornou-se sacerdote da diocese de Mira, onde com amor evangelizou os pagãos, mesmo no clima de perseguição que os cristãos viviam.

São Nicolau é conhecido principalmente para com os pobres, já que ao receber por herança uma grande quantia de dinheiro, livremente partilhou com os necessitados. Certa vez, Nicolau sabendo que três pobres moças não tinham os dotes para o casamento e por isso o próprio pai, na loucura, aconselhou a prostituição, jogou pela janela da casa das moças três bolsas com o dinheiro suficiente para os dotes das jovens. Daí que nos países do Norte da Europa, usando da fantasia, viram em Nicolau o velho de barbas brancas que levava presentes às crianças no mês de dezembro.

Sagrado Bispo de Mira, Nicolau conquistou a todos com sua caridade, zelo, espírito de oração  e carisma de milagres. Historiadores relatam que ao ser preso, por causa da perseguição dos cristãos, Nicolau foi torturado e condenado a morte, mas felizmente se salvou em 313, pois foi publicado o edito de Milão que concedia a liberdade religiosa.

São Nicolau participou do Concilio de Nicéia, onde Jesus foi declarado consubstancial ao Pai. Entrou Nicolau no Céu em 324 ao morrer em Mira com fama de santidade e de instrumento de Deus para que muitos milagres chegasse ao povo.

São Nicolau, rogai por nós!