Primeira Leitura (Jn 3,1-10)


Leitura da Profecia de Jonas.

1A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, pela segunda vez: 2“Levanta-te e põe-te a caminho da grande cidade de Nínive e anuncia-lhe a mensagem que eu te vou confiar”. 3Jonas pôs-se a caminho de Nínive, conforme a ordem do Senhor. Ora, Nínive era uma cidade muito grande; eram necessários três dias para ser atravessada. 4Jonas entrou na cidade, percorrendo o caminho de um dia; pregava ao povo, dizendo: “Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída”. 5Os ninivitas acreditaram em Deus; aceitaram fazer jejum, e vestiram sacos, desde o superior ao inferior. 6A pregação chegara aos ouvidos do rei de Nínive; ele levantou-se do trono e pôs de lado o manto real, vestiu-se de saco e sentou-se em cima de cinza. 7Em seguida, fez proclamar, em Nínive, como decreto do rei e dos príncipes: “Homens e animais bovinos e ovinos não provarão nada! Não comerão e não beberão água. 8Homens e animais se cobrirão de sacos, e os homens rezarão a Deus com força; cada um deve afastar-se do mau caminho e de suas práticas perversas. 9Deus talvez volte atrás, para perdoar-nos e aplacar sua ira, e assim não venhamos a perecer”. 10Vendo Deus as suas obras de conversão e que os ninivitas se afastavam do mau caminho, compadeceu-se e suspendeu o mal, que tinha ameaçado fazer-lhes, e não o fez.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 129)


— Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir?

— Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir?

— Das profundezas eu clamo a vós, Senhor, escutai a minha voz! Vossos ouvidos estejam bem atentos ao clamor da minha prece!

— Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir? Mas em vós se encontra o perdão, eu vos temo e em vós espero.

— Espere Israel pelo Senhor mais que o vigia pela aurora! Pois no Senhor se encontra toda graça e copiosa redenção. Ele vem libertar a Israel de toda a sua culpa.


Evangelho (Lc 10,38-42)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 38Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. 39Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava a sua palavra. 40Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres. Ela aproximou-se e disse: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha, com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!” 41O Senhor, porém, lhe respondeu: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. 42Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Precisamos dar a Deus o melhor do nosso tempo

Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava a sua palavra” (Lucas 10,39).

Hoje, estamos meditando a visita de Jesus à casa destas duas irmãs, Marta e Maria. Podemos contemplar, na nossa própria vida, Jesus nos visitando e presente no meio de nós, Jesus em nossa casa, em nossa família, a postura que temos para com o Senhor, porque a verdade é que o Senhor está no meio de nós.

Como nós nos portamos e nos comportamos diante da presença maravilhosa de Deus que veio nos visitar? Pode ser que a nossa atitude seja a mesma de Marta: ocupada, atarefada, não ignorando: “Deus está aqui, mas eu tenho muitas coisas importantes para fazer. Quando eu acabar, vou dar atenção a isso”.

A verdade é que fazemos assim com a nossa vida, esperamos ter tempo para dar tempo a Deus e escutá-Lo.

No mundo de ocupações em que vivemos, nos dias de hoje, o tempo não sobra. E o tempo que sobra nos consome pelo cansaço e por outras ocupações que achamos mais importantes.

O fato é que, raramente sobra tempo precioso. Deus não merece a nossa sobra, nem nós merecemos a sobra para dar a Deus, precisamos dar a Ele o melhor do nosso tempo e da nossa escuta.


Que tenhamos tempo para que Deus fale a nós e para que a nossa alma O escute em primeiro lugar

Jesus está dizendo que Maria escolheu a melhor parte: sentar-se aos pés do Senhor para escutar a Sua Palavra.

Precisamos sentar, e ‘sentar’ quer dizer acalmar, descer, não ficarmos em cima ocupados com a mente, com o coração, com as mãos, com as tarefas e obrigações. É o dever de sentar-se aos pés do Senhor para deixá-Lo falar, para que a sua Palavra, entre nós, penetre o nosso coração e faça a diferença na nossa vida.

No final da vida lamentaremos muito o tempo em que podíamos ter escutado o Senhor mas não O escutamos. Lamentaremos muito porque nos ocupamos com tantas coisas e não damos a Deus o dízimo do nosso tempo tão precioso e necessário não para Deus, e sim para a nossa própria vida.

Vamos ver que tudo que temos para realizar, a casa que temos de cuidar, os filhos que temos de criar, as responsabilidades do matrimônio, da vida profissional, seja ela qual for, terá mais sabor e sentido, e não cairemos em tantos abismos existenciais onde muitos estão sucumbindo porque não focam o seu tempo no essencial.

Que tenhamos tempo para que Deus fale a nós e para que a nossa alma escute a Deus em primeiro lugar.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Como bússolas desgovernadas
No fundo, no fundo, se formos sinceros com nós mesmos, não conseguimos aceitar que Jesus, num gesto aparentemente brusco e injusto, repreenda Marta por sua agitação na cozinha, ao mesmo tempo que elogia a “preguiça” piedosa de Maria, que, alheia às panelas, pouco se importa em deixar todo o trabalho de casa para a irmã. Afinal, por que Jesus repreende Marta, que tanto amor lhe mostra ao querer servi-lo com o melhor de sua cozinha? Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta terça-feira, dia 8 de outubro, e venha ser parte da nossa família!



Santo do Dia:

São Luis Beltran, obediente a voz do Senhor

Luis Beltran nasceu em Valência (Espanha) em 1526, e foi o tipo de jovem aventureiro, aberto aos desafios. Obediente a voz do Senhor, venceu a oposição do pai e ingressou na Ordem Dominicana para ser sacerdote.

Com passos largos em direção à santidade (tinha apenas 23 anos quando recebeu a ordenação sacerdotal), assumiu a importante função de mestre dos noviços, até que decidiu aventurar-se na evangelização do novo mundo. Na Colômbia, Luis Beltran muito se ocupou com a salvação das almas, sem descuidar de profetizar e denunciar as injustiças cometidas contra os indígenas e posteriormente contra os negros escravos.

O preço da conversão de milhares de indígenas espalhados por toda Colômbia foi o sofrimento promovido por exploradores espanhóis. Por duas vezes procuraram envenená-lo e em outras quatro ocasiões o assaltaram ameaçando-o de morte. São Luis não se deixou amedrontar e só voltou para a Espanha pela obediência aos superiores e com a intenção de melhor recrutar e formar apóstolos para a evangelização da América.

Este bondoso amigo de todos assumiu cargos de direção na Ordem Dominicana, exerceu com grande eficácia o ministério da pregação, chegando a operar inúmeras conversões e alcançar milagres. No ano de 1569 São Luis, já na Espanha como formador de futuros missionários, pôde partilhar com palavras o que viveu nas inúmeras missões. Ensinava que a arma mais eficaz na conversão das almas é uma intensa vida de oração e de muito sacrifício, e que a pregação necessita de ser acompanhada pelas boas obras, caso contrário, o mau exemplo destruiria de maneira fatal a proclamação da Boa Nova.

São Luis Beltran faleceu em Valência no ano de 1581, com 56 anos de idade. A tal ponto enriqueceu o povo e a Igreja com sua vivência missionária que o próprio pai, antes de morrer, declarou-lhe: “Meu filho, uma das coisas que mais me afligiu na vida foi ver-te frade, mas hoje, o que me consola é saber-te frade!”

São Luis Beltran, rogai por nós!