Primeira Leitura (Gn 41,55-57;42,5-7a.17-24a)


Leitura do Livro do Gênesis.

41,55Naqueles dias, todo o Egito começou a sentir fome, e o povo clamou ao Faraó, pedindo alimento. E ele respondeu-lhe: “Dirigi-vos a José e fazei o que ele vos disser”.

56Quando a fome se estendeu a todo o país, José abriu os celeiros e vendeu trigo aos egípcios, porque a fome também os oprimia. 57De todas as nações vinham ao Egito comprar alimento, pois a fome era dura em toda a terra.

42,5Os filhos de Israel entraram na terra do Egito com outros que também iam comprar trigo, pois havia fome em Canaã. 6José era governador na terra do Egito e, conforme a sua vontade, se vendia trigo à população.

Chegando os irmãos de José, prostraram-se diante dele com o rosto em terra. 7aAo ver seus irmãos, José os reconheceu. 17E mandou metê-los na prisão durante três dias. 18E, no terceiro dia, disse-lhes: “Fazei o que já vos disse e vivereis, pois eu temo a Deus. 19Se sois sinceros, fique um dos irmãos preso aqui no cárcere, e vós outros ide levar para vossas casas o trigo que comprastes. 20Mas trazei-me o vosso irmão mais novo, para que eu possa provar a verdade de vossas palavras, e não morrerdes”.

Eles fizeram como José lhes tinha dito. 21E diziam uns aos outros: “Sofremos justamente estas coisas, porque pecamos contra o nosso irmão: vimos a sua angústia quando nos pedia compaixão, e não o atendemos. É por isso que nos veio esta tribulação”.

22Rúben disse-lhes: “Não vos adverti dizendo: ‘Não pequeis contra o menino?’ E vós não me escutastes. E agora nos pedem conta do seu sangue”. 23Ora, eles não sabiam que José os entendia, pois lhes falava por meio de intérprete. 24aEntão, José afastou-se deles e chorou.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 32)


— Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos!

— Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos!

— Dai graças ao Senhor ao som da harpa, na lira de dez cordas celebrai-o! Cantai para o Senhor um canto novo, com arte sustentai a louvação!

— O Senhor desfaz os planos das nações e os projetos que os povos se propõem. Mas os desígnios do Senhor são para sempre, e os pensamentos que ele traz no coração, de geração em geração, vão perdurar.

— Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria.


Evangelho (Mt 10,1-7)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder de expulsar os espíritos maus e de curar todo tipo de doença e enfermidade. 2Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; 3Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; 4Simão, o Zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus.

5Jesus enviou estes Doze, com as seguintes recomendações: “Não deveis ir aonde moram os pagãos, nem entrar nas cidades dos samaritanos! 6Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Deus expulsa os espíritos malignos de nós

Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder de expulsar os espíritos maus e de curar todo tipo de doença e enfermidade” (Mateus 10,1).

Somos discípulos de Jesus e Ele quer que os seus discípulos tenham poder e autoridade. O problema é a confusão que se cria com o poder e a autoridade no mundo em que estamos, porque as pessoas confundem poder com se tornarem pessoas poderosas, melhores do que os outros. As pessoas confundem autoridade com autoritarismo, em mandar e desmandar nos outros. Esse poder e autoridade são mundanos, e não é eles que devem servir o seguidor de Jesus.

O poder que Jesus nos dá, é para expulsarmos os espíritos malignos, inclusive, estão agindo dentro de nós, levando-nos a querer ter sede de poder, de autoridade, vontade de sermos melhores que os outros, mandar nos outros.

Quando o poder de Deus age em nós, tornamo-nos humildes servidores, porque têm servidores orgulhosos, prepotentes, porque têm servidores que se dizem servos, mas são verdadeiros servidores do mal, porque deixam-se dominar pelos sentimentos malignos. O poder que Jesus nos dá é para expulsá-los primeiro de nós.

Alguns querem entender a Palavra, acham que é simplesmente realizar espetáculos, é expulsar demônios para cá e para lá. Mas os demônios estão agindo dentro da nossa própria vida.

Veja a força que o orgulho, a soberba e o egoísmo têm dentro da nossa alma. É uma força maligna, estamos sempre inquietos porque fomos contrariados, não suportamos o outro ser melhor do que nós, ter mais êxito do que nós, porque dentro de nós existe inveja, ciúmes. Vamos ignorar isso?

O poder de Deus é para expulsarmos esses espíritos que estão atormentando os nossos pensamentos; pensamentos do mal, pensamentos de maldade, pensar mal do outro, querer mal do outro. Queremos algo mais mundano e perverso do que isso?


O poder de Deus é para expulsarmos esses espíritos que estão atormentando os nossos pensamentos

Voltamos para o nosso coração irradiado de ressentimentos mal resolvidos, tomado por mágoas que não foram curadas e nem cicatrizadas. Cultivamos, muitas vezes, ódio e até vinganças mentais dentro de nós. O poder que Jesus quer nos dar é para expulsarmos de nós esses espíritos malignos e, do lugar onde estamos, os espíritos perversos, causadores de intrigas e confusões.

Eu fico impressionado como pessoas de Deus, que pregam e falam d’Ele são verdadeiros causadores de intrigas e perturbações onde estão. Expulse de você primeiro, para depois expulsar dos outros. Onde você está, você impregna um lugar de Deus, de paz, de amor, de ternura ou a sua presença é incômoda? Não incomoda porque o Evangelho causa incômodo, mas porque levamos junto de nós a perturbação do mal.

O poder que o Senhor nos dá é para expulsar o mal e, quando o expulsamos, somos curados. O espírito perverso provoca doenças emocionais, mentais, e o Senhor não nos quer emocionalmente doentes e enfermos. O Senhor quer nossas emoções sadias e curadas.

Como vamos ficar curados e sadios se não somos capazes de expulsar ou permitir que a Palavra expulse o mal que está dentro de nós?

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


A necessidade de ter bons pastores (Homilia Diária 1208)



Santo do Dia:

Santo Olavo, o santo rei da Noruega

Hoje a Igreja nos convida a contemplar a vida de Santo Olavo, o santo rei da Noruega.

Nascido em 995 numa família real, Olavo mostra-nos com sua vida que a santidade não escolhe profissão, nem posição social, pois ela não vêm sobre classes, mas sim em corações abertos à Graça de Cristo. Aconteceu que o jovem Olavo foi para a Inglaterra numa expedição e assim pôde conhecer Jesus, o Cristianismo e ser batizado, isto em 1014. Ao voltar para a casa, Olavo, que era herdeiro do trono, encontrou o falecimento do pai e usurpadores do reino.

Assim teve Olavo de assumir o trono e submeter os inimigos pelo combate. Quando esteve no poder, Santo Olavo buscou a santidade como rei; sem deixar de fazer de tudo para levar Deus aos súditos, por isso, procurou acabar com o paganismo, construir igrejas e trazer sacerdotes da Inglaterra para evangelizar seu povo. Todos os esforços de Olavo para submeter a Noruega ao Rei dos reis e Senhor dos senhores encontraram êxitos e barreiras, ao ponto do santo rei ter que ficar por um tempo exilado e ao voltar foi vítima de um conflito armado em 1030.

Santo Olavo, rogai por nós!