Apoiadores do Pocket Terço
Terço com imagens no Youtube
Reze os Mistérios Gozosos com imagens

Memória Facultativa

São Dâmaso I, Papa

Antífona de entrada

Vinde, Senhor, que estais acima dos querubins; mostrai-nos a vossa face e seremos salvos. (Sl 79, 4. 2)
Populus Sion, ecce Dóminus véniet ad salvándas gentes: et audítam fáciet Dóminus glóriam vocis suae, in laetítia cordis vestri. Ps. Qui regis Israel, inténde: qui dedúcis velut ovem Ioseph. (Cf. Is. 30, 19. 30; Ps. 79)
Vernáculo:
Povo de Sião, o Senhor vem para salvar as nações! E, na alegria do vosso coração, soará majestosa a sua voz. (Cf. MR: Is 30, 19. 30) Sl. Ó Pastor de Israel, prestai ouvidos. Vós, que a José apascentais qual um rebanho! (Cf. LH: Sl 79)

Oração do dia

Concedei-nos, ó Deus todo-poderoso, que desponte em nossos corações o esplendor da vossa glória, para que, vencidas as trevas do pecado, a vinda do vosso Unigênito revele que somos filhos da luz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Eclo 48, 1-4. 9-11)


Leitura do Livro do Eclesiástico


Naqueles dias, 1o profeta Elias surgiu como um fogo, e sua palavra queimava como uma tocha. 2Fez vir a fome sobre eles e, no seu zelo, reduziu-os a pouca gente. 3Pela palavra do Senhor fechou o céu e de lá fez cair fogo por três vezes. 4Ó Elias, como te tornaste glorioso por teus prodígios! Quem poderia gloriar-se de ser semelhante a ti?

9Tu foste arrebatado num turbilhão de fogo, num carro de cavalos também de fogo, 10tu, nas ameaças para os tempos futuros, foste designado para acalmar a ira do Senhor antes do furor, para reconduzir o coração do pai ao filho, e restabelecer as tribos de Jacó. 11Felizes os que te viram, e os que adormeceram na tua amizade!

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 79)


℟. Convertei-nos, ó Senhor, resplandecei a vossa face e nós seremos salvos!


— Ó Pastor de Israel, prestai ouvidos. Vós que sobre os querubins vos assentais. Despertai vosso poder, ó nosso Deus e vinde logo nos trazer a salvação! ℟.

— Voltai-vos para nós, Deus do universo! Olhai dos altos céus e observai. Visitai a vossa vinha e protegei-a! Foi a vossa mão direita que a plantou; protegei-a, e ao rebento que firmastes! ℟.

— Pousai a mão sobre o vosso Protegido, o filho do homem que escolhestes para vós! E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! ℟.

℟. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
℣. Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas! Toda carne há de ver a salvação que vem de Deus! (Lc 3, 4. 6) ℟.

Evangelho (Mt 17, 10-13)


℣. O Senhor esteja convosco.

℟. Ele está no meio de nós.


℣. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

℟. Glória a vós, Senhor.


Ao descerem do monte, 10os discípulos perguntaram a Jesus: “Por que os mestres da Lei dizem que Elias deve vir primeiro?” 11Jesus respondeu: “Elias vem e colocará tudo em ordem. 12Ora, eu vos digo: Elias já veio, mas eles não o reconheceram. Ao contrário, fizeram com ele tudo o que quiseram. Assim também o Filho do Homem será maltratado por eles”. 13Então os discípulos compreenderam que Jesus lhes falava de João Batista.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Antífona do Ofertório

Deus tu convértens vivificábis nos, et plebs tua laetábitur in te: osténde nobis, Dómine, misericórdiam tuam, et salutáre tuum da nobis. (Ps. 84, 7-8)


Vernáculo:
Não vireis restituir a nossa vida, para que em vós se rejubile o vosso povo? Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade, concedei-nos também vossa salvação! (Cf. LH: Sl 84, 7-8)

Sobre as Oferendas

Possamos, ó Pai, oferecer-vos sem cessar estes dons da nossa devoção, para que, ao celebrarmos o sacramento que nos destes, se realizem em nós as maravilhas da salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Eis que venho logo, diz o Senhor, e trago comigo a recompensa: darei a cada um segundo as suas obras. (Ap 22, 12)
Ierúsalem surge, et sta in excélso: et vide iucunditátem, quae véniet tibi a Deo tuo. (Bar. 5, 5; 4, 36; ℣. Ps. 147, 12. 13. 14. 15. 17. 18. 19. 20)
Vernáculo:
Levanta-te, Jerusalém, põe-te no alto e vê; vem a ti a alegria do teu Deus. (Cf. MR: Br 5, 5; 4, 36)

Depois da Comunhão

Imploramos, ó Pai, vossa clemência, para que estes sacramentos nos purifiquem dos pecados e nos preparem para as festas que se aproximam. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 11/12/2021
O temor que prepara a misericórdia

Só há amor e misericórdia para os que, tementes a Deus, preparam pela penitência e a mudança de vida os caminhos do Cristo que vem.

“Os discípulos perguntaram a Jesus: ‘Por que os mestres da Lei dizem que Elias deve vir primeiro?’” Esta questão é independente daquela consignada pelos evangelistas S. Mateus, no v. precedente, e S. Marcos (cf. Mc 9, 9). A pergunta dos Apóstolos: “Por que os mestres da Lei…” pode referir-se de dois modos ao episódio da Transfiguração: a) ou os Apóstolos não entendem por que Elias não aparecera antes, uma vez que o Senhor já se revelou em sua glória (assim interpretam Orígenes, S. Jerônimo etc.), como se dissessem: “Se já vieste em tua glória, por que o teu precursor não apareceu?”; b) ou o sentido da pergunta é: “Por que Elias desapareceu tão cedo, já que dele está escrito que preparará todas as coisas para a vinda de Cristo?” Que o profeta Elias virá antes de Cristo, atestam-no não somente os escribas, mas também a própria S. Escritura (cf. Ml 4, 5-6); mas os Apóstolos falam aqui como homens rudes e iletrados, que costumam atribuir tudo aos doutores ou pregadores (assim interpreta Maldonado).

“Jesus respondeu: ‘Elias vem e colocará tudo em ordem’ (gr. ‘ἀποκαταστήσει’ = instaurará, porá tudo em seu estado anterior), isto é, irá reconduzir os corações dos pais aos filhos e os dos filhos aos pais (cf. Ml 4, 5-6; Lc 1, 17) etc. Os SS. Padres e a maior parte dos intérpretes católicos sustentam que neste v. se fala da verdadeira aparição de Elias antes da segunda vinda de Cristo. — V. 12-13. Passa-se agora do segundo para o primeiro advento de Cristo. A ambas as vindas corresponde o seu próprio precursor e anunciador: a) à segunda, o profeta Elias, de quem se falou no v. precedente; b) à primeira, João Batista, que também é chamado Elias graças à semelhança de missão e espírito entre os dois: “João era Elias em espírito, mas não em pessoa” (S. Gregório Magno, Hom. in Ev., II, hom. 7). Elias, portanto, através do tipo que é João Batista, já veio e recebeu dos homens a mesma sorte que está à espera de Cristo: “Fizeram com ele tudo o que quiseram. Assim também o Filho do Homem será maltratado por eles”. — Os discípulos então compreenderam que era de João que lhes falava o Senhor.

De nada nos adiantará, pois, celebrar o Deus de amor e misericórdia se não tivermos feito experiência da nossa miséria e, portanto, da necessidade que temos do perdão divino.

O Evangelho de hoje, apresentando-nos a figura do Precursor, quer preparar-nos para a vinda de Cristo neste próximo Natal por meio da conversão e da penitência. Hoje se encerra o primeiro dos dois “ciclos temáticos” em que se articula o tempo do Advento: a partir da próxima segunda-feira, depois do Domingo Gaudete, a liturgia passará a centrar-se no mistério da Encarnação, preparado por outra “precursora”, a Virgem Maria; até agora, no entanto, as leituras da Missa, ao modo de preparação para a segunda parte do Advento, têm-se ocupado de temas como o Fim dos Tempos, o Juízo final e, consequentemente, o espírito de conversão e arrependimento que devemos suscitar em nossas almas para que o Senhor não nos surpreenda despreparados e indispostos para o receber no Natal. De nada nos adiantará, pois, celebrar o Deus de amor e misericórdia que se encarna e vem à luz na noite santa se, ao longo das últimas semanas, não tivermos feito experiência da nossa miséria, da feiúra do nosso pecado e, portanto, da necessidade que temos do perdão divino. Nesse sentido, a presença do Batista no Evangelho de hoje é um chamado a que aproveitemos o que nos resta de Advento para traçarmos os caminhos do Senhor e aplainarmos as suas veredas (cf. Mc 1, 3; Ml 3, 1; Is 40, 3), ou seja, para excitarmos em nosso espírito profundos sentimentos de dor e compunção pelos muitos pecados que levaram o Filho de Deus a se encarnar pela nossa salvação. — S. João Batista, rogai por nós!

Deus abençoe você!

Seja um apoiador!
Ajude-nos a manter o Pocket Terço: pocketterco.com.br/ajude

Santo do dia 11/12/2021

São Dâmaso

Ocupou a Sé de Roma de 366 a 384. Foi natural, ou pelo menos originário, da antiga Hispânia. O Livro Pontifical, não muito posterior, dá-o como hispanus. Seu pai e uma irmã ao menos, Santa Irene, viveram também em Roma. Lá, S. Dâmaso erigiu uma Basílica a S. Lourenço, que recebeu o cognome de in Damaso.

Viveu num período de grande agitação para a Igreja. No tempo de seu Pontificado, era Bispo de Milão o grande Santo Ambrósio e São Jerônimo punha sua formidável inteligência ao serviço da Igreja. São Dâmaso teve que enfrentar um cisma causado por um antipapa, isso no início do seu Pontificado. Infelizmente, esse não consistiu no único problema para Dâmaso, já que teve de combater o Arianismo, que negava a consubstancialidade de Cristo com o Pai. Sendo ele Papa, chegou quase a extinguir-se a heresia ariana. O Imperador Teodósio, se não encontrou nele um indomável mestre de moral como Santo Ambrósio, encontrou um Papa que afirmou sempre, com serena firmeza, a "autoridade da Sé Apostólica". Dâmaso fez de tudo pela unidade da Igreja, e para deixar claro o Primado do Papa, pois foi o próprio Cristo quem quis: "E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mt 16, 18).

O Papa Dâmaso esteve no II Concílio Ecumênico onde aconteceu a definição dogmática sobre a Divindade do Espírito Santo. Foi ele quem encarregou São Jerônimo na tradução da Bíblia da língua original para o latim, língua oficial da Igreja. Conhecido como o "Papa das Catacumbas", São Dâmaso foi responsável pela zelosa restauração das catacumbas dos mártires. Em Roma, conseguiu separar Estado e Paganismo. A sua obra foi paciente e oculta, mas não medíocre nem definhante. Soube ligar à Sé apostólica todas as Igrejas e obteve do poder civil o maior respeito.

São Dâmaso, o Papa mais notável do século IV, veio a falecer em 384. Na chamada Cripta dos Papas, por ele explorada nas Catacumbas de S. Calisto, no fim de uma longa inscrição, escreveu: "Aqui eu, Dâmaso, desejaria mandar sepultar os meus restos, mas tenho medo de perturbar as piedosas cinzas dos santos". Humildade e discrição de um Papa verdadeiramente santo, que de fato preparou para si a sepultura longe, num local solitário, à margem da Via Ardeatina.

São Dâmaso, rogai por nós!