Primeira Leitura (Is 42,1-4.6-7)


Leitura do Livro do profeta Isaías:

Assim fala o Senhor: 1”Eis o meu servo — eu o recebo; eis o meu eleito — nele se compraz minh’alma; pus meu espírito sobre ele, ele promoverá o julgamento das nações. 2Ele não clama nem levanta a voz, nem se faz ouvir pelas ruas.3Não quebra uma cana rachada nem apaga um pavio que ainda fumega; mas promoverá o julgamento para obter a verdade.4Não esmorecerá nem se deixará abater, enquanto não estabelecer a justiça na terra; os países distantes esperam seus ensinamentos. 6Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o centro de aliança do povo, luz das nações,7para abrires os olhos dos cegos, tirares os cativos da prisão, livrares do cárcere os que vivem nas trevas”.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 28)


— Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!

— Que o Senhor abençoe, com a paz, o seu povo!

— Filhos de Deus, tributai ao Senhor,/ tributai-lhe a glória e o poder!/ Dai-lhe a glória devida ao seu nome;/ adorai-o com santo ornamento!

— Eis a voz do Senhor sobre as águas,/ sua voz sobre as águas imensas!/ Eis a voz do Senhor com poder!/ Eis a voz do Senhor majestosa.

— Sua voz no trovão reboando!/ No seu templo os fiéis bradam: “Glória!”/ É o Senhor que domina os dilúvios,/ o Senhor reinará para sempre!


Segunda Leitura (At 10,34-38)


Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Naqueles dias,34Pedro tomou a palavra e disse: “De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção entre as pessoas.35Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença.

36Deus enviou sua palavra aos israelitas e lhes anunciou a Boa-Nova da paz, por meio de Jesus Cristo, que é o Senhor de todos. 37Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do batismo pregado por João:38como Jesus de Nazaré foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder. Ele andou por toda a parte, fazendo o bem e curando a todos os que estavam dominados pelo demônio; porque Deus estava com ele”.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Anúncio do Evangelho (Mt 3,13-17)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo,13Jesus veio da Galileia para o rio Jordão, a fim de se encontrar com João e ser batizado por ele. 14Mas João protestou, dizendo: “Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?”

15Jesus, porém, respondeu-lhe: “Por enquanto deixa como está, porque nós devemos cumprir toda a justiça!” E João concordou. 16Depois de ser batizado, Jesus saiu logo da água. Então o céu se abriu e Jesus viu o Espírito de Deus, descendo como pomba e vindo pousar sobre ele.

17E do céu veio uma voz que dizia: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus o meu agrado”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Tomemos consciência do nosso batismo

Depois de ser batizado, Jesus saiu logo da água. Então o céu se abriu e Jesus viu o Espírito de Deus, descendo como pomba e vindo pousar sobre ele. E do céu veio uma voz que dizia: “Este é o meu Filho amado, no qual eu pus o meu agrado(Mateus 3,16-17).

Celebramos hoje o batismo de Jesus. No batismo de Jesus, celebramos o nosso batismo porque todos nós somos batizados n’Ele.

Jesus desceu às águas do Jordão para pegar na mão de cada um de nós e também nos conduzir à água. Jesus não precisava ser batizado, mas Ele foi para nos levar, para nos conduzir às águas batismais.

Ao mesmo tempo, o batismo imprimiu na vida de Jesus a sua missão. Ele mesmo recebeu o Espírito e por isso o Céu se abriu e Ele viu o Espírito em forma de pomba descer sobre Ele para realmente selar, marcar, concretizar que o Espírito de Deus estava sobre Ele. O Espírito Santo queria conduzi-Lo na sua missão e, ao mesmo tempo, à voz do Pai. “Esse é o meu Filho amado, onde coloquei o meu agrado, a minha unção, onde a graça está sobre Ele”.

Em nosso batismo, precisamos deixar ressoar aquilo que Jesus ouviu com todo o ardor do seu coração. Sobre nós repousa o Espírito de Deus que desceu e desce quando vivemos como batizados, quando assumimos a nossa consagração, quando nos deixamos realmente sermos guiados, conduzidos e direcionados pelo Espírito.

Muitas vezes não sabemos nem a data do nosso batismo, não tomamos consciência da importância desse dia

Batizados em Jesus precisamos ser cheios do Espírito Santo, renascidos nas águas batismais na qual Jesus nos conduziu.

Quando vivemos cheios do Espírito, podemos ter a certeza que o Pai está exclamando: “Esse é meu filho amado. Esse é o filho que faz a minha vontade. Esse é o meu filho que se deixa conduzir pelo Espírito”.

Permitamos que o Pai se alegre como se alegrou no seu Filho Jesus que recebeu a unção e estamos ungidos em Cristo, então sejamos cristãos.

Cada cristão é um Cristo neste mundo, ungido e enviado pela graça para cumprir a missão do Pai. Tomemos hoje consciência do nosso batismo.

Queria fazer um convite muito especial: na igreja que você for hoje, a igreja em que você participar, visite o batistério, ore naquele batistério onde um dia você também foi batizado e, se possível, procure um dia conhecer o batistério da igreja que você foi batizado, renove a sua entrega e a sua consagração.

Muitas vezes não sabemos nem a data do nosso batismo, não tomamos consciência da importância desse dia na nossa própria vida. Retomemos hoje a graça batismal que um dia Deus nos deu, a graça de sermos ungidos do Espírito e sermos filhos amados do Pai para sermos bons cristãos no mundo onde estamos.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Por que Jesus Cristo quis ser batizado?

Sendo a própria plenitude da graça, Nosso Senhor Jesus Cristo não precisava ser batizado. No entanto, Ele assim o quis tendo em vista o nosso batismo. Não foram as águas batismais que santificaram Cristo, mas Ele que as santificou, a fim de que, por meio delas, pudéssemos receber a filiação divina. Deste modo, a partir do batismo, podemos recorrer a Deus como Pai, mas também a Maria como mãe, que zela e intercede por nós, a fim de que sejamos fiéis à fé que recebemos da Igreja.





Santo do Dia:

São Bernardo, modelo de vida na pobreza

O santo de hoje nasceu no ano de 1605 em Corleone, Sicília, na Itália. Como é belo poder perceber o testemunho de hoje! Como a misericórdia de Deus fez maravilhas a partir do arrependimento!

São Bernardo foi crescendo numa vida longe do relacionamento com Deus e com a Igreja. Logo, distante de si e do amor aos irmãos, o orgulho foi tomando conta do seu coração. Então, decidiu entrar para a vida militar; não para servir a sociedade, mas para dominá-la. De fato, ele estava longe de Deus. Resultado: numa das muitas discussões que viraram briga, ele acabou num duelo, ferindo de morte um companheiro seu da vida militar. Foi neste momento trágico de sua história que ele abriu o coração para Deus, pois sua consciência foi pesando. Embora ele tenha fugido e recorrido a um chamado “direito de asilo”, não foi preso, mas estava preso a uma vida de pecado. Quem poderia resgatá-lo? Nosso Senhor Jesus Cristo, o Verbo encarnado que veio nos assumir na nossa fragilidade e nos revelar este amor que redime, que salva e é a nossa esperança.

Assim, arrependeu-se e começou a busca de uma vida em Deus, uma vida de Igreja, sacramental. Discerniu um chamado à vida religiosa, buscou a família franciscana e ali tornou-se irmão religioso, fiel às regras. De fato, se antes expressava arrogância, agora comunicava paz, penitência, luta contra o pecado.

Ele foi se santificando também no serviço ao próximo. "Santidade sem serviço aos outros pode ser apenas um ideal, mas, no concreto, esta luta, este bom combate é para sermos melhores em Deus, melhores uns para os outros".

Religioso, capuchinho, modelo de vida na pobreza, na castidade e na obediência. Este santo do século XVII nos convida, neste novo milênio, a sermos sinais no poder que a misericórdia divina tem de, com a nossa ajuda e nosso sim, fazer-nos santos.

São Bernardo, rogai por nós!