Primeira Leitura (1Sm 1,1-8)


Início do Primeiro Livro de Samuel.

1Havia um homem sufita, oriundo de Ramá, no monte Efraim, que se chamava Elcana, filho de Joroam, filho de Eliú, filho de Tou, filho de Suf, efrainita. 2Elcana tinha duas mulheres; uma chamava-se Ana e a outra Fenena. Fenena tinha filhos; Ana, porém, não tinha. 3Todos os anos, esse homem subia da sua cidade para adorar e oferecer sacrifícios ao Senhor todo-poderoso, em Silo.

Os dois filhos de Heli, Ofni e Finéias, eram sacerdotes do Senhor naquele santuário. 4Quando oferecia sacrifício, Elcana dava à sua mulher Fenena e a todos os seus filhos e filhas as porções que lhes cabiam. 5A Ana, embora a amasse, dava apenas uma porção escolhida, pois o Senhor a tinha deixado estéril.

6Sua rival também a magoava e atormentava, humilhando-a pelo fato de o Senhor a ter tornado estéril. 7E isso acontecia todos os anos. Sempre que subiam à casa do Senhor, ela a provocava do mesmo modo. E Ana chorava e não comia. 8Então, Elcana, seu marido, lhe disse: “Ana, por que estás chorando e não te alimentas? E por que se aflige o teu coração? Acaso não sou eu melhor para ti do que dez filhos?”


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 115)


— Oferto ao Senhor um sacrifício de louvor.

— Oferto ao Senhor um sacrifício de louvor.

— Que poderei retribuir ao Senhor Deus por tudo aquilo que ele fez em meu favor? Elevo o cálice da minha salvação, invocando o nome santo do Senhor.

— Vou cumprir minhas promessas ao Senhor na presença de seu povo reunido. Por isso oferto um sacrifício de louvor, invocando o nome santo do Senhor.

— Vou cumprir minhas promessas ao Senhor na presença de seu povo reunido; nos átrios da casa do Senhor, em teu meio, ó cidade de Sião!


Evangelho (Mc 1,14-20)


— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

14Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galileia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo: 15“O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos, e crede no Evangelho!”

16E, passando à beira do mar da Galileia, Jesus viu Simão e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. 17Jesus lhes disse: “Segui-me e eu farei de vós pescadores de homens”. 18E eles, deixando imediatamente as redes, seguiram a Jesus. 19Caminhando mais um pouco, viu também Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca, consertando as redes; 20e logo os chamou. Eles deixaram seu pai Zebedeu na barca com os empregados, e partiram, seguindo Jesus.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: A conversão é a exigência para seguir Jesus

Jesus foi para a Galileia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo: ’O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos, e crede no Evangelho!’” (Marcos 1,14).

Ressoa em nossos ouvidos, em nossos corações, nos dias e nos tempos atuais, o mesmo chamado de Jesus, a mesma exclamação de Jesus ao redor da Galileia.

O tempo se completou, o Reino de Deus está próximo, precisamos ir ao encontro do Reino. Saia da casa, do lar, de onde quer que você esteja para encontrar o Reino de Deus.

Próximo está, falta agora nos aproximarmos para entrarmos nele, e é importante nos convertermos. Converter quer dizer mudar as atitudes, os comportamentos, os sentimentos, ter atitudes de pessoas convertidas, porque muitos dizem: “Já sou convertido. Já sou da Igreja. Nasci na Igreja. Estudei na escola de padres a vida toda”.

Muitas vezes, em vez de progredirmos na conversão, regredimos na mentalidade mundana. O mundo vai entrando em nós, vai nos desanimando e vamos perdendo o alento e o censo da conversão, que é diário.

Um seguidor de Cristo não passa um dia sem se converter, sem O deixar converter a sua mentalidade, sem O deixar direcionar a sua vida. Um seguidor de Cristo não passa a vida sem crer no Evangelho, sem “beber” do Evangelho, sem deixar que sua vida seja iluminada pelo Evangelho de Cristo, que nos converte a cada dia.


Muitas vezes, em vez de progredirmos na conversão, regredimos na mentalidade mundana

É por isso que Jesus disse: “Segui-me e eu farei de vós pescadores”. Cristo volta o seu olhar para nós pecadores para nos fazer pescadores; sermos pescados por Jesus para pescarmos outros homens para que sejam também d'Ele.

Não se engane nem se iluda, porque o mundo também nos pesca. Muitos homens de Deus foram pescados de volta para o mundo, muitas pessoas que eram de Deus, do caminho d'Ele, por diversos motivos, deixaram o caminho do Senhor.

Peçamos a Deus a graça da perseverança, pois só é possível perseverar em Deus se aceitamos nos converter a cada dia. A conversão é a exigência para seguir Jesus, por isso queremos segui-Lo nos convertendo a cada dia ao Evangelho.

Queremos nos voltar com mais intensidade ao Evangelho, medita-lo, ouvi-lo, guardá-lo, praticá-lo na nossa vida a cada dia.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Evangelho não é “marketing”

O Evangelho com que se abrem, neste início do Tempo Comum, os princípios da pregação de Cristo nos põe diante dos olhos dois pontos de capital importância. A primeira é que o Evangelho, para ser crido, precisa antes de corações convertidos: ele é uma boa-nova que só é boa para os que renovam suas vidas renunciando ao pecado. A segunda é que o Evangelho, para ser bem pregado, tem de ser pregado inteiro, e não por partes: ele é uma verdade que jamais pode surtir efeito se o quisermos “defender” com nossas mentiras ou dele fazer uma peça publicitária, semelhante à primeira propaganda enganosa que houve no mundo, que foi a mentira da serpente. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta segunda-feira, dia 13 de janeiro, e não deixe de acompanhar nossas pregações diárias durante todo o Tempo Comum do ano litúrgico de 2020!





Santo do Dia:

Santo Hilário de Poitiers, combateu o Arianismo do Oriente

Um dos santos padres da Igreja de Cristo, ele nasceu no ano de 315, em Poitiers, na França. Buscava a felicidade; mas sua família, pagã, vivia segundo a filosofia hedonista, ligada ao povo grego-romano; ou seja, felicidade como sinônimo de prazeres, com puro bem-estar. Então, aquele jovem dado aos estudos, se perguntava quanto ao fim último do ser humano; não podia acabar tudo ali com a morte; foi perseguindo a verdade.

O Espírito Santo foi agindo até ele conhecer as Sagradas Escrituras. O Antigo Testamento o levou proclamar o Deus uno, que merece toda a adoração. Passando para o Novo Testamento, Santo Hilário foi evangelizado e, numa busca constante, ele se viu necessitado do santo batismo, entrar para Igreja de Cristo e se fazer membro deste Corpo Místico. Em 345, foi batizado. Não demorou muito já era sacerdote e, depois, ordenado bispo para o povo de Poitiers.

Ele sofria com as heresias do arianismo. Santo Hilário, pela sua pregação e seus escritos, foi chamado "O Atanásio do Ocidente", porque ele combateu o Arianismo do Oriente. No tempo em que o imperador Constâncio começou a apoiar esta heresia, Santo Hilário não teve medo das autoridades. Se era para o bem do povo, ele anunciava com ousadia até ser exilado, mas não deixou de evangelizar nem mesmo na cadeia. Por conselho, o próprio imperador o assumiu de volta em 360, porque os conselheiros sabiam da grande influência desse santo bispo que não ficava apenas em Poitiers, mas percorria toda a França.

Ele voltou, convocou um Concílio em Paris, participou de tantos outros conselhos no ocidente, mas sempre defendendo essa verdade que é Jesus Cristo, verdadeiro Deus, verdadeiro homem.

Santo Hilário de Poitiers foi se consumindo por essa verdade. Pelos seus escritos que chegam até o tempo de hoje, percebe-se este amor por Jesus Cristo. Não só numa busca pessoal, mas de promover a salvação dos outros. No século IV, ele partiu para a glória.

Santo Hilário de Poitiers, rogai por nós!