Primeira Leitura (Sb 6,1-11)


Leitura do Livro da Sabedoria.

1Escutai, ó reis, e compreendei. Instruí-vos, governadores dos confins da terra! 2Prestai atenção, vós que dominais as multidões e vos orgulhais do número dos vossos súditos. 3Pois o poder vos foi dado pelo Senhor e a soberania pelo Altíssimo.

É ele quem examinará as vossas obras e sondará as vossas intenções; 4apesar de estardes a serviço do seu reino, não julgastes com retidão, nem observastes a Lei, nem procedestes conforme a vontade de Deus. 5Por isso, ele cairá de repente sobre vós, de modo terrível, porque um julgamento implacável será feito sobre os poderosos.

6O pequeno pode ser perdoado por misericórdia, mas os poderosos serão examinados com poder. 7O Senhor de todos não recuará diante de ninguém nem se deixará impressionar pela grandeza, porque o pequeno e o grande foi ele quem os fez, e a sua providência é a mesma para com todos; 8mas para os poderosos, o julgamento será severo. 9A vós, pois, governantes, dirigem-se as minhas palavras, para que aprendais a sabedoria e não venhais a tropeçar. 10Os que observam fielmente as coisas santas serão justificados; e os que as aprenderem vão encontrar sua defesa. 11Portanto, desejai ardentemente minhas palavras, amai-as e sereis instruídos.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 81)


— Levantai-vos, ó Senhor, julgai a terra!

— Levantai-vos, ó Senhor, julgai a terra!

— Fazei justiça aos indefesos e aos órfãos, ao pobre e ao humilde absolvei! Libertai o oprimido, o infeliz, da mão dos opressores arrancai-os!

— Eu disse: “Ó juízes, vós sois deuses, sois filhos, todos vós, do Deus Altíssimo! E, contudo, como homens morrereis, caireis como qualquer dos poderosos!”


Evangelho (Lc 17,11-19)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

11Aconteceu que, caminhando para Jerusalém, Jesus passava entre a Samaria e a Galileia. 12Quando estava para entrar num povoado, dez leprosos vieram a seu encontro. Pararam à distância, 13e gritaram: “Jesus, Mestre, tem compaixão de nós!” 14Ao vê-los, Jesus disse: “Ide apresentar-vos aos sacerdotes”.

Enquanto caminhavam, aconteceu que ficaram curados. 15Um deles, ao perceber que estava curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; 16atirou-se aos pés de Jesus, com o rosto por terra, e lhe agradeceu. E este era um samaritano.

17Então Jesus lhe perguntou: “Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão? 18Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro?” 19E disse-lhe: “Levanta-te e vai! Tua fé te salvou”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: O coração humilde é agradecido por tudo

Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro?” (Lucas 17,17).

Foram dez leprosos que se aproximaram de Jesus e foram curados por Ele, mas só um foi verdadeiramente liberto.

A cura de Deus em nós só é plena quando temos, de fato, um coração agradecido, que louva, bendiz, agradece e reconhece.

Um coração orgulhoso e soberbo vai apenas em busca do que o satisfaz, o realiza e nunca está satisfeito com o que tem. Em compensação, o coração humilde é agradecido por tudo e sabe reconhecer em cada coisa a bondade e o amor misericordioso de Deus que cuida de nós.

Mesmo estando em sofrimento e passando por tantas tribulações, reconhecemos que Deus está ao nosso lado, mas não podemos pedir a Deus outra coisa a não ser que nos conceda um coração agradecido, que seja grato, um coração que O louve, O bendiga e O reconheça a cada dia da nossa vida.


O coração humilde é agradecido por tudo e sabe reconhecer em cada coisa a bondade de Deus

Na minha oração tudo o que eu procuro é agradecer, louvar, bendizer e glorificar a Deus. Não sou de muitas petições, eu até peço pelos outros, por aqueles que recomendam as minhas orações. Eu até suplico pelos doentes e enfermos, mas eu peço muito pouco por mim e se posso pedir algo para Deus é que me dê um coração agradecido, porque eu sei que todos os dias, Deus cuida das lepras do meu coração.

Todos os dias Deus cuida das lepras do nosso coração, das impurezas da nossa alma. Deus cuida daquilo que, muitas vezes, não sabemos cuidar bem em nós.

Só podemos ter um coração que louva, bendiz, agradece, reconhece, adora e glorifica ao Deus da nossa vida. Eu peço do fundo da minha alma: “Senhor, dê-me um coração que te louva, que dê glórias ao seu nome. Dê-me um coração que seja realmente salvo e curado para ir adiante, um coração que reconheça a minha pequenez e a grandeza de um Deus que cuida de mim”.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Quantos serão os agradecidos?
O Evangelho de hoje, exclusivo de S. Lucas, fala-nos de dez leprosos curados por Jesus, dos quais só um voltou para agradecer-lhe. Neste episódio, temos como que resumido o que é a humanidade: todos recebemos de Deus inúmeros benefícios temporais, mas são poucos não só os agradecidos, mas os que o glorificam na fé como Salvador. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quarta-feira, dia 13 de novembro, e corramos atrás dos outros leprosos, para que também eles vejam que, muito mais do que saúde física, a fé em Cristo lhes dará a salvação eterna.



Santo do Dia:

Santo Estanislau Kostka

O santo, que lembramos com muito carinho neste dia, nasceu na nobre e influente família dos Kostka, a qual possuía uma sólida vida de piedade familiar. Nasceu no castelo de Rostkow, na vila de Prasnitz (Polônia), a 28 de outubro de 1550. Nesse ambiente é que Estanislau cresceu na amizade e intimidade com Cristo.

Quando tinha 14 anos foi estudar em Viena, juntamente com seu irmão mais velho, Paulo. Devido a uma ordem do Imperador Maximiliano I, o internato jesuíta onde estudavam foi fechado, sobrando como refúgio o castelo de um príncipe luterano, que com Paulo, promoveu o calvário doméstico de Estanislau. Em resposta às agressões do irmão, que também eram físicas, e as tentações da corte, o santo e penitente menino permanecia firme em seus propósitos cristãos: “Eu nasci para as coisas eternas e não para as coisas do mundo”.

Diante da pressão sofrida, a saúde de Estanislau cedeu, e ao pedir que providenciassem um sacerdote para que pudesse comungar o Corpo de Cristo, recebeu a negativa dos homens, mas não a de Deus. Santa Bárbara apareceu-lhe, na companhia de anjos, portando Jesus Eucarístico e, em seguida, trazendo-lhe a saúde física, surgiu a Virgem Maria com o Menino Jesus.

Depois desse fato o jovem discerniu sua vocação à vida religiosa como jesuíta, por isso enfrentou familiares e, ousadamente, fugiu sozinho, a pé, e foi parar na Companhia de Jesus. Acolhido pelo Provincial que o ouviu e se encantou com sua história, com somente 18 anos de idade, viveu apenas 9 meses no Noviciado, porque adquiriu uma misteriosa febre e antes de morrer os sacerdotes ouviram do seus lábios sorridentes dizerem: “Maria veio buscar-me, acompanhada de virgens para me levar consigo”.

Santo Estanislau Kostka , rogai por nós!