Primeira Leitura (Dt 30,10-14)


Leitura do Livro do Deuteronômio:

Moisés falou ao povo, dizendo: 10Ouve a voz do Senhor, teu Deus, e observa todos os seus mandamentos e preceitos, que estão escritos nesta lei. Converte-te para o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma.

11Na verdade, este mandamento que hoje te dou não é difícil demais, nem está fora do teu alcance. 12Não está no céu, para que possas dizer: ‘Quem subirá ao céu por nós para apanhá-lo? Quem no-lo ensinará para que o possamos cumprir?’

13Nem está do outro lado do mar, para que possas alegar: ‘Quem atravessará o mar por nós para apanhá-lo? Quem no-lo ensinará para que o possamos cumprir?’

14Ao contrário, esta palavra está bem ao teu alcance, está em tua boca e em teu coração, para que a possas cumprir.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Sl 18B)


— Os preceitos do Senhor são precisos, alegria ao coração.

— Os preceitos do Senhor são precisos, alegria ao coração.

— A lei do Senhor Deus é perfeita,/ conforto para a alma!/ O testemunho do Senhor é fiel,/ sabedoria dos humildes.

— Os preceitos do Senhor são precisos,/ alegria ao coração./ O mandamento do Senhor é brilhante,/ para os olhos é uma luz.

— É puro o temor do Senhor,/ imutável para sempre./ Os julgamentos do Senhor são corretos/ e justos igualmente.

— Mais desejáveis do que o ouro são eles,/ do que o ouro refinado./ Suas palavras são mais doces que o mel,/ que o mel que sai dos favos.



Responsório (Sl 68)


— Humildes, vede isto e alegrai-vos!

— Humildes, vede isto e alegrai-vos!

— Por isso elevo para vós minha oração,/ neste tempo favorável, Senhor Deus!/ Respondei-me pelo vosso imenso amor,/ pela vossa salvação que nunca falha!/ Senhor, ouvi-me pois suave é vossa graça,/ ponde os olhos sobre mim com grande amor!

— Pobre de mim, sou infeliz e sofredor!/ Que vosso auxílio me levante, Senhor Deus!/ Cantando eu louvarei o vosso nome/ e agradecido exultarei de alegria!

— Humildes, vede isto e alegrai-vos:/ o vosso coração reviverá,/ se procurardes o Senhor continuamente!/ Pois nosso Deus atende à prece dos seus pobres,/ e não despreza o clamor de seus cativos.

— Sim, Deus virá e salvará Jerusalém,/ reconstruindo as cidades de Judá./ A descendência de seus servos há de herdá-las,/ e os que amam o santo nome do Senhor/ dentro delas fixarão sua morada!




Segunda Leitura (Cl 1,15-20)


Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses:

15Cristo é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, 16pois, por causa dele, foram criadas todas as coisas, no céu e na terra, as visíveis e as invisíveis, tronos e dominações, soberanias e poderes. Tudo foi criado por meio dele e para ele. 17Ele existe antes de todas as coisas e todas têm nele a sua consistência.

18Ele é a Cabeça do corpo, isto é, da Igreja. Ele é o Princípio, o Primogênito dentre os mortos; de sorte que em tudo ele tem a primazia, 19porque Deus quis habitar nele com toda a sua plenitude 20e por ele reconciliar consigo todos os seres, os que estão na terra e no céu, realizando a paz pelo sangue da sua cruz.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Anúncio do Evangelho (Lc 10,25-37)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 25um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?”

26Jesus lhe disse: “O que está escrito na Lei? Como lês?” 27Ele então respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e ao teu próximo como a ti mesmo!”

28Jesus lhe disse: “Tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás”.

29Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?”30Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora, deixando-o quase morto.

31Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. 32O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado.

33Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. 34Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele. 35No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: ‘Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais’”.

E Jesus perguntou:  36“Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” 37Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Usemos de misericórdia para com todos

“E Jesus perguntou: ‘Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?’ Ele respondeu: ‘Aquele que usou de misericórdia para com ele’. Então Jesus lhe disse: ‘Vai e faze a mesma coisa’” (Lucas 10,36-37).

O exemplo maravilhoso, que o Evangelho de hoje nos dá, é para responder uma das questões mais importantes da vida humana: “quem é o nosso próximo?”. Temos o sentido de proximidade na língua portuguesa, as pessoas que são próximas a nós, quem vive conosco, quem mora conosco, aquele que compartilha o mesmo leito que você, os filhos que você gerou, os amigos que você tem intimidade.

Muitas vezes, até confundimos intimidade com proximidade. Evangelicalmente falando, próximo é aquele que nós permitimos nos aproximar de nós e que nós levamos a Ele a graça do Evangelho.

A verdade é que têm pessoas que moram conosco, mas estão distante de nós, porque criamos barreiras que nos distanciam; são ressentimentos, mágoas, situações mal resolvidas. A verdade é que as pessoas estão cada vez mais distantes. E, se levarmos em conta aqueles que estão à beira do caminho, esses é que estão cada vez mais distantes de nós.

O Evangelho veio para aproximar as pessoas de Deus e aproximar os irmãos uns dos outros. A religião de Jesus é a que aproxima, e não a que distancia.

Podemos ser como os sacerdotes muito ocupados com as coisas de Deus, muito ocupados em falar d'Ele, mas não criarmos relação de proximidade uns com os outros. Sempre passamos adiante porque estamos apressados, temos muitas orações para fazer, temos práticas de piedade para cumprir. Temos uma lista grande de compromissos religiosos, as nossas obrigações de casa, as nossas tarefas, os nossos afazeres.

Podemos ser, também, como os levitas, legalistas, pessoas da lei tão preocupadas em fazer as leis se cumprirem, inclusive, as leis religiosas. Estou vendo as pessoas brigarem por causa de dogmas, crenças e opiniões e, essas brigas, em vez de aproximar, só distanciam mais as pessoas. Pois estão criando muros no meio de nós para que fiquemos cada vez mais distantes. Pessoas que creem no mesmo Cristo não se falam, não comungam, não podem sentar a mesma mesa.

Um homem que foi separado da religião judaica, um samaritano, foi ele que parou para cuidar do seu próximo, ele deu atenção, cuidou das feridas, cuidou de tudo aquilo que aquele homem estava sofrendo e passando.

Jesus se aproximou de nós para que nos aproximemos uns dos outros, para que cuidemos daqueles que estão feridos e machucados. Inclusive, estamos feridos e machucados, e, o Senhor, veio curar as nossas feridas, então, precisamos fazer o mesmo.

Não é falar de misericórdia, e sim agir com misericórdia, começando com aqueles que estão próximos de nós mas que as circunstâncias tornaram distante; todos aqueles que estão às margens da vida, marginalizados pelas situações da vida, eles precisam estar próximo de nós. Precisamos usar de misericórdia para com todos, porque foi com misericórdia que o Senhor nos tratou. E é com misericórdia que podemos salvar o mundo e nos aproximarmos uns dos outros, porque só assim estaremos próximos do Reino dos Céus.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


O amor que devemos a todos os homens (Homilia Dominical 461)



Santo do Dia:

São Camilo de Léllis, servia a Cristo na pessoa do doente

Nasceu no ano de 1550 na Itália. Filho de pai militar, também seguiu essa carreira, mas não pode prosseguir devido a um tumor em um dos pés. Recorreu ao hospital de São Tiago em Roma, onde viveu sua compaixão pelos outros doentes.

Porém, ele deu um ‘sim’ ao pecado, entregando-se ao vício do jogo, onde perdeu tudo e ficou na miséria total. Saiu do hospital devido o seu temperamento. Foi de hospital em hospital para cuidar de sua ferida, até bater na porta dos franciscanos capuchinhos e ali quis trabalhar na obra de Deus.

Com 25 anos começou o seu processo de conversão. No hospital em Roma, Deus suscitou nele a santidade de ver nos doentes a pessoa de Cristo e também o carisma dos ‘Camilianos’. Camilo também viveu uma bela amizade com São Felipe Néri.

Entrou para os estudos, foi ordenado sacerdote, e vendo a realidade dos peregrinos de Roma, que não tinham uma assistência médica digna, foi brotando nele o carisma de servir a Cristo na pessoa do doente, do peregrino. E muitos se juntaram a ele nessa obra. Em cada sofredor está a presença do Crucificado.

São Camilo partiu para o céu em 1614.

São Camilo de Léllis, rogai por nós!