Primeira Leitura (Is 49,3.5-6)


Leitura do Livro do profeta Isaías:

3O Senhor me disse: “Tu és o meu Servo, Israel, em quem serei glorificado”. 5E agora diz-me o Senhor — ele que me preparou desde o nascimento para ser seu Servo — que eu recupere Jacó para ele e faça Israel unir-se a ele; aos olhos do Senhor esta é a minha glória. 6Disse ele: “Não basta seres meu Servo para restaurar as tribos de Jacó e reconduzir os remanescentes de Israel: eu te farei luz das nações, para que minha salvação chegue até aos confins da terra”.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 39)


— Eu disse: Eis que venho, Senhor,/ com prazer faço a vossa vontade!

— Eu disse: Eis que venho, Senhor,/ com prazer faço a vossa vontade!

— Esperando, esperei no Senhor,/ e inclinando-se, ouviu meu clamor./ Canto novo ele pôs em meus lábios,/ um poema em louvor ao Senhor.

— Sacrifício e oblação não quisestes,/ mas abristes, Senhor, meus ouvidos;/ não pedistes ofertas nem vítimas,/ holocaustos por nossos pecados.

— E então eu vos disse: “Eis que venho!”/ Sobre mim está escrito no livro:/ “Com prazer faço a vossa vontade,/ guardo em meu coração vossa lei!”

— Boas-novas de vossa justiça/ anunciei numa grande assembleia;/ vós sabeis: não fechei os meus lábios!


Segunda Leitura (1Cor 1,1-3)


Início da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

1Paulo, chamado a ser apóstolo de Jesus Cristo, por vontade de Deus, e o irmão Sóstenes,2à Igreja de Deus que está em Corinto: aos que foram santificados em Cristo Jesus, chamados a ser santos junto com todos os que, em qualquer lugar, invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso. 3Para vós, graça e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Anúncio do Evangelho (Jo 1,29-34)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 29João viu Jesus aproximar-se dele e disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.30Dele é que eu disse: ‘Depois de mim vem um homem que passou à minha frente, porque existia antes de mim’.31Também eu não o conhecia, mas se eu vim batizar com água, foi para que ele fosse manifestado a Israel”.

32E João deu testemunho, dizendo: “Eu vi o Espírito descer, como uma pomba do céu, e permanecer sobre ele.33Também eu não o conhecia, mas aquele que me enviou a batizar com água me disse: ‘Aquele sobre quem vires o Espírito descer e permanecer, este é quem batiza com o Espírito Santo’.34Eu vi e dou testemunho: Este é o Filho de Deus!”


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Viver na unção de Deus

“João viu Jesus aproximar-se dele e disse: ‘Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo’”(João 1, 29).

 

Nós, hoje, queremos nos aproximar de Jesus. E João nos apresenta, entre as coisas muito importantes para a nossa vida, Jesus, o Cordeiro. Você sabe a importância que o cordeiro imolado tinha para o povo de Israel? Era este o meio de reparar os pecados: imolando o cordeiro.

Não, nós não imolamos mais cordeiros, nós não imolamos nenhum animal, porque Jesus se imolou por nós no sacrifício da cruz. Ele se imolou, sacrificou-se como oblação perfeita para tirar o pecado do mundo, para tirar o pecado da nossa vida, para tirar o pecado de dentro de nós. Por isso, ao nos aproximarmos do banquete do cordeiro, Jesus é Aquele para quem, na Missa, levantamos e dizemos: “Eis aí Jesus, o Cordeiro de Deus, Aquele que tira o pecado do mundo”.

Permitamos que Ele, realmente, tire a nossa vida do pecado, que Ele retire o pecado da nossa vida, que Ele nos liberte, salve-nos, porque Ele é o Cordeiro que nos liberta de toda força do pecado.

Depois, João viu o Espírito descer sobre Ele e ali permanecer. O Espírito que desce sobre Jesus, que permanece n'Ele é o Espírito da unção, é o Espírito que unge Jesus, que O consagra para que exerça toda a missão divina no meio de nós.

Assim como Jesus é o ungido do Pai, Ele também nos quer ungidos. É por isso que o batismo nos ungiu. E antes ainda de a água ser derramada em nossa cabeça, nós somos ungidos no peito, para que a unção e a graça de Deus permaneçam em nós.

Viver na unção de Deus é deixar-se ser conduzido pelo Espírito

Nós precisamos ser pessoas ungidas naquilo que fazemos. Precisamos ser movidos pela graça do Espírito, dirigidos e levados por Ele naquilo que nós realizamos.

Seja uma mãe muito ungida por Deus, seja um pai de família, seja um trabalhador em tudo aquilo que você realiza, não simplesmente na força humana, mas também na unção, porque a unção de Deus está sobre você, porque foi essa graça que Jesus lhe trouxe.

Aquele sobre quem você vir o Espírito descer e permanecer este é quem batiza no Espírito Santo, por isso a unção que nós recebemos é sermos batizados com o Espírito.

A água santificada, abençoada, que é jogada sobre nós, reveste-nos do Espírito Santo. Veja: não é o Espírito que manda uma graça, mas é Ele quem nos batiza, quem nos enche e preenche.

Como precisamos nos encher da graça do Paráclito todos os dias da nossa vida! Como precisamos nos revitalizar, revigorar-nos em tudo aquilo que nós fazemos, no Espírito que nós recebemos.

Viver na unção de Deus é deixar-se ser conduzido pelo Espírito, assim como Jesus se deixou ser conduzido por Ele em tudo o que fazia e realizava. Permitamos que a ação do Espírito seja perene, constante e permanente em toda a nossa vida.

Deus abençoe você!

 

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Sigamos o Cordeiro Imolado!

Nós, batizados no Espírito Santo, precisamos seguir Jesus Cristo, o Cordeiro Imolado, onde quer que Ele vá. Para isso, é necessário primeiro segui-lo na sua morte, para recebermos, de suas mãos chagadas, a plenitude da vida. Não desanimemos diante das adversidades, reergamo-nos do chão, abracemos novamente a cruz que havíamos abandonado, e sigamos o Cordeiro Imolado, Aquele que mesmo ferido permanece de pé, a fim de nos mostrar que, ao final de tudo, Ele triunfará!





Santo do Dia:

São Canuto, contribuiu para a evangelização

São Canuto nasceu no ano de 1040 na Dinamarca. Filho de um rei, era sucessor natural. Mas aconteceu que, pela sua vida de oração, testemunho, caridade e justiça, quando o pai faleceu, muitos moveram-se com artimanhas para colocar seu irmão no trono de maneira injusta. Quanto à sua posição, ele não era apegado ao poder nem o queria para si, então esperou. Depois do falecimento do irmão, ocupou o seu lugar que era de justiça.

Homem de Deus, um sinal para o povo, ele contribuiu para a evangelização. Primeiro, com o seu exemplo, pois acreditava que a melhor forma de educar uma nação é o bom exemplo. Ele viveu para sua esposa e para seu filho Carlos, que mais tarde se tornaria também um santo. Pai santo, esposo santo, um governador, um homem de poderes; mas que usou esses poderes para servir, a modelo de Nosso Senhor Jesus Cristo.

São Canuto, amado por muitos e odiado também como Nosso Senhor, foi vítima de artimanhas por pessoas fechadas para Deus e para o bem, porque ele tinha muita sensibilidade com as viúvas, os órfãos e os mais necessitados. Nele, batia um coração que se assemelhava ao de Jesus. Como rei, possuiu muitos desafios e, ao perceber os inimigos se armando, participou de uma Eucaristia como era de costume. Nela, ele não só recebeu o Nosso Senhor, mas, em nome de Jesus, perdoou todos os seus inimigos. Foi então assassinado.

São Canuto, rogai por nós!