Antífona de Entrada:
Ouvi, Senhor, as preces do vosso servo e do vosso povo eleito: dai a paz àqueles que esperam em vós, para que os vossos profetas sejam verdadeiros. (cf. Eclo 36, 18)

Oração do Dia:
Ó Deus, criador de todas as coisas, volvei para nós o vosso olhar e, para sentirmos em nós a ação do vosso amor, fazei que vos sirvamos de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Primeira Leitura (1Cor 15, 35-37. 42-49)


Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios


Irmãos, 35alguém perguntará? Como ressuscitam os mortos? 36Insensato! O que semeias não nasce sem antes morrer. 37E, quando semeias, não semeias o corpo da planta, que há de nascer, mas o simples grão, como o de trigo, ou de alguma outra planta.

42Pois assim será também a ressurreição dos mortos. Semeia-se em corrupção e ressuscita-se em incorrupção. 43Semeia-se em ignomínia, e ressuscita-se em glória. Semeia-se em fraqueza, e ressuscita-se em vigor. 44Semeia-se um corpo animal, e ressuscita-se um corpo espiritual. Se há um corpo animal, há também um espiritual.

45Por isso está escrito: o primeiro homem, Adão, “foi um ser vivo”. O segundo Adão é um espírito vivificante. 46Veio primeiro não o homem espiritual, mas o homem natural; depois é que veio o homem espiritual. 47O primeiro homem, tirado da terra, é terrestre; o segundo homem vem do céu. 48Como foi o homem terrestre, assim também são as pessoas terrestres; e como é o homem celeste, assim também vão ser as pessoas celestes. 49E como já refletimos a imagem do homem terrestre, assim também refletiremos a imagem do homem celeste.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 55)


R. Na presença do Senhor, andarei na luz da vida.


— Meus inimigos haverão de recuar em qualquer dia em que eu vos invocar; tenho certeza: o Senhor está comigo. R.

— Confio em Deus e louvarei sua promessa; é no Senhor que eu confio e nada temo: que poderia contra mim um ser mortal? R.

— Devo cumprir, ó Deus, os votos que vos fiz, e vos oferto um sacrifício de louvor, porque da morte arrancastes minha vida e não deixastes os meus pés escorregarem, para que eu ande na presença do Senhor, na presença do Senhor na luz da vida. R.


R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Felizes os que observam a palavra do Senhor, de reto coração, e que produzem muitos frutos, até o fim perseverantes! (Cf. Lc 8-15) R.


Evangelho (Lc 8, 4-15)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Lucas 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 4reuniu-se uma grande multidão, e de todas as cidades iam ter com Jesus. Então ele contou esta parábola:

5“O semeador saiu para semear a sua semente. Enquanto semeava, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada e os pássaros do céu a comeram. 6Outra parte caiu sobre pedras; brotou e secou, porque não havia umidade. 7Outra parte caiu no meio de espinhos; os espinhos cresceram juntos, e a sufocaram. 8Outra parte caiu em terra boa; brotou e deu fruto, cem por um”. Dizendo isso, Jesus exclamou: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”.

9Os discípulos lhe perguntaram o significado dessa parábola. 10Jesus respondeu: “A vós foi dado conhecer os mistérios do Reino de Deus. Mas aos outros, só por meio de parábolas, para que olhando não vejam, e ouvindo não compreendam. 11A parábola quer dizer o seguinte: A semente é a Palavra de Deus. 12Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouviram, mas, depois, vem o diabo e tira a Palavra do coração deles, para que não acreditem e não se salvem. 13Os que estão sobre a pedra são aqueles que, ouvindo, acolhem a Palavra com alegria. Mas eles não têm raiz: por um momento acreditam; mas na hora da tentação voltam atrás. 14Aquilo que caiu entre os espinhos são os que ouvem, mas, com o passar do tempo, são sufocados pelas preocupações, pela riqueza e pelos prazeres da vida, e não chegam a amadurecer. 15E o que caiu em terra boa são aqueles que, ouvindo com um coração bom e generoso, conservam a Palavra, e dão fruto na perseverança”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Abramos o nosso coração para a Palavra de Deus

“O semeador saiu para semear a sua semente. Enquanto semeava, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada e os pássaros do céu a comeram” (Lucas 8,5).

Causa-me uma profunda admiração olhar esse semeador. Até pouco tempo achava que esse semeador era muito imprudente porque saía jogando sementes para tudo quanto é lado, e ele não era muito seletivo no terreno onde jogava as suas sementes.

Se formos olhar em termos econômicos, o dono de uma plantação, o dono de uma vinha, o dono de uma fazenda, não vai querer desperdiçar nenhuma das suas sementes, pelo contrário, ele vai primeiro preparar o terreno. E aquele terreno que, de fato, está bem preparado é o terreno que vai receber a semente. É ali que ele vai semear, ainda que algumas sementes possam não vingar, mas o fato é que você seleciona bem o terreno.

Aqui o semeador sai para semear em todos os campos, em todas as realidades, até à beira do caminho. A semente cai na estrada, na beira da estrada; a semente cai em terreno pedregoso, em terreno espinhoso, mas a semente cai em um terreno que é bom e ali produz frutos.


É importante abrir-se para a Palavra de Deus, deixar que ela caia no meio de nós

O fato é que não precisamos olhar agora para a economia, precisamos olhar para o Reino de Deus, porque Ele, de fato, não faz seleção de pessoas e de corações. A Palavra de Deus é semeada em todos os corações, mas é o terreno que precisa abrir-se para acolher a Palavra, é o nosso coração que tem de se tornar um terreno acolhedor, que se abre para que a Palavra entre e penetre dentro de nós para que possamos produzir frutos.

Ainda que o meu terreno seja disperso, que esteja largado à beira do caminho, a Palavra de Deus pode transformar esse terreno num bom terreno, ainda que o meu terreno seja pedregoso e espinhoso. Se cremos no poder da Palavra de Deus, Ele transforma esse terreno que está perdido ou improdutivo, num terreno que produza os frutos do Reino dos Céus.

É importante abrir-se para a Palavra de Deus, deixar que ela caia no meio de nós, no nosso coração, mas é preciso cuidar. Porque o problema de todo e qualquer terreno é quando ele não acolhe, quando não cuida da semente, quando permitimos que essa semente seja roubada, maltratada, não caía, não seja cuidada e não produza frutos em nós.

Não basta ouvir a Palavra de Deus, é preciso ouvi-la com atenção e dedicação, mas, ao mesmo tempo, com aplicação. Preciso me jogar inteiro na Palavra porque ela se joga inteira sobre mim e minha vida. É preciso que eu realmente me coloque diante da Palavra com amor, inteiro, me dedicando a ela, para que ela produza muitos frutos em minha vida.

Tenho apreciado cada vez mais as pessoas que têm sido transformadas pelo poder da Palavra de Deus, se você ainda não foi, é hora de analisar que terreno, que coração e que mentalidade está tendo para acolher a Palavra de Deus que está sendo semeada como nunca em nossos corações.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Uma semente, três terrenos

A semente que Deus semeia em nossos corações é um chamado da graça a que O tenhamos em nosso íntimo e com Ele conversemos pela oração. Mas o terreno de nossa alma, na hora de receber a semente divina, pode ter três diferentes disposições, induzidas por aqueles nossos três grandes inimigos: o diabo, que nos faz negligentes e preguiçosos; a carne, que nos faz inconstantes e sensuais; e o mundo, que nos enche de preocupações e distrações. É hora, pois, de meter a mão no arado e limpar o terreno! Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para este sábado, 19 de setembro, e medite conosco mais uma página do santo Evangelho!





Santo do Dia:

São Januário

A história do santo deste dia se entrelaça com a cidade italiana de Nápoles, onde o corpo e sangue de Januário estão guardados. Este santo viveu no fim do século III e se tornara Bispo de Benevento, cidade próxima a Nápoles.

Como cristão estava constantemente se preparando para testemunhar (se preciso com o derramamento do próprio sangue) seu amor ao Senhor, já que naqueles tempos em que a Igreja estava sendo perseguida, não era difícil ser preso, condenado e martirizado pelos inimigos da Verdade.

Na função de Bispo foi zeloso, bondoso e sábio, até ser juntamente com seus diáconos, preso e condenado a virar comida dos leões no anfiteatro da cidade de Pozzuoli (a primeira terra italiana que pisou o apóstolo Paulo a caminho de Roma). Igual ao profeta Daniel e muitos outros, as feras lamberam, mas não avançaram nestes homens protegidos por Jesus. Nesse caso, sob a ordem do terrível imperador Diocleciano (último grande perseguidor), a única solução era a espada manejada pela irracional maldade humana. Foram decapitados. Isto ocorreu no ano 305.

Alguns cristãos, piedosamente, recolheram numa ampola o sangue do Bispo Januário para conservá-lo como preciosa relíquia e seu corpo acabou na Catedral de Nápoles. A partir disso, os napolitanos começaram a venerar o santo como protetor da peste e das erupções do vulcão Vesúvio.

Dentre tantos milagres alcançados pela sua intercessão, talvez o maior se deve ao seu sangue,"aquele guardado na ampola". Acontece que o sangue é exposto na Catedral, no dia da festa de São Januário e o extraordinário é que há séculos, o sangue, durante uma cerimônia, do estado sólido passa para o estado líquido, mudando de cor, de volume e até seu peso duplica. A multidão edificada se manifesta com gritos, enquanto a ciência, que já provou ser sangue humano, silencia quanto a uma explicação para este fato, esclarecido somente pela fé.

São Januário, rogai por nós!


Oração sobre as Oferendas:
Sede propício, ó Deus, às nossas súplicas e acolhei com bondade as oferendas dos vossos servos e servas para que aproveite à salvação de todos o que cada um trouxe em vossa honra. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona de Comunhão:
Quão preciosa é, Senhor, vossa graça! Eis que os filhos dos homens se abrigam sob a sombra das asas de Deus. (Sl 35, 18)

Ou:


O cálice de bênção pelo qual damos graças é a comunhão no Sangue de Cristo; e o pão que partimos é a comunhão no Corpo do Senhor. (cf. 1Cor 10, 16)

Oração depois da Comunhão:
Ó Deus, que a ação da vossa Eucaristia penetre todo o nosso ser para que não sejamos movidos por nossos impulsos, mas pela graça do vosso sacramento. Por Cristo, nosso Senhor.