Antífona de Entrada:
Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me. (Sl 16, 6.8)

Oração do Dia:
Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor, e vos servir de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


Primeira Leitura (Ef 2, 12-22)


Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios


Irmãos, 12naquele tempo, éreis sem Messias, privados de cidadania em Israel, estranhos às alianças da promessa, sem esperança e sem Deus no mundo. 13Mas agora, em Jesus Cristo, vós que outrora estáveis longe, vos tornastes próximos, pelo sangue de Cristo. 14Ele, de fato, é a nossa paz: do que era dividido, ele fez uma unidade. Em sua carne ele destruiu o muro de separação: a inimizade. 15Ele aboliu a Lei com seus mandamentos e decretos. Ele quis, assim, a partir do judeu e do pagão, criar em si um só homem novo, estabelecendo a paz. 16Quis reconciliá-los com Deus, ambos em um só corpo, por meio da cruz; assim ele destruiu em si mesmo a inimizade. 17Ele veio anunciar a paz a vós que estáveis longe, e a paz aos que estavam próximos. 18É graças a ele que uns e outros, em um só Espírito, temos acesso junto ao Pai. 19Assim, já não sois mais estrangeiros nem migrantes, mas concidadãos dos santos. Sois da família de Deus. 20Vós fostes integrados no edifício que tem como fundamento os apóstolos e os profetas, e o próprio Jesus Cristo como pedra principal. 21É nele que toda a construção se ajusta e se eleva para formar um templo santo no Senhor. 22E vós também sois integrados nesta construção, para vos tornardes morada de Deus pelo Espírito.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Salmo Responsorial (Sl 84)


R. O Senhor anunciará a paz para o seu povo.


— Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ele vai anunciar; está perto a salvação dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra. R.

— A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão; da terra brotará a fidelidade, e a justiça olhará dos altos céus. R.

— O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos dará suas colheitas; a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus. R.


R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Vigiai e orai para ficardes de pé, ante o Filho do Homem! (Lc 21, 36) R.


Evangelho (Lc 12, 35-38)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Lucas 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 35“Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. 36Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. 37Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade eu vos digo: ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. 38E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!”


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: Estejamos sempre prontos para o encontro com o Senhor

“Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater” (Lucas 12,35-36).

Que beleza e que graça saber que estamos esperando o Senhor chegar! O Senhor, o Noivo, está à porta, e a qualquer momento Ele chega, e não podemos abrir as portas da nossa casa, do nosso coração e da nossa vida com tudo despreparado e bagunçado.

Precisamos ser pessoas sempre prontas a partir, a morrer, a tomar outros caminhos. Temos que sair dessa cultura maldita de tudo improvisar e fazer de qualquer jeito, porque a nossa própria espiritualidade tem ficado bagunçada, pois temos levado a coisa de qualquer jeito e, com o perdão da expressão, "empurrando muitas vezes com a barriga".

Não podemos deixar que a nossa espiritualidade seja daquelas pessoas imprudentes. Se há uma coisa que Jesus nos adverte é que precisamos estar sempre prontos. Precisamos, de fato, viver como pessoas que, a qualquer momento, têm que prestar conta da nossa vida.


Precisamos estar com os rins cingidos, ou seja, prontos a prestar contas, a irmos ao encontro do Senhor

Se eu chegar, agora, na sua casa e bater à sua porta, será que terei condição de entrar? Chegamos de surpresa na casa de alguém, e a pessoa não sabe o que faz: “Olha, o padre chegou!”, e corre dizendo: “Desculpe, está um pouco bagunçada a minha casa”. Mas, normalmente, está sempre bagunçada, está sempre desorganizada. Às vezes, o nosso quarto está sempre naquela reviravolta, naquela bagunça. Não podemos ficar acumulando coisas, não podemos ficar acumulando bagunças, não podemos deixar a nossa vida bagunçada.

É um mau costume, como é um mal ficarmos acumulando louças sobre louças, coisas sujas sobre coisas sujas, roupa suja sobre roupa suja, bagunça sobre bagunça. É um mal para a nossa vida espiritual ficarmos também deixando-a de uma forma procrastinada, ou seja: “Depois eu vejo isso”; “Depois eu organizo isso”. E, infelizmente, a nossa vida espiritual, a nossa vida humana, vira bagunça.

Precisamos estar com os rins cingidos, ou seja, prontos a prestar contas, a irmos ao encontro do Senhor. Se falarem: “Jesus está aí”, e dissermos: “Espera, vou me arrumar”, “Vou me confessar”... Ele vai e nós ficamos.

Não dá para improvisar, não dá para nos enganarmos, ficarmos iludidos, não dá para mentirmos para nós mesmos. Há muita coisa na nossa vida que está bagunçada aqui e acolá, e precisamos colocar em ordem, precisamos ser os verdadeiros amigos do Noivo, prontos para irmos ao Seu encontro a qualquer momento.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Em prontidão para servir!

Jesus nos quer de rins cingidos, sempre preparados para O servir nesta vida e para O receber quando Ele vier julgar sobre a nossa ida para a outra. Para os que servem à mesa do Senhor, não há alternativa ao trabalho e à vigilância. Ou pomos o cinto à ilharga, esforçando-nos por tornar certa a nossa salvação, ou o diabo, que não descansa em serviço, nos encontrará relaxados e desprevenidos, presas fáceis de seus enganos. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta terça-feira, dia 20 de outubro, e medite conosco mais uma página do santo Evangelho!





Santo do Dia:

Santa Maria Bertilla Boscardin

“É humilde camponesa — disse dela Pio XII, por ocasião da beatificação, a 8 de junho de 1952. Figura puríssima de perfeição cristã, modelo de recolhimento e de oração. Nem êxtases, nem milagres durante a vida, mas uma união com Deus sempre mais profunda no silêncio, no trabalho, na oração, na obediência. Daquela união vinha a especial caridade que ela demonstrava para com os doentes, médicos, superiores, enfim, para com todos”.

Nascida a 6 de outubro de 1888 na paróquia de Gioia di Brendola (Vicência), batizada com o nome de Ana Francisca, desde a meninice dedicou-se aos trabalhos do campo, ajudando seus pais. Este era o caminho para qualquer menina vêneta, antes que as indústrias chegassem. Aos 17 anos Ana Francisca teve a permissão de seguir a própria vocação religiosa ingressando nas Mestras de Santa Doroteia em Vicência. Lá fez o noviciado e emitiu os primeiros votos temporários. Deixou em seguida Vicência e foi para Treviso trabalhar no hospital, onde prestará o seu humilde e ativo serviço até a morte, ocorrida a 22 de outubro de 1922.

Conseguiu o diploma de enfermeira para se tornar mais útil aos doentes, que assistia também de noite, tomando a vez de suas coirmãs. “Quero ser a serva de todos — escreveu no seu diário — quero trabalhar, sofrer e deixar toda a satisfação aos outros’’. E ainda: “Devo considerar-me a última de todas, portanto contente em ser passada para trás, indiferente a tudo, tanto às reprovações como aos elogios, melhor, preferir as primeiras; sempre condescendente às opiniões alheias; nunca desculpar-me, também se penso ter razão; nunca falar de mim mesma; os encargos mais baixos sejam sempre os meus, pois é isso que mereço”. As ocasiões de sofrimentos nunca lhe faltaram.

Aos 22 anos foi operada de tumor. Retomou às costumeiras ocupações suportando aumento de trabalho durante a primeira guerra mundial. Por causa dos contínuos bombardeios, os doentes foram transportados para Brianza e irmã Bertilla os seguiu. Mas em Viggiù foi designada para a lavanderia, sofrendo e chorando às escondidas: “Estou contente — escreveu — porque faço a vontade de Deus’’. Voltando um ano depois a Treviso entre os seus doentes, não aguentou o agravar-se de seu mal e após uma segunda intervenção cirúrgica, morreu. Tinha então trinta e quatro anos. Beatificada em 1952, foi canonizada por João XXIII a 11 de maio de 1961.

Santa Maria Bertilla, rogai por nós!


Oração sobre as Oferendas:
Dai-nos, ó Deus, usar os vossos dons servindo-vos com liberdade, para que, purificados pela vossa graça, sejamos renovados pelos mistérios que celebramos em vossa honra. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona de Comunhão:
Eis que o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria. (Sl 32, 18-19)

Ou:


O Filho do homem veio dar a sua vida para a salvação dos homens. (Mc 10, 45)

Oração depois da Comunhão:
Dai-nos, ó Deus, colher os frutos da nossa participação na Eucaristia para que, auxiliados pelos bens terrenos, possamos conhecer os valores eternos. Por Cristo, nosso Senhor.