Primeira Leitura (Zc 2,14-17)


Leitura da Profecia de Zacarias.

14“Rejubila, alegra-te, cidade de Sião, eis que venho para habitar no meio de ti, diz o Senhor. 15Muitas nações se aproximarão do Senhor, naquele dia, e serão o seu povo. Habitarei no meio de ti, e saberás que o Senhor dos exércitos me enviou a ti. 16O Senhor entrará em posse de Judá, como sua porção na terra santa, e escolherá de novo Jerusalém. 17Emudeça todo mortal diante do Senhor, ele acaba de levantar-se de sua santa habitação”.


— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.


Responsório (Lc 1,46-55)


— O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

— O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.

— A minh’alma engrandece ao Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador,

— pois ele viu a pequenez de sua serva, desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. O Poderoso fez por mim maravilhas e Santo é o seu nome.

— Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam. Demonstrou o poder de seu braço, dispersou os orgulhosos.

— Derrubou os poderosos de seus tronos e os humildes exaltou. De bens saciou os famintos e despediu, sem nada, os ricos.

— Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor, como havia prometido aos nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.


Evangelho (Mt 12,46-50)


— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 46enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 47Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo”. 48Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” 49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. 50Pois todo aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.


— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.


Homilia: A partir do batismo, nasce a nossa missão

“Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos? E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. Pois todo aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe (Mateus 12,48-50).

 

A graça no dia de hoje é a de celebrarmos a Apresentação de Nossa Senhora no templo. Seus pais, Ana e Joaquim, eram pessoas não só muito religiosas, também eram pessoas tementes a Deus, cumpriam as leis e os preceitos judaicos, mas eles sabiam que tinham uma pérola muito preciosa.

Todo filho é uma pérola, é uma graça única, mas aqu'Ela foi reservada por Deus, escolhida por Ele para uma missão muito especial, para uma missão única, singular. É por isso que os pais de Nossa Senhora a levaram no templo, não só para cumprir o preceito ou aquilo que prescreve a lei judaica, e sim para apresentá-La para que Deus fizesse dela o que Ele melhor quisesse realizar.

Como Maria foi apresentada ainda menina para ser de Deus, preciso dizer: apresente os seus filhos para Deus. Todos nós fomos levados ao batismo para sermos ofertados, consagrados e entregues a Deus.


O batismo é a nossa primeira apresentação, é a nossa grande consagração, é a nossa unção fundamental para a vida

Que graça sublime, talvez, alguns não entendam o porquê na Igreja Católica se batizar ainda crianças. Porque as crianças são dons de Deus. Assim como Maria foi levada criança para ser apresentada, assim como Jesus depois de quarenta dias de nascido foi apresentado também ao Pai, o batismo é a nossa primeira apresentação, é a nossa grande consagração, é a nossa unção fundamental para a vida.

É a partir do batismo que nasce a nossa missão. Maria sabe qual é a Sua missão, foi tomando consciência dela a cada dia, mas foi ainda criança que a missão foi crescendo nela.

Permita-me dizer a você: "Não espere as suas crianças crescerem para que elas decidam se vão ser de Deus ou não, se vão assumir isso ou não. A semente é plantada já no ventre da mãe e precisa ser cultivada a cada dia para que a graça cresça". Porque não foi só Jesus quem cresceu em estatura, sabedoria e graça diante de Deus e dos homens; Maria também cresceu assim, então, Ela cresceu em estatura e sabedoria. Ela cresceu a cada dia no temor e na obediência a Deus, e não podemos criar os nossos filhos se não for desta maneira: obedientes e tementes a Deus, crescendo em estatura e sabedoria, mas crescendo na intimidade com Ele.

Sabemos que a intimidade se faz no seio familiar, nada é mais íntimo do que a nossa família, nada é mais íntimo do que a nossa casa, nada é mais íntimo do que onde estamos e convivemos.

Que você esteja na sua casa, na sua família crescendo como família e criando os seus para que sejam íntimos de Deus, foi assim que Ana e Joaquim criaram a Nossa Senhora; e Ela cresceu sendo serva do Senhor.

Criemos os nossos filhos para que independente da missão que exercerão no mundo, trabalhando aqui ou acolá, sejam homens e mulheres tementes a Deus, mas isso começa lá no berço, quando a cada dia apresentamos a Deus os nossos filhos.

Deus abençoe você!

 


karina
Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo
Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco


Festa da Apresentação de Nossa Senhora

Ao celebrarmos hoje a Festa da Apresentação de Nossa Senhora, contemplamos na Virgem Imaculada a mesma condição da qual esperamos poder participar um dia. Preservada imune do pecado original, Maria foi desde o primeiro instante de sua concepção templo puríssimo de Deus, que de nada precisava para entrar no céu além de esperar o término de sua peregrinação na terra. E nós, que para lá entrarmos precisamos de muita conversão e penitência, esperamos receber das mãos liberais de Nossa Senhora todo o socorro necessário para, feitos templos de Deus pela graça, podermos um dia entrar no Templo eterno do Altíssimo pela glória. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 21 de novembro, e demos glória ao Deus três vezes santo pelos benefícios concedidos à Imaculada Mãe do Redentor!





Santo do Dia:

Apresentação de Nossa Senhora no Templo

A memória que a Igreja celebra hoje não encontra fundamentos explícitos nos Evangelhos Canônicos, mas algumas pistas no chamado proto-evangelho de Tiago, livro de Tiago, ou ainda, História do nascimento de Maria. A validade do acontecimento que lembramos possui real alicerce na Tradição que a liga à Dedicação da Igreja de Santa Maria Nova, construída em 543, perto do templo de Jerusalém.

Os manuscritos não canônicos, contam que Joaquim e Ana, por muito tempo não tinham filhos, até que nasceu Maria, cuja infância se dedicou totalmente, e livremente a Deus, impelida pelo Espírito Santo desde sua concepção imaculada. Tanto no Oriente, quanto no Ocidente observamos esta celebração mariana nascendo do meio do povo e com muita sabedoria sendo acolhida pela Liturgia Católica, por isso esta festa aparece no Missal Romano a partir de 1505, onde busca exaltar a Jesus através daquela muito bem soube isto fazer com a vida, como partilha Santo Agostinho, em um dos seus Sermões:

“Acaso não fez a vontade do Pai a Virgem Maria, que creu pela fé, pela fé concebeu, foi escolhida dentre os homens para que dela nos nascesse a salvação; criada por Cristo antes que Cristo nela fosse criado? Fez Maria totalmente a vontade do Pai e por isto mais valeu para ela ser discípula de Cristo do que mãe de Cristo; maior felicidade gozou em ser discípula do que mãe de Cristo. E assim Maria era feliz porque já antes de dar à luz o Mestre, trazia-o na mente”.

A Beata Maria do Divino Coração dedicava devoção especial à festa da Apresentação de Nossa Senhora, de modo que quis que os atos mais importantes da sua vida se realizassem neste dia.

Foi no dia 21 de novembro de 1964 que o Papa Paulo VI, na clausura da 3ª Sessão do Concílio Vaticano II, consagrou o mundo ao Coração de Maria e declarou Nossa Senhora Mãe da Igreja.

Nossa Senhora da Apresentação, rogai por nós!