Antífona de entrada

O Senhor Deus vos abençoou, Virgem Maria, mais que a todas as mulheres. Ele exaltou o vosso nome: que todos os povos cantem vosso louvor. (Jt 13, 23. 25)

Oração do dia

Ao celebrarmos, ó Deus, a gloriosa memória da Santa Virgem Maria, concedei-nos, por sua intercessão, participar da plenitude da vossa graça. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Primeira Leitura (Zc 2, 14-17)


Leitura da Profecia de Zacarias


14“Rejubila, alegra-te, cidade de Sião, eis que venho para habitar no meio de ti, diz o Senhor. 15Muitas nações se aproximarão do Senhor, naquele dia, e serão o seu povo. Habitarei no meio de ti, e saberás que o Senhor dos exércitos me enviou a ti. 16O Senhor entrará em posse de Judá, como sua porção na terra santa, e escolherá de novo Jerusalém. 17Emudeça todo mortal diante do Senhor, ele acaba de levantar-se de sua santa habitação”.

Salmo Responsorial (Lc 1, 46-55)


R. O Poderoso fez por mim maravilhas, e Santo é o seu nome.


— A minh’alma engrandece ao Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador, R.

— pois ele viu a pequenez de sua serva, desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. O Poderoso fez por mim maravilhas e Santo é o seu nome. R.

— Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam. Demonstrou o poder de seu braço, dispersou os orgulhosos. R.

— Derrubou os poderosos de seus tronos e os humildes exaltou. De bens saciou os famintos e despediu, sem nada, os ricos. R.

— Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor, como havia prometido aos nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. R.


Aclamação ao Evangelho

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.
V. Feliz quem ouve e observa a Palavra de Deus! (Lc 11, 28) R.

Evangelho (Mt 12, 46-50)


V. O Senhor esteja convosco.

R. Ele está no meio de nós.


V. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo  segundo Mateus 

R. Glória a vós, Senhor.


V. Naquele tempo, 46enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 47Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo”. 48Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” 49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. 50Pois todo aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

Sobre as Oferendas

Festejando com alegria a Mãe de Deus, nós vos oferecemos, ó Pai, a hóstia de louvor. Concedei-nos, por este sacrifício, progredir no caminho da salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão

Todas as gerações me chamarão bem-aventurada, porque Deus olhou a humildade de sua serva. (Lc 1, 48)

Depois da Comunhão

Ó Deus, tendo entrado em comunhão convosco ao celebrar a memória da Virgem Maria, nós vos pedimos a graça de participar do eterno convívio. Por Cristo, nosso Senhor.

Homilia do dia 21/11/2020
Assumamos que somos propriedade de Deus

“Eis minha mãe e meus irmãos. Pois todo aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe” (Mateus 12,49-50).

Estamos, hoje, celebrando a Apresentação de Nossa Senhora ao Templo. Os seus pais, Ana e Joaquim, levaram essa menina para ser consagrada a Deus, para tornar-se um dom de Deus, uma oblação a Deus.

Maria, desde o ventre de sua mãe, pertencia ao Senhor, Ela foi concebida sem pecado. Celebramos hoje aquilo que Maria será por toda a Sua vida: um dom, uma dádiva, uma oferenda agradável aos olhos do Senhor.

É muito mais do que um ritual, é uma vida assumida desde o ventre de sua mãe: ser toda de Deus, ser esse templo de Deus, ser esse lugar da morada de Deus. Quando levamos os nossos filhos à igreja ou quando nós mesmos, um dia, fomos levados à igreja, fomos apresentados, fomos lá batizados, fomos consagrados para nos tornarmos o lugar da morada de Deus, propriedade d'Ele. 

Aqui não é uma questão para dizer: “É porque sou batizado”, a questão é muito mais ampla, é eu assumir ser batizado, assumir que sou consagrado e propriedade de Deus.


Fomos consagrados para nos tornarmos o lugar da morada de Deus, propriedade d'Ele

Quando a Mãe e os irmãos de Jesus se aproximaram e foram dizer isso a Ele, o Mestre respondeu com muita propriedade e categoria: “Quem é minha mãe? Quem são os que dizem ser meus irmãos?”.   

Não é simplesmente a condição sanguínea que coloca alguém próximo a Jesus. A familiaridade com Jesus se faz em levar a sério a Palavra do Pai, a Palavra da Verdade, em ouvir a Palavra e colocá-la em prática. É isso que nos faz irmãos do Senhor, é isso que nos faz próximos d’Ele, foi isso que fez de Maria esse templo do Senhor.

Mais do que escolhida, Ela foi fiel à sua escolha; mais do que ungida, Ela foi fiel à unção; mais do que consagrada, Ela levou a sua consagração a sério, o Seu compromisso de ser toda de Deus.

Apresentemo-nos, hoje, a Deus, a partir do nosso batismo para vivenciá-lo, vivê-lo na vida, na prática com o testemunho, com os bons exemplos e, sobretudo, levando Deus a sério na vida de cada um de nós.

Deus abençoe você!

Pe. Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova.
Facebook/padrerogeramigo

Seja um apoiador do Pocket Terço: apoia.se/pocketterco

Memória da Apresentação de Nossa Senhora

Comemoramos hoje a Apresentação de Nossa Senhora, ou seja, a consagração da Virgem Maria ao serviço de Deus no Templo de Jerusalém. Baseada numa antiquíssima tradição, a festa que hoje celebramos nos convida a rezar com ainda mais amor e confiança a esta que, bendita entre todas as mulheres, foi escolhida para ser Mãe do Verbo encarnado e de todos os fiéis. Assista à homilia do Pe. Paulo Ricardo para este sábado, dia 21 de novembro, e se una às nossas orações à bem-aventurada e sempre virgem Maria!




Santo do dia 21/11/2020

Apresentação de Nossa Senhora no Templo

A memória que a Igreja celebra hoje não encontra fundamentos explícitos nos Evangelhos Canônicos, mas algumas pistas no chamado proto-evangelho de Tiago, livro de Tiago, ou ainda, História do nascimento de Maria. A validade do acontecimento que lembramos possui real alicerce na Tradição que a liga à Dedicação da Igreja de Santa Maria Nova, construída em 543, perto do templo de Jerusalém.

Os manuscritos não canônicos, contam que Joaquim e Ana, por muito tempo não tinham filhos, até que nasceu Maria, cuja infância se dedicou totalmente, e livremente a Deus, impelida pelo Espírito Santo desde sua concepção imaculada. Tanto no Oriente quanto no Ocidente observamos esta celebração mariana nascendo do meio do povo e com muita sabedoria sendo acolhida pela Liturgia Católica, por isso esta festa aparece no Missal Romano a partir de 1505, onde busca exaltar a Jesus através daquela que muito bem soube isto fazer com a vida, como partilha Santo Agostinho, em um dos seus Sermões:

"Acaso não fez a vontade do Pai a Virgem Maria, que creu pela fé, pela fé concebeu, foi escolhida dentre os homens para que dela nos nascesse a salvação; criada por Cristo antes que Cristo nela fosse criado? Fez Maria totalmente a vontade do Pai e por isto mais valeu para ela ser discípula de Cristo do que mãe de Cristo; maior felicidade gozou em ser discípula do que mãe de Cristo. E assim Maria era feliz porque já antes de dar à luz o Mestre, trazia-o na mente".

A Beata Maria do Divino Coração dedicava devoção especial à festa da Apresentação de Nossa Senhora, de modo que quis que os atos mais importantes da sua vida se realizassem neste dia.

Foi no dia 21 de novembro de 1964 que o Papa Paulo VI, na clausura da 3ª Sessão do Concílio Vaticano II, consagrou o mundo ao Coração de Maria e declarou Nossa Senhora Mãe da Igreja.

Nossa Senhora da Apresentação, rogai por nós!